sábado, 26 de agosto de 2017

Frutos

Seguindo uma ilustração proporcionada pelas Sagradas Escrituras, permitam-me recordar a todos vocês, os que são fiéis crentes em Cristo, que são comparados com árvores, com árvores plantadas pela destra do Senhor. Procurem crescer como a árvore cresce. Orem pedindo que este ano possam crescer para baixo: que possam conhecer mais acerca de sua própria torpeza, mais sobre seu próprio nada, e que assim estejam enraizados na humildade. Peçam que suas raízes possam penetrar por debaixo da camada vegetal superior da verdade e chegar até as grandes rochas que estão debaixo do estrato superior; que possam se fixar muito bem às doutrinas do amor eterno, da fidelidade imutável, da completa satisfação, da união com Cristo, do eterno propósito de Deus que Ele determinou em Cristo Jesus antes do mundo existir. Estas coisas profundas de Deus produzirão uma rica e abundante seiva, e suas raízes haverão de beber das fontes ocultas do “abismo que está abaixo”. Este será um crescimento que não adicionará nada a sua fama e que não ministrará a sua vaidade, mas que será inestimável na hora da tormenta; será um crescimento cujo valor nenhum coração pode conceber quando o furacão está demolindo o hipócrita, e arremessando no mar da destruição as “árvores de outono, sem fruto, duas vezes mortas e desarraigadas”.


Enquanto fixarem raízes até embaixo, busquem crescer para cima. Lancem o primeiro fruto do seu amor em direção ao céu. Assim como as árvores lançam seus brotos de primavera e seus renovos em meados do verão, e assim como se vê no cume do abeto esse novo ramo verde de primavera, esse novo êxtase que levanta sua mão até o Sol, assim, anseiem ter mais amor e maiores desejos de Deus, uma aproximação mais íntima com Ele em oração, um espírito de adoção mais fervoroso, uma comunhão mais intensa e íntima com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo. Esta ascensão ao alto complementará sua beleza e seu deleite.

Logo, orem pedindo para crescer em ambas as direções. Estendam seus ramos; que a sombra de sua santa influência se propague tão longe como as oportunidades que Deus lhes der. Ocupem-se também em crescer em fecundidade, pois se o ramo cresce sem dar fruto, a beleza da árvore é afetada. Trabalhem arduamente este ano, pela graça de Deus, para produzir para Ele mais fruto do que jamais produziram. Senhor, te rogo que dês a esta congregação uma maior quantidade de frutos da penitência pelo pecado, da fé no grandioso sacrifício, do amor por Jesus e do zelo pela conversão de almas. Não seríamos, então, como a sobra da colheita da safra, quando só fica por aqui e por ali algum cacho no galho mais alto, mas seríamos como o vale de Escol, cujas prensas transbordavam com o novo vinho. Crescer na graça consiste nisso: em fincar raízes até embaixo, em brotar até acima, em estender suas influências como ramos amplamente espalhados e em produzir fruto para a glória do Senhor. Spurgeon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...