quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Caça às raposas

Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor. Cânticos 2:15
Quando as promessas do Senhor estão em tempo de se cumprirem, os sinais da colheita são visíveis. Não é segredo para o inimigo de que vamos começar (finalmente) a linda colheita de Deus nas nossas vidas. As flores começam a aparecer, as promessas de muitos frutos ficam cada vez mais reais, mais palpáveis... Podemos sentir o cheiro das flores... e logo depois das flores, os frutos chegam!
As promessas de Deus na nossa vida são como uma vinha. Quando o Senhor da vinha semeia no campo, é o momento em que recebemos as promessas de Deus. Ficamos cheios de esperança, esperança de uma bela colheita em breve... mas não sabemos quanto tempo...
O tempo parece longo demais, enquanto a vinha brota e cresce. Mas o Senhor da vinha sempre está lá, junto da promessa, dando condições para que ela cresça forte e saudável.
E após um tempo, onde não vemos nada mais que folhas e mais folhas... a vinha, finalmente começa a florescer. E a esperança se renova, afinal, pouco falta para que os frutos comecem a aparecer...
Nós entendemos de uva e sabemos que falta pouco... Mas o inimigo também entende, e é justamente nesse tempo que as raposas e as raposinhas vem para destruir a vinha. – “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir.” – João 10:10
Enquanto a vinha brota e cresce, podemos desistir de esperar, ir embora desse campo, cortar a plantação inteira, pensando que nada ali vai dar frutos...
Mas quando as flores chegam, nós não desistimos. Ficamos lá. Prontos pra receber o melhor da colheita.
“Desista! Vai demorar demais! Você precisa disso rápido, dê o seu jeito!” São palavras que não fazem mais sentido e não surtem mais nenhum efeito... Então o inimigo precisa de armas mais “fortes”... e envia as raposas e as raposinhas...
Hoje eu entendo que raposas e raposinhas que fazem mal às vinhas, são os pecados, as tentações...
As raposas são grandes, fáceis de identificar. São aquelas tentações que você percebe de longe que vão te fazer mal. São as fenomenais tentações, coisas impossíveis demais. É a ‘oportunidade’ de pecar mais fácil e sem provas do mundo inteiro! É a “Gisele Bündchen” te dando bola, é o cofre da empresa cheio de dinheiro e aberto sem ninguém olhando... É tudo aquilo que te tenta – “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.” (Tg 1: 14)
(Concupiscência: s.f. , desejo ardente de bens ou gozos materiais; lascívia; luxúria; apetite sexual.)
Mas, para as raposas temos uma vantagem. Elas são grandes e identificamos com facilidade, se estivermos atentos... e sendo fáceis de caçar, nos livramos delas... não sem esforço, claro!
Mas o maior problema que eu vejo, são as raposinhas...
As raposinhas parecem dóceis e inofensivas. Pensamos que não são nada, comparadas às raposas. E então, estamos tão concentrados na caça às raposas adultas, que não percebemos o mal que as “doces” raposinhas estão fazendo, e quando nem percebemos, já caímos em pecado. Elas estão destruindo as nossas vinhas em flor. Destruindo as flores! A certeza de que falta pouco para a nossa promessa!
Enquanto concentramos os nossos esforços nas raposas, pensamos que somos fortes, afinal, não estamos caindo nas grandes tentações, nem cometendo os “grandes” pecados. Paulo disse “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.” (I Co 10.12). Quando pensamos que estamos fortes, que nada nos derruba, esquecemos de olhar pra baixo. Esquecemos de montar guarda de todos os lados. E enquanto pensamos que estamos de pé, as raposinhas estão “fazendo a festa” , destruindo as nossas promessas. Pensamos que podemos “brincar” com as tentações, afinal, somos os “ban ban ban” que não caímos... Tantas vezes, pensamos que somos fortes e por isso, podemos flertar com o pecado...
“É só um pouquinho... só pra ver como é, mas eu não vou fazer não...” Não é isso que a bíblia nos ensina, Deus nos orienta a resistir à tentação, e não brincar com ela.
Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor.
Se permitirmos que raposas ou raposinhas entrem nas nossas vinhas, e destruam as nossas flores... Teremos que esperar tudo de novo. O tempo de plantar, o tempo de brotar, o tempo de crescer, o tempo das flores, o tempo de lutar contra astutas raposas... E as uvas que virão, não serão as mesmas que viriam...
Que comece a “estação de caça” às raposas e raposinhas nas nossas vidas, em nome de Jesus!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...