segunda-feira, 22 de março de 2010

Coelho ou Cordeiro?

Você já deve ter visto em supermercados, lojas e outros lugares de movimentação pública, uma enorme inundação de coelhos e ovos de chocolates. Este é o sinal para as crianças e para os adultos que a páscoa está chegando.
Mas na verdade, o que significa a Páscoa? Será que as pessoas sabem seu real significado? Seria certo para um cristão comemorar a Páscoa com ovos e coelhos, deixando de comer carne para comer peixe?
Existe alguma fundamentação bíblica para essas práticas tão comuns em nossos dias? Se você deseja saber a verdade contida na Bíblia é necessário que seu coração deseje compreender a vontade de Deus e não simplesmente fazer o que todo mundo faz.
A princípio não existe nenhum erro em comer peixe ou chocolate, mas há um equívoco em fazer destes elementos símbolos da páscoa.
Assim como o Natal que na sua essência está deturpado, a Páscoa tem sofrido a mesma influência pagã e, portanto, afastado as pessoas do seu propósito. Neste artigo, você terá a oportunidade de descobrir o sentido da Páscoa e escolher no final se vai ficar com o coelho ou com o cordeiro. Espero que a verdade de Deus liberte sua alma e faça de você um seguidor ou seguidora do Cordeiro.
"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."
"Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres". (João 8:32;36)
O Coelho da Páscoa – No paganismo era comum à representação de divindade por meio de animais, a influência egípcia, bem como babilônica, alcançaram as nações da terra. A deusa da fertilidade era representada por um coelho, animal como enorme capacidade de multiplicação. Era também exigido um ovo em seu altar para depois ser levado para casa. Devo esclarecer também que a Páscoa é uma festa bíblica, o que estou combatendo é a perversão dos valores cristãos com a inserção dos valores pagãos. A religiosidade deturpada misturou paganismo com cristianismo, santo com o profano. Deus está levantando uma geração na terra que promoverá o culto santo ao Senhor e destruirá todo império da profanação em nome de Jesus. A páscoa como está sendo ensinada é transgressão da Lei de Deus e afronta o seu culto, eu sou um agente do Reino de Deus para destruir a insídia do inferno e glorificar Jesus como o Cordeiro de Deus.
Há uma promessa de restauração a ser cumprida, (Ez 42:20) "Mediu-o pelos quatro lados. Havia um muro em redor, de quinhentas canas de comprimento, e quinhentas de largura, para fazer separação entre o santo e o profano." A Igreja do Senhor está guerreando em oração e aprendendo a diferenciar o santo do profano. O falso tenta parecer o máximo com o verdadeiro, assim como há falsos cultos, há falsos profetas no meio do templo. É nosso dever ensinar a cada pessoa a verdade do Evangelho (Ez 44:23) "E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro".
Você que está lendo este artigo precisa saber avaliar se seu comportamento é santo ou profano.
Deus lhe dá opções para escolher, saiba que sua decisão dirigirá o curso de sua alma na eternidade. O coelho na Bíblia (Antigo Testamento) era um animal imundo (Lv 11:5-6) "o coelho, porque rumina, mas não tem a unha fendida, esse vos será imundo; a lebre, porque rumina, mas não tem a unha fendida, essa vos será imunda". Não parece estranho que um animal imundo seja hoje o símbolo da Páscoa? Tampouco o ovo aparece na Bíblia, apenas nas religiões pagãs onde era visto como sinal de contrato entre o adorador e a divindade.
"No século XVIII, a Igreja Católica Apostólica Romana resolveu consagrar o ovo como símbolo da Páscoa. Os ovos eram bentos e levados para casa pelos fiéis, como sinal de fertilidade e da reprodução da vida". É muito difícil resistir ao sabor do chocolate, mas saiba desde já porque eles existem, e decida levá-los ou não para sua casa a fim de ofertá-los aos seus entes queridos. (II Co 6:17-18 – Ap 18:4) "Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso". "Ouvi outra voz do céu dizer: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas".
Ninguém come ovos de chocolate por que quer ofender ao Senhor, ou participar de um ritual pagão, mas devemos aprender seu significado e decidir se vamos ou não participar. Quem come do altar dele participa. (I Co 10:14-22)
Não propague o significado errado da Páscoa. Ensine a seus filhos e amigos o verdadeiro sentido da Páscoa com Jesus.
O Cordeiro da Páscoa – Páscoa significa "Passagem".
"Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios; e, ao ver o sangue na verga da porta e em ambos os umbrais, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas para vos ferir".(Ex 12:23)
Nome da primeira das três festas anuais a que deveriam comparecer todos os varões de Israel, conhecida também pelo nome de festa dos pães asmos. (Ex 23:15; Dt 16:16; 12:43) "A festa dos pães asmos guardarás: sete dias comerás pães asmos como te ordenei, ao tempo apontado no mês de abibe, porque nele saíste do Egito; e ninguém apareça perante mim de mãos vazias". Foi instituída para celebrar a Redenção de Israel do cativeiro Egípcio, naquela noite Deus feriu os primogênitos do Egito, poupando somente os israelitas, pois em cada casa havia no umbral da porta sangue de um cordeiro. Todos deviam estar preparados com bordões nas mãos, cingidos os lombos esperando a ordem de marchar. A partir daquele dia Deus instituiu esta celebração, o povo deveria imolar um cordeiro, assá-lo inteiro e comê-lo com ervas amargas e com pães sem fermento. "O Sangue derramado representava expiação (perdão), as alfaces bravas significavam as amarguras do cativeiro, os pães asmos era o emblema da pureza". (Lv 2:11-I Co 5:7-8)
Nenhuma oferta de cereais, que fizerdes ao Senhor, será preparada com fermento; porque não queimareis fermento algum nem mel algum como oferta queimada ao Senhor.
Expurgai o fermento velho, para que seja massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado. Pelo que celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os asmos da sinceridade e da verdade. "Os israelitas defendidos pelo sangue que os fazia lembrar as aflições de que haviam sidos libertados, e santificados para o serviço do Senhor Deus, passaram a ser o povo de Jeová em alegre a jubilosa comunhão com Ele.
"O Cordeiro da Páscoa era o sacrifício aceitável, que Deus havia instituído no Antigo Testamento. Jesus é a nossa Páscoa (I Co 5:7) "Expurgai o fermento velho, para que seja massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado". É o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1:29)
"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo". O Cordeiro tinha de ser sem defeito. (Ex 12:5) "O cordeiro, ou cabrito, será sem defeito, macho de um ano, o qual tomará das ovelhas ou das cabras". E Cristo cumpriu esta exigência (I Pe 1:18-19) "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo".
Tinha de ser separado para o sacrifício quatro dias antes do 14º dia. (Ex 12:3) "Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família". Assim como Cristo entrou em Jerusalém no dia da separação do cordeiro, e morreu no mesmo dia do sacrifício. Precisava ser imolado pela congregação inteira, assim como Cristo foi sacrificado pelos líderes civis e religiosos de Israel e Roma, e pela vontade da turba popular, em prol do mundo inteiro (Ex 12:6) "E o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha". Nenhum osso do cordeiro deveria ser quebrado (Ex 12:46) "Numa só casa se comerá o cordeiro; não levareis daquela carne fora da casa nem lhe quebrareis osso algum". Compare com (Jo 19:33;36) "Mas vindo a Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; Porque isto aconteceu para que se cumprisse a escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado".
O sangue do cordeiro era o símbolo do Cordeiro de Deus, e fazia estar sobre o povo a proteção divina contra a escravidão do pecado e do castigo. (Ex 12:13) "Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito". Assim também, o sangue de Jesus nos liberta da escravidão de satanás e da punição eterna. Como você pode ver, Páscoa tem a ver com nossa libertação de toda escravidão e morte no pecado. Roma ensinou que devemos comer peixe por uma mera tradição na sexta-feira. Não importa a comida que comeremos, se seguíssemos alguma tradição deveríamos comer cordeiro, ervas amargas e pão sem fermento.
Mas Deus não nos prendeu a tradições, a cruz nos faz lembrar nesta data que nosso Cordeiro foi imolado para nos salvar de nossos pecados e nos dar a vida eterna. Hoje é o dia de você escolher, (Jo 3:16;36) "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". "Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus".
"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo". Ao único Deus sábio seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre.

 Marcos Alberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...