quinta-feira, 11 de março de 2010

Jardim do Eden ou Pandora?

Quase uma década sendo criado. Mais de 400 milhões de dólares consumidos entre orçamento de produção, pesquisa e desenvolvimento de tecnologia e marketing. O primeiro longa-metragem de ficção do “Rei do Mundo” desde o campeão imbatível de bilheteria Titanic (1997). Tudo o que cerca Avatar (2009) é superlativo.
O diretor, roteirista e produtor James Cameron entrega um produto à altura de toda a expectativa criada. Pandora, o mundo alienígena que ele imaginou, respira nas telas. Cada planta, cada criatura, cada ecossistema parecem reais, como se desenvolvidos por botânicos ou geneticistas. O nível de detalhes (prepare-se para espantar mosquitos da tela) é embasbacante, impossível de ser absorvido em apenas uma visita.
O universo mágico de Avatar, criado por James Cameron, tem maravilhado milhares de pessoas. Muitas delas se sentiram tão preenchidas pelo mundo criado pelo diretor que não conseguem ver mais sentido na vida real, caindo em depressão conforme noticiado por Michelson Borges em seu blog.
A relação de harmonia entre o ecossistema do planeta Pandora e seus habitantes inteligentes, os Na’Vi, trazem uma reflexão aos espectadores sobre a necessidade de paz de espírito combinado com uma boa relação com a natureza. Conforme comentado por Michelson, essa sensação demonstra a saudade que o ser humano tem do Céu, mesmo sem conhecê-lo.
Percebemos que apesar das promessas de um Novo Céu e uma Nova Terra feitas pela Bíblia, o ser humano prefere criar o seu próprio lugar perfeito e não sente necessidade de um Deus para trazer tal dádiva.
Analisando de forma mais criteriosa o enredo do filme, também percebemos lamentavelmente que na verdade os seres humanos sentem a necessidade não de receber pacificamente este mundo maravilhoso, mas de lutar por ele, esmagando quaisquer empecilhos que possam atrapalhá-lo nesta conquista.
Este comportamento demonstra equivalência ao sentimento das nações perdidas, ao tentarem dominar a Nova Jerusalém, conforme descrito em Apocalipse 20:
7 Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão
8 e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar.
9 Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os consumiu.
Deus por meio da Sua Palavra nos descreve as maravilhas do Novo Lar que tem nos preparado. Com certeza será muito mais belo que o mundo de Pandora e nos será dado gratuitamente, sem necessidade de luta ou disfarce, pelo próprio Filho de Deus.
Isaías 35:
1 O deserto e a terra se alegrarão; o ermo exultará e florescerá como o narciso.
2 Florescerá abundantemente, jubilará de alegria e exultará; deu-se-lhes a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Sarom; eles verão a glória do SENHOR, o esplendor do nosso Deus.
7 A areia esbraseada se transformará em lagos, e a terra sedenta, em mananciais de águas; onde outrora viviam os chacais, crescerá a erva com canas e juncos.
Também nos dará um novo corpo, transformado e perfeito, sem manchas nem máculas, para vivermos eternamente ao Seu lado no Céu.
Filipenses 3:21 o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas.
I Coríntios 15
51 Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos,
52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
Não há necessidade de sentir depressão por não alcançar um mundo perfeito como Pandora. Cristo já está preparando nossas moradas, onde poderemos desfrutar de uma natureza perfeita e uma relação direta com Deus e suas criaturas.

IASD JOVEM  Alessandro Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...