quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Quando negamos a Jesus?

Após descer do Monte das Oliveiras, onde orava pedindo ao pai que se fosse possível passasse dele o cálice (v. 39-46), Jesus encontra os seus discípulos dormindo. Na seqüência do texto (v. 47-53), Lucas nos relata o episódio da prisão de Jesus após ser traído por Judas. Judas trai Jesus com um gesto afetuoso, beijando-lhe a face. A partir do v.54 a bíblia nos relata uma seqüência de eventos onde Pedro nega a Jesus três vezes.
Quem cometeu “maior pecado”, Judas que traiu a Jesus ou Pedro que negou o mestre por três vezes?
Normalmente, só nos lembramos do ato deplorável de Judas. No entanto, aos olhos de Deus não há uma escala de classificação para o pecado, ou seja, não há uma escala que diferencie pecadinho de pecadão. A sentença para o pecador que não se arrepende não leva em consideração a “gravidade do pecado”. A palavra de Deus nos diz: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.(Romanos:3-23)
Judas para nós é um mau caráter, e quanto Pedro? Ah! Pedro foi um dos grandes líderes da igreja primitiva. Pedro escreveu uma grande epístola. Ah! Pedro... Fazemos uma discriminação severa entre Judas e Pedro, com o nosso “dom de julgar”.
Mas... Como era temperamento de Pedro? Pedro era um homem impulsivo, destemperado e às vezes até violento. No mesmo episódio da traição de Jesus, Pedro arranca a orelha de um servo do sumo sacerdote com uma espada (v. 50). Como o apóstolo Tiago nos relata em sua epístola, ele, assim como o profeta Elias era “um homem sujeito às mesmas paixões que nós”. Pedro era um homem tão falível quanto eu e você.
O pecado cometido por Pedro muitas vezes é repetido por nós diariamente. O que? É isso mesmo. As vezes negamos a Jesus até mais de três vezes por dia.
• Quando negamos a Jesus?
1. Quando deixamos de orar.
O processo de negar a Jesus, provavelmente, começou antes na vida de Pedro. Ela começa quando deixamos de orar.Veja que enquanto o mestre orava intensamente, a ponto de suar gotas de sangue (v. 44), Pedro dormia tranqüilamente (v. 46).
É assim que acontece nas nossas vidas também. Quantas vezes vamos dormir, tranqüilamente, sem se quer agradecer pelo dia vivido? Quantas vezes acordamos e nos “esquecemos” de pedir a Deus por aquele dia?
2. Quando passamos a seguir Jesus de longe. (Ap 3:14-22)
No versículo 54 lemos que Pedro, após a prisão de Jesus, o seguia de longe. Quantas vezes decidimos seguir Jesus de longe?
No texto de Apocalipse a palavra nos exorta quanto aos riscos de nos tornarmos mornos no reino de Deus. “_Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boa”. Deus sente nojo de pessoas mornas. Aquele que é quente está garantido no céu. Aquele que é totalmente frio, provavelmente, nunca ouviu falar de Jesus e a bíblia nos diz que não nos seria cobrado os anos de ignorância. Quanto aos mornos... Estes são aqueles que já foram quentes um dia, mas agora estão vivendo um processo de esfriamento.
Nos tornamos mornos quando resolvemos não nos envolvermos com a obra do Senhor, dizendo: _ Não... Deixa este negócio de ministério pra lá. Eu vou ficar aqui no meu canto quietinho. Não... Deixa este negócio de grupo de comunhão pra lá. Não... Eu prefiro não me envolver. Não isto, não aquilo, não e não.
Quando decidimos seguir Jesus de longe, corremos o risco de não mais ouvir a sua voz. De não conseguirmos vê-lo mais nos nossos gestos. De perdermos completamente o contato com ele.
3. Quando nos associamos às trevas. (Sl 1:1)
Alguém aqui já tentou misturar água com óleo. Se já tentou descobriu que água e óleo não se misturam. Precisamos tomar muito cuidado para não nos conformar com este mundo (Rm 12:2) diz, e não vos conformei com este mundo, mas trasformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que esperimentei qual seja a boa, agradavel e perfeita vontade do senhor) No intuito de alcançarmos vidas para Jesus, precisamos tomar cuidado para, ao invés de convertermos o ímpio ao cristianismo, não sermos convertidos por ele.
Pedro assentou-se à roda dos escarnecedores. Pedro se fez passar por um deles.
4. Quando não nos identificamos como seus seguidores. (Mt 10:32-33)
Quantos de nós, em nome de uma posição ou dependendo da circunstância, não tem deixado de se identificar como um seguidor de Jesus. Negamos a Jesus quando deixamos de dizer que somos seus seguidores.
Em Mateus, Jesus diz que aquele que o negar diante dos homens, que seria negado por ELE diante do PAI.
Pedro negou a Jesus três vezes seguidas.
Ao analisarmos toda a história e sabendo a trajetória de Pedro, vemos que a provável diferença entre ele e Judas resume-se ao fato de ter ele um coração tratável.
Pedro ao ser alvejado por um olhar de Jesus (v. 61) lembra-se das palavras do Mestre que dizia: “_Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo”. Dizem que um olhar vale mais do que mil palavras. Imaginem um olhar de Jesus.
Ao ser “tocado” pelo olhar de Jesus, Pedro chorou amargamente (v. 62). Pedro expressa todo o seu arrependimento, enquanto Judas apenas sentiu remorso.
Precisamos, assim como Pedro, estar atentos ao toque do Espírito.
Deus nos conhece. Ele conhece às nossas obras. Ele conhece as nossas limitações. Ele sabe quem realmente somos. Em Ap 3:7-13, Jesus fala de alguns que se dizem Judeus e não são.
Ainda em Ap 3:12 Ele nos alerta a conservarmos o que temos para que ninguém roube a nossa coroa e termina dizendo, que aquele que vencer Ele fará coluna no santuário do seu Deus.
O desejo do coração de Deus é que nos tornemos coluna na casa Dele. Para isto, precisamos estar atentos ao seu olhar, ao toque do seu espírito e ao soar da sua voz. Como você tem negado a Jesus no seu dia-a-dia, faça como Pedro, ouça a voz do Espírito Santo e arrependa-se. Ainda é tempo de voltar. Deus pode transformá-lo num grande discípulo. Creia nisto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...