quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Netaim, Terra dos Oleiros

"Eles eram oleiros que trabalhavam para o Rei e moravam nas cidades de Netaim e Gedera". (I Cron. 4,23)



Cientistas pensam em ter finalmente encontrado a real localização de uma cidade mencionada na Bíblia chamada Netaim .

Com base em sua proximidade a uma outra cidade bíblica, e ruínas arqueológicas que datam do período bíblico do rei Davi, os investigadores pensam que Netaim poderia ter sido localizada no moderno sítio de Khirbet Qeiyafa, em Israel.

Khirbet Qeiyafa contém as ruínas de uma antiga cidade fortificada no alto de uma colina com vista para o Vale de Elah. Cacos de cerâmica e caroços de azeitona queimados datam o sítio em cerca de 1.000 a.C. A maioria dos estudiosos pensam que o Rei Davi governou durante este tempo.

Arqueólogos tinham anteriormente associado Khirbet Qeiyafa com a cidade bíblica de Sha'arayim, que significa "duas portas", por causa da descoberta de duas portas nas ruínas da fortaleza e também porque Sha'arayim estava associada na Bíblia com o Rei Davi. Mas agora pesquisadores afirmam que este sítio é realmente Netaim, uma cidade mencionada no livro de I Cr.4,23 na Bíblia Hebraica, ou Antigo Testamento.

"Os habitantes de Netaim foram oleiros que trabalharam a serviço do rei e habitavam um importante centro administrativo, perto da fronteira com os filisteus", Disse Gershon Galil, professor de estudos bíblicos da Universidade de Haifa em Israel.

Galil pensa que Netaim foi localizada em Khirbet Qeiyafa em parte porque este está perto do moderno sítio de Khirbet Ğudraya, também perto do Vale de Elah, que foi identificado como a cidade bíblica de Gedera. Ambos Gedera e Netaim foram mencionados no mesmo versículo da Bíblia, 1 Crônicas 4:23: "Estes eram oleiros e habitantes de Netaim e de Gedera; moravam ali com o rei para o servirem.”(ARA)

Netaim é mencionada apenas uma vez na Bíblia, e até agora permanecia não identificada.

Em pesquisa relacionada, Galil recentemente decifrou um texto escrito num caco de cerâmica encontrada em Khirbet Qeiyafa, e descobriu que era o exemplo mais conhecido da escrita hebraica.

"Os achados arqueológicos neste sítio, a descoberta da inscrição hebraica mais antiga e a mais importante a ser encontrada até agora, e a compreensão, baseada no texto bíblico, que os membros da Tribo de Judá habitavam a cidade e trabalhavam no serviço do rei, testificam Khirbet Qeiyafa - Netaim – como sendo um importante centro administrativo da região fronteiriça do Reino de Israel durante o período do reinado do Rei David ", disse Galil.

Em 1Crônicas 4.23. Eles eram oleiros e habitavam em Netaim e em Gederá, perto do rei, para quem trabalhavam.
A localização desta cidade permanecia como um mistério. No entanto, segundo a Universiade de Haifa (Israel), um de seus pesquisadores, Gershon Galil, identificou a atual Khirbet Qeiyafa como “Neta’im” (ou Netaim). Galil acha que "os habitantes de Neta’im eram oleiros que trabalhavam a serviço do rei e moravam num importante centro administrativo próximo da fronteira com os filisteus".

Khirbet Qeiyafa fica no vale de Elá. As escavações conduzidas pelos professores Yosef Garfinkel e Saar Ganor dataram o sítio do início do século 10, especificamente no tempo do rei Davi. Uma inscrição em hebraico num pote ali encontrado foi recentemente decifrado por Galil e indica a presença de escribas e de um alto nível cultural na cidade.

A genealogia da tribo de Judá é registrada em 1Crônicas 4. O último verso (23) menciona duas importantes cidades: Gederá e Netaim, que eram centros administrativos, uma vez que eram ocupadas por pessoas que trabalhavam a serviço do rei. Gederá foi identificada com Khirbet G(udraya, perto do vale de Elá, mas Netaim permanecia sem identificação.

Galil, para sua identificação, se baseou na proximidade de Khirbet Qeiyafa com a bíblica Gederah/Khirbet G(udraya, nos achados arqueológicos e no nome preservado da vizinha Khirbet En-Nuweiti. Segundo ele, a existência deste centro administrativo fortificado relativamente longe do centro do reino testemunha o conflito que surgiu entre os israelitas e os filisteus após a vitória de Davi sobre a Casa de Saul, quando todas as tribos de Israel foram unificadas sob a sua liderança. "Trata-se de mais uma prova do amplo e poderoso reinado durante os dias do rei Davi", disse Galil.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Jacó e as Situações Problemáticas

Às vezes, em nossa caminhada, nos pegamos cansados, pensando em desistir. O desânimo diante das situações difíceis é algo bastante humano. E algumas vezes ele acontece porque nós mesmos, não conduzindo bem o rumo de nossas vidas, nos metemos em situações problemáticas, para as quais achamos difícil encontrar a saída. 

Mas Deus pode transformar nossa vida. Ele deseja isso e está disposto a agir por nós. Assim aconteceu com Jacó. Desde o seu nascimento, Jacó era uma daquelas pessoas por quem não damos nada. Ao sair do ventre materno, ele segurava o calcanhar do irmão, razão pela qual o chamaram Jacó, que significa “trapaceiro” (Gn 25.26). Toda sua vida foi baseada no engodo e no “levar vantagem”. Foi assim que ele trocou com o irmão uma sopa de lentilhas pelo direito de ser o filho mais velho (Gn 25.34) e, portanto, receber a herança. Também foi assim que ele enganou o pai para obter a bênção (Gn 27.35). Por causa disso, seu irmão o jurou de morte e foi assim que Jacó fugiu de casa, indo parar neste lugar onde lemos que dormiu e teve um sonho. 

Neste sonho, Deus lhe fez promessas, ainda que Jacó fosse uma pessoa cujo caráter mostrava claramente a necessidade de transformação. Isso mostra o grande amor de Deus pelo ser humano. Ele nos amou, sendo nós ainda pecadores, destituídos da experiência da santificação e da conversão (1 Jo 4). Jacó teve um sonho especial num momento muito difícil de sua vida, mas seu sonho nos inspira a confiar em Deus, mesmo quando pecamos e nos sentimos fora de sua graça. 

O chamado de Deus é para algo novo e transformador para cada um de nós... Uma pedra por travesseiro (v.11) Jacó era um fugitivo. Andando meio que sem rumo, ele pára para descansar. Não há nada com que se arranjar e ele toma uma pedra para fazê-la de travesseiro... Que dureza! Imagino que ele não esperava ter uma noite agradável de descanso, deitado em algo tão duro e impróprio! Talvez ele tenha ficado olhando para o céu, pensando em como colocar a vida em ordem... A insônia é um grave problema para muitas pessoas quando passam por dificuldades. É difícil ter um sono tranqüilo quando tudo parece estar errado ao nosso redor. Mesmo o travesseiro mais fofo parece duro como pedra! Não é aconchegante, nem reconfortante. Acordamos sentindo todo o corpo doer e passamos um dia difícil. Talvez fosse isso o que Jacó esperava que fosse lhe acontecer... 

 O que tem tirado seu sono hoje? O que tem prejudicado suas noites de descanso? Talvez você se sinta tão encrencado na vida quanto Jacó e pense que só tem pedras para dormir, que sua cama jamais será fofa e agradável... Talvez você se deite antecipando os pesadelos e tenha esquecido como é bom ter um sonho agradável. Mas Deus está com você no seu caminho, mesmo que você pense que não. Deus tem um sonho para você sonhar! Dormindo, sonhou e eis uma escada posta na terra, cujo topo tocava o céu (v.12) Mesmo tendo uma pedra por travesseiro, Jacó dormiu e sonhou. Não era um pesadelo, mas um sonho: algo bom e agradável. O sonho é uma das formas de manifestação de Deus que a Bíblia nos apresenta. De vez em quando, um sonho mudou o rumo da história do povo de Deus (veja a história de José, por exemplo!). Neste sonho, Jacó vê uma escada. Não parece nada de mais a princípio. Sonhar com uma escada. 

Mas há algo a mais nesta escada... Se não, vejamos: ela está posta na terra – o fato de “estar posta” significa que alguém a colocou lá. Isso designa vontade, propósito. A escada não está ali por acaso, mas foi posta. Posta na terra – essa frase indica a origem da escada, ela vem do alto e está posta na terra. E seu topo toca o céu – há poucos capítulos antes o livro de Gênesis nos conta de uma tentativa humana de chegar ao céu cujo final foi uma grande tragédia: a torre de Babel. Quando os homens quiseram chegar ao céu, eles fracassaram! Mas no sonho de Jacó, uma escada é posta na terra e sua altura alcança o céu. Sempre me deslumbro pensando nisso: não se diz onde é que a escada está apoiada. Não se fala de um andaime ou estrutura que a sustente. E ela é muito alta para chegar ao alto... Este sonho nos fala dos impossíveis de Deus que se tornam acessíveis a nós. Onde não havia apoio, Deus põe uma escada. Existem situações que se apresentam sem saída, estamos no fundo do poço, como Jacó estava e ali, no fundo do poço, Deus põe uma escada sem o auxílio de mãos humanas! Que feito extraordinário! 

Mas é preciso sonhar para ver a escada que Deus põe. O pessimismo de muita gente impede que essas pessoas vejam as saídas que Deus oferece para elas ao longo de suas vidas. Elas estão concentradas na dureza dos seus travesseiros, enquanto o Senhor nos fala para sonhar. Essa é uma das promessas contidas no derramamento do Espírito Santo: a capacidade de sonhar (Joel 2). Existe uma saída vinda do alto para nossas vidas. A escada é alta, mas é viável. Prova disso é que os anjos sobem e descem por ela, mostrando a Jacó que é possível subir por ela em segurança. Os anjos estão ali como que para encorajar Jacó em sua própria subida. São guardiões dessa escada e do próprio Jacó. A palavra “anjo” significa “mensageiro”: o recado de Deus para Jacó e para nós é esse: Suba! O que eu tenho para você é um lugar acima desse em que você está! A saída é viável, é divina, é de confiança! E o Senhor estava ao lado (v.13) Na minha Bíblia, a expressão aparece assim: “o Senhor estava ao lado”. Não diz se ele estava ao lado da escada ou ao lado de Jacó. Outras traduções dizem que o Senhor estava no topo da escada... Todas essas expressões significam, porém, uma só e a mesma coisa: Deus estava por perto. Ele não manda o socorro, ele vem junto com ele! Deus não mandou a escada, mas veio com ela! A companhia direta de Deus é sua promessa constante ao seu povo: estarei contigo! E ao estar ao lado, Deus fala a Jacó que ele não era um desconhecido: “eu sou o Deus de teu pai, Abraão, e de Isaque”. Enfim, eu sou o Deus de sua família, o Deus da sua casa, o Deus de quem você sempre ouviu falar. As pessoas vivem os dias de hoje em busca de muitas novidades. Mas o Senhor, embora nos dê novidade de vida, quer nos falar daquilo que também já conhecemos. Ele quer nos mostrar que já faz parte de nossa história... 

Assim, Jacó é relembrado de que a presença de Deus já estava em sua família antes mesmo de ele nascer! Não te deixarei, até que cumpra o que tenho falado... (v.15) Deus tem um propósito para cada um de nós e este propósito é nossa salvação, nosso bem-estar, nossa santificação. Ele nos chamou para isso e nos criou para boas obras (Ef. 2.10). Portanto, Deus não desiste de nós durante todo o tempo de nossa vida. Havia muito o que fazer no caráter de Jacó. Ele passou por muitas coisas para aprender a honestidade e a retidão. Ele teve de fazer todo um caminho de volta. Mas Deus prometeu que estaria com ele. Às vezes pensamos que ser abençoado é ser liberto dos problemas de modo instantâneo, mas para ser um vencedor é preciso, efetivamente, vencer os obstáculos. Deus quer moldar nosso caráter, por isso ele nos faz ir por todo o caminho que sabe ser necessário. Mas ele promete estar conosco ao longo do percurso. Foi o que aconteceu com Jacó. Ele peregrinou em terras estrangeiras, passou por muitas situações, constituiu sua família. E no momento certo, Deus o trouxe de volta ao mesmo lugar de onde tinha saído, mas sob uma nova condição, com um novo caráter, uma vida amadurecida e transformada. E Jacó fez um voto (v.20) Jacó, despertando de seu sono, percebeu que o lugar onde estava era a casa de Deus! Ele ficou assustado com essa descoberta e disse: “Deus estava aqui e eu não sabia”. Pode ser que em nossas dificuldades, muitas vezes digamos algo similar: “Deus não me ouve”, “Parece que Deus me abandonou”, “Eu me sinto só”... Mas esses sentimentos são humanos e, portanto, enganosos. Deus nunca nos deixa, nem nos abandona. Nós é que não sabemos que ele está ali! Era o lugar onde Jacó estava, portanto, era ali que Deus estava também. Não importa onde você esteja, tenha certeza de que Deus também estará ali. Ele mora onde você mora e anda por onde você anda. Ele permanece com você a todo o tempo. Deus deu a Jacó um sonho, mas era tempo de despertar e seguir adiante, desta vez com a confiança da companhia divina. O travesseiro da fuga desesperada se transformou em altar. Somos convidados a fazer como Jacó e transformar o nosso problema em altar para a ação de Deus. O travesseiro, símbolo da noite maldormida de sua vida, pode se transformar num marco para sinalizar o momento em que Deus lhe deu um sonho para sonhar e viver. Jacó chamou àquele lugar Betel, casa de Deus, porta do céu. E ele fez um voto de que, se Deus fosse com ele, e o preservasse no caminho e o fizesse voltar, ele também seria fiel ao Senhor. Conclusão Depois de vários anos, Deus trouxe Jacó de volta à sua casa. 

Mas antes de entrar em sua terra, Jacó precisou atravessar um ribeiro. Ali, ele lutou com um anjo a noite toda. Pela manhã, ele disse ao anjo: “Eu não deixarei você ir se não me abençoar”. E o anjo mudou o nome de Jacó, o trapaceiro, para Israel, príncipe de Deus. Quando Deus trouxer a mim e a você ao lugar que ele tem para nós, ele também nos dará um novo nome, um novo caráter. Essa promessa está no livro de Apocalipse. Mas para isso temos de ser transformados, como Jacó foi. Ele pediu perdão a Esaú e reconciliou-se com sua família. Deus faz uma transformação completa no caráter de Jacó, preparando-o para viver à altura do novo nome recebido. Deus quer fazer o mesmo por nós. Ele nos assiste em nossas tribulações. Ele sabe a dureza do nosso travesseiro. Ele nos dá um sonho para sonhar. Ele nos mostra uma saída do alto. Ele promete estar conosco durante todo o tempo. E ele nos traz de volta num novo patamar de vida, de espiritualidade e de salvação. Como fez com Jacó, Deus quer fazer conosco. Nossa parte é entrar em aliança com ele, como Jacó fez. O resto é com o Senhor. 

Nossa fidelidade será recompensada com uma vida abençoada, na qual as batalhas poderão ser vencidas com o vigor de uma fé que conhece o Deus verdadeiro. Sonhe e viva os sonhos que Deus tem para você. Transforme as pedras de sua vida em altar ao Senhor. Suba a escada que Deus põe para você e veja os anjos a seu redor. A vida pode ser uma grande bênção, se tão somente permitirmos que o Senhor cumpra em nós seus planos supremos.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A Obra-prima da Criação

Algumas características que nos coloca como obra-prima da criação. Uma vez que Deus escolheu nos criar, somos preciosos aos seus olhos. Somos mais importantes do que os animais.

a) A imagem de Deus no Homem. O homem foi criado à semelhança de Deus, foi feito como Deus em caráter e personalidade. E em todas as Escrituras o ideal e alvo exposto diante do homem é o de ser semelhante a Deus. E ser como Deus significa ser como Cristo, que é a imagem do Deus invisível.

b) Parentesco com Deus. O homem, na verdade, tem um corpo feito do pó da terra, mas Deus soprou nas narinas o sopro da vida (Gen. 2:7); dessa maneira dotou-o de uma natureza capaz de conhecer, amar e servir a Deus. Por causa dessa imagem divina todos os homens são, por criação, filhos de Deus. Mas, desde que essa imagem foi manchada pelo pecado, os homens devem ser recriados ou nascidos de novo (Ef. 4:24) para que sejam em realidade filhos de Deus.

c) Caráter moral. O reconhecimento do bem e do mal pertence somente ao homem. A um animal pode-se ensinar a não fazer certas coisas, mas é porque essas coisas são contrárias à vontade do dono e não porque o animal saiba que estas coisas são sempre corretas e outras sempre erradas.

d) Razão. O animal é meramente uma criatura da natureza; o homem é senhor da natureza. Ele é capaz de refletir sobre si próprio e arrazoar a respeito das causas das coisas.

e) Capacidade para a imortalidade. A existência da árvore da vida no Jardim do Éden indica que o homem nunca teria morrido se não tivesse desobedecido a Deus. Cristo veio ao mundo para colocar o Alimento da Vida ao nosso alcance, para que não pereçamos, mas vivamos para sempre.

f) Domínio sobre a terra. O homem foi designado para ser a imagem de Deus com respeito à soberania; e como ninguém pode ser monarca sem súditos e sem reino, Deus deu-lhes tanto um "império" como um "povo". Em virtude dos poderes implícitos em ser o homem formado à imagem de Deus, todos os seres viventes sobre a terra estavam entregues na sua mão. Ele devia ser o representante visível de Deus em relação às criaturas que o rodeavam. 
“ Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra”. 
“Dominai sobre” é uma ordem para que seja exercida absoluta autoridade e controle sobre alguma coisa. Deus tem a palavra final sobre a terra e exerce o seu poder com amor e cuidado. Quando Deus delegou um pouco de sua autoridade à raça humana, esperava que esta assumisse a responsabilidade sobre o meio ambiente e as outras criaturas que compartilham o planeta. Não podemos ser negligentes ou devastadores ao cumprir esta função. Deus foi muito cuidadoso ao criar o mundo.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Sobre os Diáconos

O termo Diácono (do grego antigo “διάκονος” significa: ministro, servo, ajudante ou até auxiliar. A forma feminina chama-se Diaconisa. A origem do diaconato no capítulo 6 de Atos dos Apóstolos vale ressaltar que a palavra “Servir” no grego “Diakoneo” em (Atos 6:2) é exatamente a mesma palavra que se usa para designar o ofício isto é o serviço de um diácono na Igreja como em (1 Timoteo 3:10) que diz a palavra “sirvam” e em (Timoteo 3:13) que diz a palavra “servirem” que é o verbo correspondente para a palavra diáconos em (Filipenses 1:1) e também em (1 Timoteo 3:8) e (1 Timoteo 3:12).
A primeira menção na Bíblia de diáconos ocorre no livro de Atos dos Apóstolos onde são eleitos os Sete Diáconos (Atos 6:3) dentre eles: Estevão, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Parmenas e Nicolau (Atos 6:5) para servir as mesas, isto é fazer o trabalho social, servir todo o povo mais em especial os mais carentes como por exemplo as viúvas (Atos 6:1) naquela Igreja e naquela região onde eles estavam, isto pelo fato de o número de discípulos terem aumentado bastante (Atos 6:1), Então estes 7 homens foram escolhidos para este tão grande ministério para ajudar os Apóstolos, isto é para aliviar o peso de seus ombros, porque os Apóstolos não poderiam abandonar o ministério da palavra para servir o povo (Atos 6:2) e o interessante é que não poderia ser qualquer um porque para ser um Diácono existe alguns requerimentos de suma importância, requerimentos indispensáveis, requerimentos essenciais para ser um Diácono segundo a vontade de Deus.
1º – Requerimentos para ser um Diácono de Exelência:
(Atos 6:3) Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.
A Bíblia é clara em nos dizer que são homens de Boa Reputação, que significa ter um bom conceito ou uma boa fama emitida pelo público ou pela sociedade em que ela vive. Existe uma frase na boca do povo que diz: “Minha reputação sempre chega antes de mim.” Ter uma boa reputação significa ser uma pessoa de renome ou prestígio, podemos entender isso por exemplo quando as pessoas dizem que você sempre foi um homem ou uma mulher de caráter. Ter uma boa reputação é o mesmo que ter um bom testemunho, isto quer dizer que as pessoas sempre quando ouvirem ou falarem do seu nome sempre irão mencionar coisas boas, que você disse e fez naquela região. Ter uma boa reputação significa ter um nome a se zelar, e isto consequentemente gera um consideração das pessoas quando o assunto é você.
A Bíblia diz que tem que ser Cheios do Espirito Santo, para ter uma definição correta para isto precisamos entender que para construir bons relacionamentos, é preciso dedicar tempo e atenção. Quanto mais me dedico, mais o relacionamento se fortalece. Por outro lado, quando não dedicamos tempo e atenção, este relacionamento enfraquece, podendo trazer consequências. Assim é o relacionamento com o Espírito Santo. O Apóstolo Paulo em sua carta a Igreja de Éfeso ele nos aconselha no final do versículo (Efésios 5.18) “Enchei-vos do Espirito Santo”. É algo recíproco. Se dedicarmos tempo e atenção ao Espírito Santo, ele vai enchê-lo. Ele não irá forçar um relacionamento. O Espírito Santo não entrará em nossas vidas sem ser convidado. Mas estará disposto a retribuir tempo e atenção quando nos dedicarmos a ter um relacionamento intenso com Ele. Ser cheio do Espirito Santo significa ter intimidade, ter um relacionamento, ter um compromisso, ter uma amizade com ele. É o mesmo de ser cheio das coisas de Deus e vazio das coisas do mundo. É ter interresse naquilo que é de Deus, buscar essas coisas, é abraçar a fé de verdade.
A Bíblia diz que tem que ser Cheio de Sabedoria, Que é a uma Inteligência extraordinária da parte de Deus, também pode se dizer que é a Capacidade de entender as coisas sobrenaturalmente fazer o certo na hora certa, simplesmente porque viu alguém fazer. É ter qualidade ao falar, ao instruir, ao expor algo. Em fim é uma habilidade para agir de maneira certeira, ser cheio de Sabedoria é ter o conhecimento profundo das coisas. Muitas vezes mesmo sem ter vivido a experiência na pele, saber como fazer e oque fazer. Ser cheio da Sabedoria é ter a compreensão e a transmissão das coisas profundas de Deus. Ser Cheio de Sabedoria não significa que você é perfeito, mais sim que você é uma pessoa que a cada dia mais busca Sabedoria que vem de Deus, e que na maioria das vezes está cheio dela em sua vida. Cheio de Sabedoria no falar, no agir, no articular, no olhar, no andar, no vestir e etc.
(1 Timóteo 3:8) Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância;
Honestos: Uma pessoa que não há nada para ser repreendido, um homem que sabe em que caminho pisa e o que faz, não se contenta com a desonestidade, um homem que faz o que é certo aos olhos de todos, uma pessoa Justa, que faz o bem.
Não de Língua Dobre: Uma pessoa que não tem 2 palavras, mais que sabe oque fala, uma pessoa que não faz fofoca, uma pessoa que tem uma palavra correta e direcionada, que tem uma palavra certeira em seus lábios. Uma pessoa que honra a sua palavra.
Não Dados ao Vinho:  isto é, não deve ser junto, unido, próximo, inseparável, do vinho. Ou seja, o Camarada não pode ter vicio pelo vinho, não pode beber vinho desenfreado, Não pode embriagar-se com vinho.
Não Cobiçosos da Ganância: Não almeja, não quer somente lucros, não pensa em sempre ganhar alguma coisa depois de servir. Que não tem desejo de estar sempre a frente, se mostrando. Que não deseja a ganhar nada com o que faz porque faz por amor.
(1 Timóteo 3:9) Guardando o mistério da fé numa consciência pura.
Ministério da Fé: Uma pessoa que acredita em Deus, que não se curva diante de qualquer situação ruim ou de dificuldade, uma pessoa que acredita em uma solução mesmo diante de uma grande problema, uma pessoa que acredita que tudo pode se resolver e se encaixar em seu devido lugar. Uma Pessoa que Crê em um Deus que realiza o impossível. Enquanto todos já desistiram você ainda acredita e espera uma resposta de Deus.
Consciência Pura: Uma pessoa com a mente limpa, que não a acusa, uma pessoa com uma mente pura e limpa e não impura e suja. Uma mente sem malicia que em tudo vê pureza, vê solução, vê resultado, vê a mão de Deus operando. Uma Mente renovada, transformada, restaurada, edificada e sarada por Deus.
(1 Timóteo 3:10) E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis.
Primeiro Provados: Isto significa que para ser diácono tem que ser antes observado, tem que ser provado para ver se merece tal cargo, tem que ser tentado para provar que não irá se submeter a tentação, antes de assumirem o cargo tem que ser testados, vigiados, observados para que se resistirem as tentações possam servir na Igreja.
Irrepreensiveis: isto é, um homem que não há nada para ser repreendido, um homem que sabe em que caminho pisa, um homem que faz o que é certo aos olhos de todos, e é fiel a palavra de Deus. Merecedor de Respeito, que Impõe Respeito, Formidável, extraordinário, temeroso, descente, estimável, temível.
(1 Timóteo 3:11) Da mesma sorte as esposas sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo.
Esposas Honestas: Uma mulher que não há nada para ser repreendida, uma mulher que sabe em que caminho pisa e o que faz, não se contenta com a desonestidade, uma mulher que faz o que é certo aos olhos de todos, uma mulher Justa, que faz o bem.
Não Maldizentes: Que não murmura, que não fala mal dos outros, que não tem o habito ou a mania de falar mal de alguém ou de alguma coisa, que não critica mais pelo contrario, que fala bem, que sabe extrair coisas boas de alguém. Uma pessoa positiva com palavras positivas.
Sobrias:  isto é, aquela mulher que não está bêbada, aquela que não tem distúrbio físico ou mental por ingerir bebida com álcool ou até drogas. Moderada no comer e no beber. Uma pessoa Sã. Uma pessoa que está sempre bem, e de bem com a vida.
Fieis em Tudo: Fiel a Deus, a sua Palavra, ao Esposo, a Igreja, ao Pastor, aos amigos e etc.
(1 Timóteo 3:12) Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.
Marido de uma só mulher: isto é, ele deve ser um homem casado com uma mulher, não duas, muito menos três, apenas uma mulher. Tem que ter um casamento Monogâmico e não Polígamo.
Governe bem seus filhos e sua casa: isto é, Cuidar da sua esposa e dos seu filhos de modo agradável diante de Deus, ele tem que ter sua família submissa a Deus, ele tem que ter autoridade diante da esposa e dos filhos como o Cabeça da sua casa, ele tem que ter filhos obedientes. E tem que ensinar o caminho certo a sua família.
(1 Timóteo 3:13) Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.
As recompensas para quem for um diácono que serve com maestria na Igreja, a palavra de Deus garante que eles terão uma boa posição isto é uma posição de destaque, uma posição considerável para todo o povo de Deus, eles serão pessoas de confiança quando se tratar da Fé em Deus, quando se tratar de um homem ou uma mulher de Deus. Os diáconos que servirem com dignidade, com amor, com fé, com coragem, com vontade eles serão exaltados por Deus. A Bíblia diz que aquele que quer ser o primeiro será o ultimo e servo de todos (Marcos 9:35), se os Diáconos forem servos eles serão os Primeiros para Deus.
2º – Paulo menciona os Diáconos em sua carta aos Filipenses:
(Filipenses 1:1) Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:
Paulo neste versículo enfatiza que essa carta para a Igreja que está na cidade de Filipos além de ser dedicada a todos os crentes é especialmente para os bispos e os diáconos, por isso é muito importante que o Diácono leia atentamente a Carta do Apostolo Paulo aos crentes Filipenses.
Lembrando que a “Epístola aos Filipenses” assim é conhecida a carta que o apóstolo Paulo redigiu ou escreveu aos habitantes de Filipos que foi uma cidade importante no Império Romano por causa de sua localização geográfica na região montanhosa entre a Ásia e a Europa. Foi uma Cidade da Macedônia fundada por Felipe II, pai de Alexandre, o Grande, no ano 358 a.C. Vale ressaltar que Filipos foi a primeira cidade da Europa que ouviu a pregação de um Missionário Cristão (Atos 16:6-40).
Os 6 Principais temas, fatos e acontecimentos dessa carta são:
1º Paulo ora pelos Filipenses. (Filipenses 1:1-11)
2º As cadeias de Paulo fazem com que o evangelho avance. (Filipenses 1:12-26)
3° Cristo é modelo de humildade. (Filipenses 1:27 à Filipenses 2:18)
4º Paulo louva a Timóteo e Epafrodito. (Filipenses 2:19-30)
5º Exortação ao conhecimento e à paz de Cristo Jesus. (Filipenses 3:1-4,20)
6° Saudações finais. (Filipenses 4:21-23)
(Filipenses 1:2)Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai e da do Senhor Jesus Cristo.
Paulo como de custume em suas cartas sempre comprimenta o povo com a Graça e a Paz de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo, declarando a Graça de Deus sobre nossos vidas que é o favor imerecido de Deus para o homem, e profetizando a Paz de Deus que excede todo entendimento e guarda nossos corações e pensamentos em Jesus Cristo (Filipenses 4:7).
(Filipenses 1:3)Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós,
Sempre que vinha a memoria de Paulo a Igreja de Filipos ele se alegrava e dava graças a Deus, porque a Igreja estava indo bem, todo mundo até então estava fazendo suas obrigações, os irmãos comparecendo aos cultos, os Bispos supervisionando toda a Igreja e o os Diaconos servindo com grande alegria e sempre fazendo sua parte.
(Filipenses 1:4)Fazendo sempre com alegria oração por vós em todas as minhas súplicas,
Ao escrever esses versiculos a alegria de Paulo era notavel, ele declara que suas orações e suplicas a Deus pela Igreja de Filipos eram sempre orações e suplicas com alegria, com felicidade, quando ele diz a palavra “sempre”, isso indica a persitencia, e a continuidade nas orações e súplicas por aquela Igreja. Vale a pena entender a diferença entre Oração: Uma conversa, um agradecimento. E Súplica: Uma oração feita com insistência e submissão.
(Filipenses 1:5)Pela vossa cooperação no evangelho desde o primeiro dia até agora.
Paulo orava e suplicava a Deus agradecendo com alegria pelo trabalho, pelo proceder, pela obra que todos estavam fazendo naquela cidade em especial os Bispos e os Diaconos. Quando ele diz “cooperação no evangelho” ele está dizendo sobre o trabalho na obra do Senhor, indica o trabalho do obreiro, neste caso o Diácono. Quando ele diz “desde o primeiro dia até agora”, Paulo esta indicando que a obra de Deus não parou, pelo contrario, ela permaneceu naquele lugar. Entendemos que aqueles membros, aqueles Bispos e Diáconos tinham uma cobertura espiritual de oração.
(Filipenses 1:6)Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo;
Aqui Paulo fala de algo muito intimo, ele diz que “aquele”, isto é Deus Pai que começou uma “boa obra”, isto é a transformação do homem através do Evangelho na vida deles, “aperfeiçoará”, isto é ajustará ou terminará até o “Dia de Jesus Cristo”, isto é até a volta de Cristo quando ele nos transformar (1 Coríntios 15:51), e nos dar a estatura de varão perfeito (Efésios 4:13) com um corpo glorioso (Filipenses 3:21). Quando Paulo diz “Aperfeiçoará” ele está indicando o ministério dos Obreiros na casa do Senhor, por que os obreiros são instrumentos do Pai para aperfeiçoar a Igreja para o dia de Jesus Cristo conforme está escrito em (Efésios 4:11-13), quando diz que “Ele mesmo” isto é o Pai deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.
3º – A Escolha dos Diáconos, e o reconhecimento do diaconato como ministério:
Lembrando que Ministério é um trabalho, no caso da Igreja uma função eclesiástica exercida por aqueles que são biblicamente ordenados. Em (Atos 6:6) concluímos que os diáconos também são ministros. Eis algumas razões que nos darão base para afirmar que os diáconos são integrantes obreiros do ministério cristão:
  1. a) A instituição do diaconato foi uma resposta a necessidade da Igreja
A Igreja cresceu e novos membros apareceram, e como toda igreja problemas eram inevitaveis, e os crentes gregos começaram a reclamar porque estavam percebendo que suas viuvas estavam sendo esquecidas (Atos 6:1), mais os 12 Apostolos não poderiam abandonar a pregação da palavra, nem a propagação do evangelho, nem o ensino da palavra para fazer o trabalho de servir as mesas que seria o trabalho social, de estar cuidando e dando atenção as pessoas carentes em especial as viuvas, por isso eles convocaram todo o povo da Igreja e explicara a situação (Atos 6:2).
  1. b) A instituição do diaconato foi sugestão dos Apóstolos
Assim como os apóstolos haviam sidos chamados para auxiliar a Jesus, da mesma maneira foram os diáconos separados para ajudar os apóstolos e os pastores. Lembrando que os diáconos foram chamados justamente para ajudar o anjo da igreja no serviço ministerial independente de qual seja. E naquela mesma ocasião os Apóstolos ordenaram para que a Igreja escolha 7 homens com certas qualidades e gabaritos exemplares (Atos 6:3), para que eles pudessem perseverar na oração e no ministério geral da palavra de Deus (Atos 6:4).
  1. c) Os Diaconos foram escolhidos pela Igreja
Essa escolha contou com o apoio de toda a Igreja. Não foram os sete homens separados em segredo ou em secreto pelos apostolos, mas escolhidos pela Igreja e consagrados perante toda a congregação pelos Apostolos. Isto significa que foram escolhidos para o ministério com a concordancia da Igreja e da Liderança da Igreja. Interessante que a Igreja examinou um por um e os separou para esse grande ministério (Atos 6:5-6).
  1. d) Os diáconos receberam a imposição de mãos dos Apostolos
Ai está a prova cabal do diaconato como um ministério na classe dos obreiros, porque depois de escolhidos pela Igreja apresentados aos apostolos eles receberam uma oração de posse e a imposição de mãos dos proprios Apostolos (Atos 6:6). A imposição de mãos é uma forma de abençoar, uma forma de enviar, uma forma de consagrar para o ministério. Da mesma forma com imposição de mãos foram enviados Barnabé e Saulo como Missionários pelos Apostolos por ordem do Espirito Santo (Atos 13:2-5).
4º – A Função de um Diácono na Igreja:
A função do Diácono é servir, é ser servo. Quando Paulo escreve aos Diáconos ele diz: Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus (1 Timóteo 3:13), quando ele diz “Porque os que servirem bem”, ele está falando daqueles diáconos que fizerem o seu serviço com maestria, com destreza, com audácia, com coragem, com força, com foco. Eles irão adquirir com seu próprio suor uma Boa posição na Igreja e um Cargo de muita Confiança com seu Pastor e com todos os membros.
Servir é algo que todo cristão deve fazer vejamos alguns exemplos:
a Biblia diz para servirmos uns aos outros (Gálatas 5:13)
a Biblia diz para honrarmos uns aos outros (Romanos 12:10)
a Biblia diz para amarmos uns aos outros (João 15:17)
a Biblia diz para recebermos uns aos outros (Romanos 15:7)
a Biblia diz para sujeitarmos uns aos outros (Efésios 5:21)
a Biblia diz para admoestarmos uns aos outros (Romanos 15:14)
a Biblia diz para saudarmos uns aos outros (2 Coríntios 13:12)
a Biblia diz para consolarmos uns aos outros (1 Tessalonicenses 4:18)
a Biblia diz para confesarmos uns aos outros (Tiago 5:16)
a Biblia diz para levarmos as cargas uns dos outros (Gálatas 6:2)
a Biblia diz que somos membros uns dos outros (Romanos 12:5)
a Biblia diz que o Maior será o servo (Mateus 23:11)
A Biblia em todo o seu contexto sempre vai nos ensinar e nos dar uma infinidade de exemplos para servirmos uns aos outros idependente da situação ou circunstancia. A Biblia diz para recebermos os fracos na fé (Romanos 14:1) e diz também que nós que somos fortes devemos suportas os fracos (Romanos 15:1) e tudo isso é servir um ao outro. Concluimos que servir é para todos que são crentes em Jesus Cristo e tem a Biblia como Manual de Conduta e Regra de Fé. Mais o Ministério do Diácono em sí tem como foco servir, de dar exemplo de como servir, de ser servo. Lembrando que o próprio Senhor Jesus foi o nosso maior exemplo de ser um servo, ele mesmo disse que se ele sendo Senhor e Mestre lavou os pés dos discípulos assim também façam isso uns com os outros (João 13:14), outra passagem nos mostra o maior exemplo de humildade e servidão quando diz para fazermos o mesmo que Jesus Cristo fez, que ele mesmo sendo Deus não teve por usurpação ser igual a Deus mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens, e achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome (Filipenses 2:5-9).
Se você for servo Deus irá te exaltar. Vale ressaltar a parte que diz: “Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;” (Filipenses 2:7). Ele tomou forma de servo, e é isso que devemos fazer, mais principalmente os Diáconos eles tem que dar exemplo de como servir com maestria.
Uma Função que não é fácil mais que é muito gratificante, ser Diácono consiste em aliviar a carga que está sobre os ombros do seu Pastor, vejamos aqui alguns exemplos, levando em conta que nem todos esses exemplos serão uma necessidade em sua Igreja, e também não significa que você terá que fazer tudo isso todos os dias, por exemplo: Abrir a Igreja mais cedo, Limpar a Igreja, Tirar a poeira dos bancos, Afinar Instrumentos, Regular o Som, Recepcionar as Pessoas, Sempre estar com um Sorriso nos Lábios, Anotar o Nome e Telefone dos Visitantes, Chamar atenção das crianças que estão atrapalhando o culto ou chamar a atenção dos pais delas sempre com carinho e respeito, Iniciar o Culto com uma rápida Oração ou uma pequena Palavra, Levar água para o Pregador, Fiscalizar como estão sendo gastados os Copos Descartáveis, Fechar a Igreja e Etc… Ufa!!!
Você está dizendo neste momento “Com esse tanto de coisa Eu desisto de ser um Diácono”, Calma!!! Você não é o primeiro e nem será o ultimo! Você não é o unico! O Diaconato não está baseado em uma unica pessoa mais sim em um grupo de pessoas, uma equipe! Na Biblia quando se instituiu os diaconos foram logo 7 pra começar, porque sabiam que não seria facil. É por isso que vale lembrar aquele grande versiculo da Biblia “Quem quer ser o primeiro será o ultimo e servo de todos” (Marcos 9:35), lembrando que esse versiculo nos dá dois entendimento e o segundo entendimento é que “Se você for o ultimo e servo de todos será o Primeiro”.
5º – Um exemplo claro de um Diácono de Exelência chamado Estevão:
Estevão é um nome grego e que significa o que tem uma coroa, ou coroado isso simboliza alguém que venceu um concurso, venceu uma batalha, alguém que é vitorioso e é premiado com uma coroa. Estevão ficou conhecido pela história como o homem que fez a melhor e a maior pregação do novo testamento relatada na Bíblia e também como o Primeiro Mártir, isto é o primeiro a morrer por amor a Jesus na história da humanidade. Só lembrando que ele era um Diácono. Agora aperte os cintos e vamos viajar na história de um dos homens mais fantásticos da Bíblia Sagrada.
(Atos 6:5) E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia;
Estevão foi um dos escolhidos para preencher uma vaga dentre os sete diáconos que a Igreja precisava (Atos 6:3), e o mais interessante é que ele foi o primeiro a ser escolhido por toda a Igreja isso pelo fato de ele ser “Cheio de Fé” e “Cheio do Espirito Santo” (Atos 6:5), Lembrando que para ser Diácono teria que ser “Cheio do Espirito Santo” e “Cheio de Sabedoria” (Atos 6:3).
Estevão além de ser “Cheio de Fé” e “Cheio do Espirito Santo” (Atos 6:5) era “Cheio de Sabedoria” (Atos 6:10). Até aqui o Diácono Estevão já tem um ponto a mais que os outros.
(Atos 6:8) E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.
Estevão mais uma vez surpreende e a Biblia diz que ele além de ser “Cheio de Fé” ele é “Cheio de Poder” e fazia “Prodigios” e “Grandes Sinais” no meio do povo. Aqui entendemos que Estevão tinha coisas a mais que os outros Diáconos, Estevão ultrapassou todos os requerimentos, Ele era mais dedicado, Ele era mais estudioso, Ele buscava mais do que os outros, Ele tinha mais intimidade com Deus. E isso causou inveja nos outros porque ele se destacava, não porque queria se destacar ou estar em evidencia, mais sim porque ele era tão intimo de Deus e conhecia tanto a sua palavra que era inevitavel não notar isso nele.
(Atos 6:9) E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos libertinos, e dos cireneus e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Asia, e disputavam com Estêvão.
Os Libertinos são homens devassos, dissolutos, depravados, que atua com libertinagem. Aqueles que é desregrado em sua conduta, pessoas livre da disciplina. Eles não aceitavam uma palavra dura, ou que impunha regras ou limites.
Os Cireneus eles eram os problematicos pois não podiam ouvir uma mensagem falando de renovação, mudança de vida, transformação de conduta ou coisas do tipo, isso seria um grande motivo para eles ficarem indignados e afetados. Apezar de um Cirineu chamado Simão ter ajudado Jesus a carregar a Cruz não significa que todos os cirineus nascidos na cidade de Cirene na Etiópia-Africa, seriam da mesma maneira.
Os Alexandrinos se sentiam os melhores, os politicamente corretos eles se achavam os privilegiados, eles se sentiam acima dos outros e se ofendiam com todo tipo de mensagem contraria aos seus próprios conceitos. Eles são daqueles que reclamam do barulho, eles eram daqueles que inventavam qualquer desculpa para se mostrarem indignados.
Os da Cilicia são os escandalosos, os barraqueiros que gritam, resmungam, desafiam, ameaçam, desrespeitam as pessoas idependente de quem seja, para eles não existe meio termo, são os ignorantes, são os famosos oito ou oitenta. Mesmo com uma opnião formada errada, não está disposto a ouvir o contraditório, ou a segunda opnião. Se possivel morrem errados sabendo do erro mais não assume.
Os da Asia são aqueles que te deixam na mão, que abandonam os amigos no momento que eles mais precisam, são aqueles que por qualquer situação negativa saem e vão em bora, eles são medrosos, são incredulos, são covardes.
Eram esses os grupos de pessoas que começaram a disputar com Estevão, eles queriam a atenção, queriam o brilho que Estevão tinha, por isso se levantaram contra ele cada um com seu cobiça, não suportavam ver um Jovem recém consagrado a Diácono ter a Unção de um Grande Pastor, se destacar entre os demais. Então começaram com uma especie de porfia para o lado de Estevão, uma competição, uma discussão, mais Estevão estava cheio do Espirito Santo.
(Atos 6:10) E não podiam resistir à sabedoria, e ao Espírito com que falava.
O quinteto da incredulidade não era maior que o Espirito Santo enchendo a vida de Estevão e nem maior que o amor que ele tinha por Jesus em seu coração. E eles não conseguiam debater com Estevão, não conseguiam argumentar contra os fatos de Estevão pois ele era um homem cheio de Sabedoria e eles não podiam resistir a autoridade que Estevão falava, pois Estevão estava cheio do Espirito Santo e tinha convicção no que dizia. Então como não poderiam ir para o debate de ideias, pois não tinham argumentos o suficiente e já sabiam que estavam errados e perdidos, apelaram para a mentira e contrataram falsas testemunhas do mesmo modo pelo qual Jesus foi condenado e foi crucificado.
(Atos 6:13) E apresentaram falsas testemunhas, que diziam: Este homem não cessa de proferir palavras blasfemas contra este santo lugar e a lei;
As palavras de Estevão eram certeiras, certas, corretas. Estevão tinha o conhecimento profundo da palavra de Deus, ele conhecia a fundo as escrituras e para tudo Estevão tinha um sentido ou uma logica, Estevão em sua poderosa pregação havia muito conteúdo, havia provas irrefutáveis daquilo que ele pregava. Ele pregava com Sabedoria de Deus e com o Conhecimento da Palavra. Por isso surgiam inimigos o tempo todo. Tudo que Estevão falava chegava em Jesus, pois Estevão era um pregador Cristocêntrico porque tinha Cristo como o foco de sua mensagem, e isso incomodava os invejosos. Eles reuniram suas falsas testemunhas, e acusaram Estevão de Blasfêmia contra o Santo Lugar e contra a Lei. Tudo isso porque Estevão era irrepreensível em suas palavras, quando os nossos inimigos não conhecem a Palavra de Deus e muito menos conhecem o Deus da palavra eles partem para ignorância.
(Atos 6:15) Então todos os que estavam assentados no conselho, fixando os olhos nele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo.
Enquanto Estevão pregava a palavra e expunha as escrituras com ousadia diante de todos aqueles contrarios a Jesus e ao Evangelho, seu rosto brilhava de uma forma que todos ficavam com os olhos fixados na face de Estevão e o mais interessante é que todos viram que seu rosto era semelhante ao rosto de um anjo. Estevão tinha nele o brilho da presença de Deus, ele tinha a presença do Espirito Santo em sua vida. Os pregadores nos dias de hoje precisam ter essas qualidades de Estevão, eles precisam ter essa Sabedoria, esse Conheciamento, precisam serem Cheios do Espirito Santo, Cheios de Fé, Cheios do Poder e ter esse Brilho da presença de Deus em seu rosto.
(Atos 7:51) Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais.
Homens de dura cerviz, assim o Senhor definia os filhos de Israel no deserto. Cerviz é o mesmo que nuca, a parte posterior do pescoço. Quem lida com gado sabe que o animal que tem dura cerviz não é apropriado para receber a canga (peça de madeira encurvada), logo não será muito útil para o trabalho no campo, porque não se submete ao comando do boiadeiro. Pessoas que endurecem o coração para Deus, pessoas que não respeitam, não se prostam perante Deus, não se curvam diante de Deus. O termo pode ser subistituido por “Cabeça Dura”.
Incircuncisos de Coração e Ouvido, vale ressaltar que a palavra circuncisão significa a remoção do excesso de prepúcio, pratica dos povos que vivem no deserto devido à falta de água para higiene, faz parte de um dos rituais religiosos do judaísmo. Pratica religiosa conhecida como “berit miláh” que significa aliança da circuncisão, era um pacto que os homens faziam com Deus. Esta cerimônia religiosa deve acontecer até o oitavo dia após o nascimento. O próprio Jesus pertencendo ao judaísmo passou por este ritual da circuncisão realizado no templo de Jerusalém. Nos nossos dias seria a mesma coisa que a cirurgia de fimose. Então quando a palavra diz “Incircuncisos” está se referindo a alguém que não pertence ao povo de Deus. Quando ele diz incircuncisos de coração e ouvidos, ele estava dizendo de homens que não entregaram seu coração para Deus, isto é sua vida para Deus, e nem seus ouvidos para ouvirem a palavra e a voz de Deus. Estevão estava dizendo em outras palavras que eles não conheciam a Deus de verdade, e não eram povo de Deus.
Sempre Resistis ao Espirito Santo, isso porque eles nunca davam ouvidos a voz do Espirito de Deus, eles resistiam ao Espirito Santo, isto é a Obra de Deus. Eles impediam a obra de Deus por causa da sua incredulidade, por causa de sua carnalidade eles sempre atrapalhavam o agir do Espirito Santo. Não aceitavam o mover, e por isso sempre estavam errados. Em vez de observarem a vida dos Patriarcas, dos Profetas, dos Reis, dos Juizes isto é, seus pais ou antepassados e aprenderem com os erros deles, faziam totalmente ao contrario pois eles tinham o modelo, poderiam muito bem olhar os erros que eles cometeram e fazer diferente, da maneira correta, mais não eles eram ignorantes, homens de nariz impinado, homens que queriam ter aparencia de perfeição, homens que não queriam estar sujeitos ao erro. E isso atrapalhava muito a obra do Senhor naquele lugar.
(Atos 7:54) E, ouvindo eles isto, enfureciam-se em seus corações, e rangiam os dentes contra ele.
Quanto mais o Diácnono Estevão pregava a palavra e falava de Cristo, eles ficavam com mais raiva, com mais odio, com mais repudio e ficavam com um olhar de furia mortal para com Estevão, eles ficavam tão furiosos a ponto de ranger os dentes contra Estevão, isto é querer agredi-lo e até mata-lo, por causa da sua mensagem profética. Estevão não falava aquilo que eles queriam ouvir, mais Estevão como um bom homem de Deus falava aquilo que ele precisavam ouvir, e isso para eles era uma afronta mortal.
(Atos 7:55-56) Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus; E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.
No final da mensagem Estevão ainda cheio do Espirito Santo, olhou para cima e fixou os olhos no Céu e viu a famosa e tão falada Glória de Deus e viu também o Senhor Jesus Cristo que estava a direita do Pai, então no mesmo momento daquele visão, Estevão disse a todos presentes oque ele estava vendo e presenciando naquela hora. Estevão naquele momento viu a glória de Deus, e o mais interessante disso é que nem moisés viu a glória de Deus (Êxodo 33:20-23), mais Estevão sendo um Diácono viu a Glória de Deus. A pregação de Estevão inspirada pelo Espirito Santo estava tão linda e perfeita que o próprio Deus abriu os Céus e estava assistindo pessoalmente aquela pregação e o Senhor Jesus estava de pé ouvindo e vendo Estevão pregar com ousadia.
(Atos 7:57-58) Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele. E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.
Mais mesmo assim a incredulidade e a ignorância dos homens eram mais fortes do que eles mesmos, e gritaram bem alto com arrogância contra Estevão e tamparam os ouvidos para não ouvirem mais nada, e todos atacaram Estevão com grande fúria e covardia pois Estevão em muitos, já Estevão estava com a cara e a coragem, e expulsando ele o levaram para fora da cidade e começaram a apedrejar o Jovem corajoso. As falsas testemunhas pegaram a capa de Estevão e jogaram no chão aos pés de um Jovem chamado Saulo o futuro Apóstolo Paulo, isto significa que era uma indicação para Saulo seguir os passos de Estevão, era a simbologia da Capa de Elias passada para Eliseu (2 Reis 2:13-14), e assim sucedeu depois.
(Atos 7:59-60) E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.
Enquanto Estevão estava sendo apedrejado pelos ignorantes, ele invocava ao Senhor Jesus que estava em pé vendo ele, e dizia Recebe o meu Espirito, porque ele sabia que a carne é pó e ao pó retornará (Gênesis 3:19), mais o Espirito volta para Deus porque foi Deus que o deu (Eclesiastes 12:7), e no ultimo momento ele se pôs de Joelhos enquanto invocava ao Senhor Jesus e recebia pedradas, e disse as mesmas palavras que Jesus disse antes de morrer (Lucas 23:34), Senhor não lhes imputes este pecado, ou seja, Senhor perdoa eles porque não sabem verdadeiramente oque estão fazendo, e tendo disto isso faleceu. Estevão amava tanto Jesus que até na hora da morte ele fez o mesmo que Jesus fez.
(Atos 8:1-2) E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos. E uns homens piedosos foram enterrar Estêvão, e fizeram sobre ele grande pranto.
Saulo que seria o Futuro Paulo naquele momento consentindo concordou, aceitou e aprovou a morte de Estevão. Mau sabia Saulo que a poucos dias daquele acontecimento Jesus lhe apareceria no caminho de Damasco e o derrubaria do cavalo. Saulo no dia da morte de Estevão juntamente com os outros perseguiram brutalmente os cristãos, de forma que todos estavam com medo e não conseguiam ficar parados, indo de casa em casa, e cidade em cidade fugindo dos perseguidores, exceto os Apóstolos porque tinham uma fé alicerçada e firmada em Cristo. E alguns homens piedosos provavelmente uns bons samaritanos sepultaram Estevão e lamentaram a morte dele com grande pranto. Choraram e se lamentaram naquele dia porque um grande Homem de Deus que virou exemplo para todos naquele dia falecera.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...