terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Jardim Fechado

Cântico dos Cânticos apresenta-nos uma história maravilhosa de um casal perfeito: Salomão e Sulamita. Mais do que uma simples história, esse livro mostra-nos o grande amor de Deus por Sua Amada noiva: a Igreja, representados por Salomão e Sulamita.

A Igreja não é um local fixo, mas é o corpo de Cristo (Cl 1:24)! Este corpo é formado por vários membros (Ef 5:30) e cada membro é um amado irmão. Você que recebeu o Senhor como seu Salvador, é um membro do corpo de Cristo. Você é a Igreja! Portanto, a Sulamita de Cânticos representa a Igreja no aspecto coletivo, mas cada um de nós também é a Sulamita no aspecto individual.

Nesse texto, vamos abordar alguns pontos do livro de Cântico dos Cânticos relacionados à nossa vida como jardim particular de Deus. Se você ainda não leu o livro de Cântico dos Cânticos todo, encorajo a desfrutar dele! São apenas oito capítulos com conteúdo riquíssimo. Após ler, com certeza você ficará ainda mais tocado pelo amor de Cristo! Seu amor é incomparável!

Rosa de Sarom e Lírio dos Vales

Então, começamos citando o início do versículo 1 do capítulo 2, onde a Sulamita afirma: “Eu sou a rosa de Sarom(…)”.
A rosa é uma flor muito delicada, com pétalas macias, com suave fragrância e que representa de forma forte, o amor. Ela tem muitas características positivas, mas também tem espinhos.
Contudo, quando Sulamita disse que era uma rosa, provavelmente ela não o fez de forma negativa, pensando nos espinhos, mas tendo em mente a maravilha que essa flor é. Na nossa experiência, muitas vezes quando olhamos para nós, ao invés de lembrarmos os nossos aspectos positivos, focamos nos espinhos que temos (nos nossos defeitos).
Não conseguimos perceber, em certos momentos, o quão valioso somos para nosso Amado, as qualidades que Ele nos deu e o quanto Ele nos ama! Seus olhos para nós são olhos de amor e de muita misericórdia! Sulamita disse, com convicção, que era uma rosa e durante os demais capítulos de Cânticos ela expressa pensamentos positivos a seu respeito. Ela sabia que era verdadeiramente amada e valorizada pelo seu Amado Salomão! Somos verdadeiramente amados por Cristo! Isso vai muito além de sentirmo-nos amados, pois os sentimentos muitas vezes nos enganam dizendo-nos o contrário. Sermos amados por Cristo é simplesmente uma maravilhosa realidade! Apesar das nossas dificuldades, Ele não vê defeito em nós! Podemos declarar com convicção: “Deus não vê defeito em mim!”.

“Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito.” Ct 4:7
Ainda no versículo de Ct 2:1, Sulamita diz que é também: “(…) o lírio dos vales.” Como continuação, no versículo 2, Salomão complementa: “Qual lírio entre os espinhos, tal é a minha querida entre as donzelas.”.

É de suspirar ouvir tais palavras! O lírio é uma flor muito singela. Ele é lembrado como flor que remete à pureza – e pureza é algo muito importante no relacionamento com o Senhor (2 Co 11:3).
Essa flor especial tem uma substância chamada feniletilamina que estimula a produção de endorfina pelo organismo humano, o que nos traz tranquilidade e bem-estar. O Senhor sente prazer tendo a nossa presença!! É muito especial ver que Ele nos compara a itens tão maravilhosos da sua criação!
Eu como Jardim fechado de Deus!

Além de sermos comparados a flores do Senhor, somos também o Seu Jardim fechado por completo!
“Jardim fechado és tu, minha irmã, noiva minha […]” Ct 4:12

Somos Jardim, mas Jardim fechado! A palavra “fechado” indica restrição. Um jardim não é uma praça, não é um bosque, não é um parque de diversões. Um jardim é um lugar exclusivo. Em um jardim particular (onde não se tem objetivo de vender o que a terra produz), o jardineiro não fica ali negociando com clientes, nem permite que seja aberto em certo horário para passeios de pessoas estranhas. No jardim, o jardineiro descansa! No jardim, o jardineiro tem prazer de estar. Ele respira profundamente, sonha, alegra-se, orgulha-se do trabalho de suas mãos, admira a beleza da sua propriedade, se delicia com os frutos que a terra produz. Da mesma forma, nosso Amado Senhor sente-se muito à vontade em ter a nossa presença! No jardim Ele pode “mudar as flores de local”, “colher os frutos”, “preparar a terra para plantar mais árvores”. Ele pode descansar, ter prazer em olhar-nos, admirar-nos… Foi caro (1 Co 6:20, 7:20) para O Senhor ser o proprietário do nosso ser! Fomos comprados pelo Seu precioso sangue!

Às vezes pode ser difícil de entender quando as pessoas que cuidam de nós (pais, líderes espirituais) nos impedem/orientam sobre não ir a certos lugares, andar com certas pessoas. Mas essas atitudes estão cheias de amor! É por quererem o nosso bem que eles nos protegem dessa forma. Essa proteção que recebemos é usada pelo Senhor para guardar-nos por sermos preciosos e Sua propriedade exclusiva (1 Pe 2:9). Mas muitas vezes acabamos confundindo proteção com prisão, não é mesmo? Contudo, Ele nos cerca para proteger-nos do mundo, dos “amores do mundo” e de tudo aquilo que nos faz mal.

Pode parecer lindo o ambiente fora do jardim. Tanto espaço, tantos caminhos, há tanto que se ver! É o mundo! Parece tão bonito. Mas apesar de parecer bonito, a aparência deste mundo e tudo o mais que há nele, passam (1 Co 7:31b, 1 Jo 2:17). O mundo pode parecer seguro, mas seu príncipe é Satanás e nele não há verdade (Jo 8:44). O que ele pode oferecer-nos é passageiro, falso. Além de nos enganar, seu desejo é matar, roubar e destruir (Jo 10:10a). Longe da proteção de Deus, o perigo é iminente.

Pensando sobre esse assunto, lembrei de uma situação que acontece comigo. Eu amo flores, então, se eu estiver passando por lugares públicos floridos, tenho frequentemente uma enorme “compulsão” para tirar foto delas ou com elas.

Só que para isso, normalmente eu retiro alguma flor, tiro a foto e quando eu não a levo comigo (para guardá-la em um caderno, algo do tipo) deixo a flor “pra lá”. Fazendo uma analogia, quando o inimigo de Deus, o príncipe deste mundo nos vê, ele tem o desejo compulsivo de arrancar-nos do lugar onde Deus colocou, levar-nos para o mundo e depois, no mínimo, jogar-nos sem vida em algum “mato” por aí. “Sem vida” pode não ser “somente” espiritualmente, mas infelizmente, até mesmo no sentido literal. Na minha experiência, eu acabo tirando a vida da flor após admirá-la, mas o objetivo de Satanás não é o de apreciar-nos. Pelo contrário, ele deseja somente destruir-nos. Não permitamos que o inimigo de Deus faça isso conosco. Se permanecermos na proteção do jardim, seremos guardados pelo Senhor e o mundo não terá vantagem sobre nós!

“Para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.” 2 Co 2:11.
O Senhor me protege, mas posso fugir dessa proteção?

Apesar de toda a proteção que o Senhor deseja dar-nos, Ele permite-nos fazer escolhas. Ao contrário de uma prisão, sua proteção é cheia de amor! Ele deseja a nossa permissão para Sua proteção, Seu guardar. Mas e se nós abrirmos brechas para o mundo? Bom, se isso ocorrer, o inimigo de Deus – que anseia isso-, entra devastando tudo pouco a pouco, pisando nas flores que O Senhor regou e destruindo as árvores que Ele plantou.

Cântico 2:15 diz: “Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que devastam os vinhedos, porque as nossas vinhas estão em flor”. Essas raposas representam o inimigo de Deus. Elas podem entrar quando permitimos que brechas surjam em nosso coração; a seguir veremos três tipos de brechas – que podem ser sequenciais ou não.

Dá uma resistência imensa pensar nesse item como uma possível brecha, não é mesmo? Afinal, os estudos fazem muito bem ao ser humano. Ensinam-nos coisas novas, fazem-nos sentir encorajados a aprender mais, incentivam o desenvolvimento de habilidades, mostram-nos que é possível sonhar, construir nosso futuro, ultrapassar limites.

Limites? Que tipo de limites?

É exatamente esse o ponto. Que limites eu quero ultrapassar com meus estudos? Se forem os limites da preguiça (Pv 6:6) ou da acomodação (Pv 6:10-11), por exemplo, não há problema algum. Estudar nos acrescenta diligência, caráter, compromisso com as responsabilidades, dá satisfação pessoal, permite até mesmo usarmos os conhecimentos recebidos para o serviço ao Senhor (não exatamente da forma como recebemos, mas se entregarmos tudo o que aprendemos para Deus, lembrando sempre de que foi Ele mesmo quem nos concedeu a oportunidade de estudarmos, Ele poderá usar esse conhecimento como ferramenta para fazer Sua vontade)!

Os reais limites que não podemos ultrapassar, são os da Palavra de Deus! A Palavra do Senhor nos traz proteção. Seus princípios nos dão vida e não podemos esquecê-los. E seja por falta de tempo ou por falta de apetite espiritual, abrimos brechas na proteção que Deus nos dá quando deixamos a Palavra e seus princípios “de lado” e priorizamos nossos estudos.

Ansiedade

A ansiedade na nossa vida é uma das brechas pelas quais as raposas podem entrar. Quando estamos preocupados com as atividades do dia a dia e não conseguimos lançar nossas ansiedades sobre o Senhor (1 Pe 5:7), o tempo vai passando e uma pressão muito grande fica sobre nós. Isso nos desanima e enfraquece espiritualmente. Mas o Senhor convida todos os que se encontram cansados e sobrecarregados a um alívio precioso:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” Mt 11:28
Ele conhece as nossas fragilidades e entende que passamos por ansiedades e aflições. Somente precisamos, em meio à essas situações, voltar-nos ao Senhor! É fato que teremos ansiedades “batendo à nossa porta” no dia a dia, mas não precisamos aceitá-las. Temos um caminho suave para nos livrarmos delas e não permitirmos que esse tipo de brecha seja formado. “Vinde a mim”, este é o convite do Senhor para nós!

Relacionamentos impróprios

Os relacionamentos impróprios são aqueles que nos afastam do Senhor e também representam uma brecha para as raposas. Podemos e devemos ter contato com todas as pessoas, pois o próprio Senhor Jesus cuidava das pessoas de maneira muito próxima (cf Mt 9:11-12; Mt 9:35-36; Mc 16:9; Lc 7:11-15; Lc 8:40-42, 49-56; Jo 2:1-2; Jo 3:1-15; Jo 4:1-30; Jo 8:1-11). Ter contato com os que estão à nossa volta permite-nos expressar o amor de Deus a eles. Mas devemos sempre pedir luz ao Senhor a fim de que não sejamos influenciados pelo viver dos que não O amam para que nosso coração não se incline para o mal (Sl 141:4) e desviemo-nos do caminho que nos torna vencedores.

Existe solução para brechas abertas?

Querido, essas situações – dentre outras – são sérias e precisam da nossa atenção. Mas se você se encontra em alguma delas e deseja uma mudança, saiba que ainda há tempo! (cf Is 30:21) A misericórdia do Senhor te chama incansavelmente! Não importa quanto tempo faz que você começou a deixar “raposas entrarem”. Independente de quantas delas tenham entrado, nada é impossível para Deus (Mt 19:26; Mc 10:27). Ele pode tirar todas do seu coração. Você foi escolhido, antes da fundação do mundo, para ser jardim particular protegido pelo Senhor! Não há outra maneira de sermos felizes. O Senhor te ama muito e espera ansiosamente pela sua presença (Ct 7:10)! Nós também te amamos e precisamos de você conosco. Você é importante para nós! Se desejar falar conosco, entre em contato, amado irmão! Queremos perseverar junto com você!

Harmoniosa Diversidade

Quem não acha maravilhoso ver tantas flores e frutos colorindo um jardim? Em um lugar tão especial, sentimos alegria, paz, quietude – tudo é tão harmonioso!

Se pensarmos nas flores, por exemplo, de forma geral podemos dizer que parecem todas iguais: raiz, caule, folhas e pétalas. Mas cada uma tem características próprias que as tornam insubstituíveis! As árvores também são singulares! É tão bom sentar à sombra delas e descansar, ler um livro… E se tiverem frutos, então? Ficam mais atraentes ainda!

A seguir, faremos a aplicação de algumas analogias para, de forma figurativa, apresentarmos o Jardim de Deus no seu aspecto coletivo. Cada um de nós é um item especial desse grande Jardim fechado! E apesar de sermos diferentes uns dos outros e  talvez pensarmos nisso como um problema, O Senhor precisa de pessoas diferentes para ser manifestado de diversas maneiras através delas (cf. Ef 3:10; 1Pe 4:10)! Em 1 Coríntios 12:14-27, nos é mostrado o corpo de Cristo, que é formado por vários membros, e todos esses membros, mesmo sendo diferentes, funcionam em grande cooperação! Assim também, no Jardim de Deus, mesmo tendo itens tão diversos, há uma preciosa harmonia entre eles! Creio que você se identificará com algum dos quatro exemplos que serão citados ou com algumas características deles e acabará lembrando também de alguns irmãos à medida que for lendo. Que O Senhor nos mostre a importância de vivermos nesse jardim tão especial e a importância que cada irmão nosso tem nele!

Um Alegre Frescor no Jardim

As margaridas trazem uma alegria, não é? Você sabia que são flores ótimas para colocarmos em locais como bibliotecas e hospitais pela tranquilidade e ânimo que trazem? Na verdade, acho que ficam bem em tantos ambientes! São flores muito receptivas. Mas, falando em ambientes… Essa é uma flor importante, especialmente no Jardim de Deus! Com tanta simplicidade e pureza que as margaridas transparecem, é aconchegante demais nos aproximarmos delas.

Sabe aqueles irmãos que quando você simplesmente os vê, se sente mais encorajado? Eles expressam a alegria do Senhor com simplicidade, são quentes, extremamente receptivos, dispostos a ajudar os irmãos (humana e espiritualmente)! Puxa, olhando para eles a gente até pode achar que eles não têm problemas, são tão alegres! Mas na verdade, esses irmãos têm uma experiência de muito descanso no Senhor. O descanso no Senhor nos traz paz e podemos ficar tranquilos em cuidar do que é de Deus por termos certeza de que Ele cuida do que cada um de Seus filhos necessita. Assim como o jardineiro cuida de cada flor com extremo cuidado e carinho, nosso Senhor cuida de nós (Fp 4:5-8; 3:1a, 4:4)!

Algo importante de citarmos é que margaridas amam sol! Sabemos que espiritualmente o Sol representa Cristo (Mq 4:2; Lc 1:78). Quanto mais contato tivermos com Cristo, mais saudáveis nos tornaremos e aprenderemos a cuidar dos nossos irmãos com muito amor, como Ele, O nosso Sol, cuida de cada um de nós.

“Portanto, acolhei-vos uns aos outros, como Cristo nos acolheu para a glória de Deus.” Rm 15:7

Quão preciosos são os nossos irmãos Margarida! Você sabia também que as pétalas dessa flor podem ser usadas como cicatrizantes? Os irmãos margarida percebem quando algum irmão não está bem e procuram encorajá-lo com amor. Esse amor, tão verdadeiro, ajuda a curar as feridas dos irmãos (1 Co 16:17-18).

Diante disso a gente pode pensar: “Que maravilha é ficar ao lado dos irmãos margarida!! Por que todos os irmãos não são como eles? Olha, por exemplo aquele irmão…

Pra Deus ele não tem defeito!

As rosas são exuberantes! Não é sem razão que a chamam de “Rainha das flores”! São delicadas, muito perfumadas e sempre nos remetem ao amor, à singeleza!

Essas flores são consideradas flores solitárias pela forma isolada como, biologicamente, se dispõe nos ambientes. Aplicando à vida espiritual, podemos encontrar irmãos não tão extrovertidos como as margaridas, mas nem por isso deixam de ser amados irmãos! Ao invés de compararmos a rosa à margarida, podemos sempre nos lembrar de quão macias são suas pétalas, da deliciosa fragrância que elas exalam (2 Co 2:15) e do quanto são importantes em um jardim maravilhoso!

Há uma característica relevante nas rosas, que normalmente não reparamos muito de longe, mas quando chegamos bem perto, é inevitável não notarmos: os acúleos. Os acúleos não são o mesmo que espinhos, são proeminências vindas de um tecido da planta denominado “epiderme”. Estes acúleos não têm função de conduzir nutrição (não conduzem a seiva), somente dão proteção à flor contra os predadores. Isso é muito interessante! Talvez, em um olhar mais geral achemos desinteressante que os irmãos Rosa tenham acúleos, pois estes impedem certa aproximação, mas não precisamos nos preocupar. Os acúleos são grandes protetores realmente, mas protetores contra os predadores. Eles não têm objetivo de afastar outras flores. Da mesma forma, podemos ver algumas atitudes e características de nossos irmãos como negativas, mas tudo não passar apenas de uma impressão errada. Aquilo que consideramos defeito em alguém pode na verdade não ser e, pelo contrário, ser algo com uma função importante que o Senhor colocou no irmão, mas que ainda não entendemos. Espiritualmente falando, podemos comparar os acúleos à proteção contra as coisas mundanas recebida por mais comunhão com Deus. Quanto mais comunhão com Deus uma rosa tiver, mais protegida ela estará dos “predadores”. Essa proteção dos acúleos os irmãos Rosa ganham quando leem a Bíblia (cf. Sl119:11, Jo 17:17), oram (cf. Mc 14:38) e têm comunhão com os irmãos (cf. Hb 10:25)!

A princípio poderíamos achar desinteressante o fato de as rosas terem acúleos, mas no momento em que descobrimos o porquê da existência deles, mudamos nosso modo de pensar. Você vê como foi importante conferirmos essa informação? Muitas vezes, quando estamos mais próximos de alguns irmãos, vemos alguma característica deles que rapidamente avaliamos como defeito. Mas nesse caso das rosas, por exemplo, os espinhos que parecem ter um “objetivo doloroso”, são na verdade, muito benéficos!

O inimigo de Deus tenta sempre colocar nosso foco em “possíveis” defeitos dos nossos irmãos. Quando isso acontecer, podemos dizer: “inimigo de Deus, não quero ouvir o que você pensa sobre o meu irmão. O mais importante é o que Deus pensa sobre Ele. E sabe de uma coisa? Para Deus ele não tem defeito (Ct 4:7)!”. Além de rejeitarmos esses pensamentos, precisamos voltar o olhar para as pétalas: tente se lembrar das coisas positivas que esse irmão já fez! Pode não ter sido exatamente para você, mas com certeza ele já desejou ajudar de coração algum irmão, consolou algum necessitado, abraçou forte quem precisava ou até mesmo orou por você e sua família, mas como foi algo entre ele e O Senhor, pode ser que você nunca chegue a saber.

Além disso, as rosas precisam de cuidados específicos para estarem sempre belas! Um desses cuidados é a poda. A poda é a remoção de ramos mortos, deteriorados ou em decomposição e a eliminação de caules secos ou murchos para que seja retirado tudo o que não é mais necessário nas plantas e que está somente consumindo sua energia. Essa poda é essencial para que a luz solar penetre melhor no núcleo da planta, o que facilita sua nutrição e, consequentemente, seu crescimento.

Espiritualmente falando, O Senhor é quem cuida da poda dos irmãos Rosa – e com muito carinho! Aposto que quem cultiva rosas teve algum receio de podar as flores pela primeira vez. Mas por ser um ato necessário e ao ver o belíssimo resultado, com certeza todo o receio se foi com o tempo.

A poda das Rosas é realmente muito importante! Mas saiba, querido irmão, que não são somente elas as que passam por essa fase: todas as flores precisam ser podadas para um crescimento saudável!

O Senhor sabe que podar as flores é um ato necessário para que elas sejam beneficiadas. Apesar desse momento gerar-lhes sofrimento, isso garante um novo crescimento e muito mais flores nascendo!
O jardineiro cuida do que as flores precisam e reconhece o que precisa ser retirado. Eu, como uma flor companheira, não preciso me preocupar se a flor ao meu lado está precisando ser podada. O Jardineiro já “passou por ali” (cf. Ap 1:10-20; 2:1) e já está preparando a poda para o momento realmente necessário. Será muito mais benéfico se eu aproveitar o tempo no Jardim para cantar com o meu irmão, conversar com ele, ajudá-lo a desfrutar do Senhor do que perder a paz tentando analisar o que seria melhor que fosse retirado dele (cf. Rm 14:4).

O Bom Perfume De Cristo

“Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento. Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem.” 2 Co 2:14-15

Cada um de nós tem uma fragrância única, mas todas as fragrâncias dos irmãos expressam o bom perfume de Cristo! Se pensarmos nos girassóis, por exemplo, eles são flores que têm seu momento durante o dia. Nesse período estão vibrantemente chamando a atenção de diversos olhares, mas eles mesmos voltam-se fielmente para o sol. Os irmãos Girassóis são incríveis e belos, mas sempre apontam com humildade a fonte da sua beleza – Cristo! Sua fragrância é suave, não tão intensa, mas ele a libera.

Já as Damas da noite, liberam seu aroma somente durante a noite. Um aroma intenso e inconfundível! São flores simples, muitas pessoas acabam não as notando quando passam por perto, mas sua fragrância é sempre identificada e chama muito a atenção. Assim também, alguns irmãos aparecem mais em determinados momentos do que em outros. Podem não estar visíveis por algum tempo, mas a função deles fica muito clara em outras ocasiões, sendo todos igualmente importantes no Jardim!
Quer sejamos como o irmão Girassol, quer sejamos como o irmão Dama da noite, somos a expressão do Senhor individualmente (e coletivamente)! Liberamos o aroma de Cristo porque Ele está em nós. Não é mérito nosso, essa fragrância maravilhosa, mas Cristo mesmo desejou que O expressássemos porque nos ama! As pessoas identificam rapidamente um aroma diferente quando um irmão Girassol ou um irmão Dama da noite se aproxima.

Independentemente de com qual deles nos pareçamos mais, o que é realmente importante é estarmos exalando o bom perfume de Cristo para que as pessoas O possam sentir! Se não estamos exalando tanto esse aroma, podemos nos voltar para O Senhor, pois Ele já está em nós. Essa doce fragrância já está em nosso ser! Precisamos apenas exalá-la.

Nessa primeira parte do texto vimos algumas características de quatro flores incríveis do Jardim de Deus! Apesar de sermos diferentes uns dos outros, O Jardineiro dá especial atenção à cada um de nós. Se estamos dentro do Jardim, o lugar em que Ele nos colocou, não há preocupações! O Sol nos iluminará na medida certa, não faltará água nem nutrientes, não haverá ladrões que nos roubarão, o vento será na medida em que podemos suportar e alcançaremos o objetivo que o Jardineiro tem para nós: o crescimento espiritual!

Mas lembremos sempre: estar dentro do Jardim é uma condição muito ligada ao coração. Espiritualmente falando, se estamos com o coração voltado para o mundo, já estamos nele e nele ficamos sem a proteção do Jardim. Por isso, não há porque sairmos do Jardim de Deus. Nele temos tudo! Se você se sente sem forças, olhe ao seu redor. Você verá uma beleza coletiva impressionante te encorajando! As flores continuam lá, lindas, te inspirando a continuar firme. Lembre-se de que você é uma flor incrível: o prazer do nosso Senhor (Pv 8:31)! Não se esqueça disso. E sempre que precisar de mais encorajamento, então você poderá olhar para cima, para O Jardineiro, porque Ele está cuidando de tudo pra você, de tudo o que você precisa (Mt 6:28-30)!

Vimos que cada flor tem características próprias que as tornam insubstituíveis! Cada um de nós pode ser comparado à essas flores únicas que pertencem ao Jardim de Deus, que é a Igreja! Mas um jardim, além de flores, tem também diversos outros tipos de plantas. Vamos apresentar a seguir, dois exemplos delas e compararmos suas características a alguns aspectos da nossa vida com O Senhor e com os irmãos. Comecemos, então, com uma planta bem interessante: O Cacto!

Águas Vivas

Os irmãos cactos podem parecer não tão agradáveis à “vista”, mas O Senhor os amou e Ele é Aquele que vê o coração, não a aparência (1 Sm 16:7). Por causa dos espinhos que eles possuem, pode até ser que seja um pouco doloroso estar perto deles, mas eles são nossos irmãos! Em uma família grande há irmãos diferentes. Há um irmão mais cooperativo e outro que não é tanto, um que é mais dócil e um mais difícil de lidar, um que gosta muito de falar, e outro que é mais quieto. Embora sejam diferentes, o pai ama cada um deles. Ele não deixa alguns para fora de casa por não serem de fácil convívio. Da mesma forma, se no Jardim de Deus, O Maravilhoso Jardineiro permite a plantação dos irmãos cactos, então eles também são importantes ali.

Outro detalhe muito importante é que assim como vimos que os acúleos das Rosas lhes servem de proteção contra os predadores, os espinhos dos cactos também têm a mesma função! Essa proteção é contra o mundo e contra tudo o que há nele. Ela é obtida através da leitura bíblica (cf. Sl119:11, Jo 17:17), da oração (cf. Mc 14:38) e da comunhão com os irmãos (cf. Hb 10:25).

Para amar estar perto desses irmãos, acima de tudo, é necessário que busquemos ao Senhor, pois Ele é a fonte de todo amor! Quando lembramos do quanto o Senhor cuida de nós um a um, esse amor nos constrange e, com o passar do tempo, o amor cresce em nós e transborda! Eu cometo tantos pecados e O Senhor me perdoa quando me volto a Ele em arrependimento genuíno. Sem falar que tantas vezes machuco o coração dos meus irmãos pelo meu jeito de ser. Por que, então, eu exijo que meus irmãos sejam perfeitos aos meus olhos? O Senhor os ama, então eu quero aprender a amá-los também!

Os cactos também têm outras características muito interessantes! Eles são incríveis armazenadores de água. Suas folhas são reduzidas a espinhos evitando a perda de água por transpiração! Algum tempo atrás, observando a vegetação do Ceará, notei algo especial nos cactos e fiquei pensando se seriam frutos. Sim, eram frutos (frutos lindos, por sinal!) chamados: “Pitaya”, “Fruto do mandacaru” ou “Dragon Fruit”. A cor por fora, rosa choque, e a aparência por dentro de “sorvete de flocos” me deixaram impressionada! E quem diria que uma planta em um lugar com tão pouca chuva pudesse produzir algo tão cheio de vida? A água que os cactos armazenam pode se referir espiritualmente pelo próprio Jesus! Ele, que é O Espírito, é o fluir dos rios de água viva no nosso interior (Jo 7:38-39)! Em meio às tribulações e dificuldades é possível frutificar! É possível reter a graça (Hb 12:28) para servirmos ao Senhor como Ele se agrada, nos mantendo firmes Nele, até o fim!

Muitas vezes, não conhecemos a história dos irmãos que estão a nossa volta ou o que eles estão passando/sentindo no momento. Por isso, é importante olharmos para eles com compreensão e compaixão. Podemos usar uma situação como exemplo: digamos que em um certo dia, uma irmã passou por mim e não me cumprimentou. Ela até olhou na minha direção, mas passou. Vários pensamentos podem vir então à minha cabeça: “Aquela irmã tem raiva de mim. O que será que eu fiz pra ela?” ou: “Aquela irmã me viu e nem falou comigo. Ela é tão mal-humorada!”. Nesse momento, preciso negar esses pensamentos negativos e ter uma atitude positiva em relação a essa irmã. Posso defendê-la nos meus pensamentos – mesmo que inicialmente seja contra a minha vontade fazer isso: “Eu posso ter me enganado achando que a irmã me viu e de repente ela nem percebeu que eu estava perto dela.” ou: “A irmã pode estar passando por algum problema… Preciso orar por ela”.

Sustentar pensamentos negativos, vindos do inimigo de Deus nos faz criar muros entre nós e os nossos irmãos porque cada vez que eu me lembro da minha impressão de que “A irmã me viu e não falou comigo” é como se ela tivesse feito isso mais uma vez. Se em um dia eu pensar dez vezes nessa situação, contando com a primeira – que na realidade, eu posso ter visto distorcida-, a irmã já terá “me ignorado” por 11 vezes!! E de repente, a irmã realmente nem me viu e está em paz por nem imaginar que eu estou magoada com ela.

Não há muros que cresçam quando não permitimos que os tijolos sejam posicionados. Lembremos sempre de que um muro deve estar em volta do jardim, protegendo a nós todos – do mundo -, e não no meio dele (cf. Ef 2:14-16) . O Jardineiro quer ter prazer e liberdade no jardim. Um muro entre mim e meu irmão traria tristeza ao coração do Senhor e dos demais irmãos. E mesmo que realmente a irmã tenha “me ignorado”, se eu lembrar do amor que Deus tem por mim e de como Ele me perdoa, essa atitude será coberta por esse imenso Amor (1 Pe 4:8)! Quando tomamos uma posição positiva em relação aos filhos de Deus, impedimos que os sentimentos do inimigo criem raízes no nosso coração e, ao contrário dessa situação, abrimos o coração a eles, ganhando sentimento de orarmos por eles e de cuidarmos deles!  E falando em irmãos que cuidam uns dos outros, um em especial é um grande exemplo pra nós, o irmão:

Palmeira!

Plantados na Casa do SENHOR

As palmeiras são árvores incríveis! Eu achava que palmeiras eram só coqueiros (risos) Engano meu. Existem em torno de 2.500 espécies de palmeiras! Além dos coqueiros, temos as tamareiras, os Buritis, as Palmeiras Imperiais, as Palmitos-juçara, os Dendezeiros, os Açaizeiros…

A palmeira é citada em um Salmo!  Salmos 92:12-15 diz: “O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano. Plantados na Casa do SENHOR, florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice darão ainda frutos, serão cheios de seiva e de verdor, para anunciar que o SENHOR é reto. Ele é a minha rocha, e nele não há injustiça”.

Além de almejar morar sempre na casa do Senhor, vemos que o irmão Palmeira está enraizado ali! O que ele necessita para crescer, florescer e dar frutos, é a presença do Senhor! Nesse versículo nos é mostrado que O justo florescerá como a palmeira por estar plantado na Casa do Senhor, nos Seus átrios. E não faltarão frutos, nem seiva, nem verdor para ele, porque Ele tem uma base de nutrição abundante e preciosa! O segredo de os irmãos palmeira serem sempre belos, crescerem e frutificarem é o de estarem firmados em Cristo!

Sobre o crescimento, vemos que em relação à altura algumas Palmeiras são altíssimas. Todavia, independentes do tamanho máximo que cada uma delas possa chegar, todas crescem à seu tempo, com paciência, de forma normal e constante. Há um crescimento progressivo da vida de Deus ocorrendo nos irmãos Palmeira, mesmo que não percebamos muito por estarmos “todos os dias” ao lado deles. O irmão palmeira tem paciência para crescer e devemos sempre encorajá-lo a manter-se assim! Um crescimento normal leva tempo e o tempo aprofunda nossa experiência Deus.

As palmeiras levam vida aos que estão ao seu redor, elas não têm suprimento só para elas. Elas nos beneficiam com itens como: frutos doces, substâncias para elaboração de medicamentos, óleos vegetais, madeira e até mesmo sombra fresca! Assim também, os irmãos palmeira nos compartilham o frescor da vida de Deus e Suas muitas maravilhas que trazem desfrute ao nosso ser! Os irmãos Palmeira nos beneficiam com a fonte com que eles mesmos são supridos (cf 1 Co 16:17-18).

Que possamos valorizar muito os irmãos palmeira e perseverar como esses amados irmãos perseveram na vida com O Senhor!
Amados, mesmo vendo esses poucos exemplos, percebemos que existe uma maravilhosa diversidade no Jardim de Deus! Um jardim é lindo porque, por mais que existam flores e árvores de tirar o fôlego, nenhuma está lutando para ser mais bonita ou melhor que as outras. Elas estão ali por vontade do jardineiro que as semeou, e ali são perfeitas aos seus olhos da maneira que são! Lembremos sempre: o Maravilhoso Jardineiro escolheu cada semente com carinho, para colocá-las no jardim da maneira como Ele quis! Nenhuma flor ou árvore está ali por acaso. Foram todas plantadas com Sabedoria pelo nosso Pai (Ef 1:4-5)!

Estamos juntos, no mesmo Jardim, cada irmão experimentando de forma individual o crescimento espiritual, mas todos juntos estamos experimentando a edificação do Corpo de Cristo (Ef 4:12-13)! Essa riqueza de experiências nos dá vigor e só podemos desfrutá-la junto com os demais irmãos!

É muito especial poder falar com Deus, em casa, sozinha… Mas quando estou com os irmãos, desfruto de uma forma coletiva do Amor de Deus! Como eu poderia experimentar todos os aspectos do Amor de Deus, sozinha? Deus é O próprio Amor! Passarei toda a minha vida e toda a Eternidade conhecendo mais a Ele, que é Infindo! Por isso, é muito doce podermos experimentar mais desse Amor hoje mesmo com nossos irmãos. Por meio deles, desfrutamos das muitas dimensões do amor de Deus:

“E, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.” Ef 3:17-19

Fontes principais:

http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2012/12/jardim-fechado.html
http://prrobsonyahoo.blogspot.com.br/2014/04/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html
www.bomdiapai.com.br/por-que-o-justo-florescera-como-a…/comment-page-1
http://o-tempo-kairos-de-deus.blogspot.com.br/2013/06/seja-como-palmeira-e-o-cedro-do-libano.html


Débora Moreno

2 comentários:

  1. A Paz do Senhor meu nobre amigo Maurício de Souza Lino.
    Cada vez que leio um artigo mencionando 'Jardim fechado' fico a imaginar como o SENHOR cuida tão maravilhosamente bem de seu jardim. Um texto que, por mais que leiamos, sempre nos inunda de alegria.

    Muito obrigado por mencionar o meu blog "Aqui eu Aprendi".

    Deus abençoe!
    Grande e fraterno abraço meu amigo

    Pastor Ismael
    Adm.Blog "Aqui eu Aprendi!"

    ResponderExcluir
  2. A paz do Senhor, caríssimo! É uma honra poder comunicar com o amado mais uma vez. Esse tema sempre me chamou a atenção. Sei que um dia estarei ali. Abraços fraternos.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...