terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O que César Augusto jamais sonhou

Para que o Natal viesse a se realizar, Deus tomou providências no céu e na terra, providências que incluíam até o imperador romano. O poderoso César Augusto pode ter se iludido com a idéia de que a primeira contagem e o recenseamento da população de Canaã, juntamente com seus súditos, tenha sido fruto de sua própria sabedoria. Mas na realidade isso não foi nada mais que a execução do sábio plano divino. Entre os judeus Deus encontrou José e Maria, um casal que era temente ao Senhor e que humildemente permitiu ser guiado pela mão divina. Em Nazaré, José jamais teria tido a idéia de viajar com sua esposa grávida até a distante cidade de Belém. O que ele iria fazer ali, num lugar tão pequeno e afastado? No máximo, visitar seus parentes.
José, descendente do rei judeu Davi, vivia em Nazaré como modesto carpinteiro (tecton em grego, alguém que trabalha em edificações), em fraqueza humana mas com o caráter de um tsadiq, um justo. Deus se agradava dele, e José permitiu que anjos divinos o conduzissem através das maiores complicações, fazendo-o superar grandes obstáculos.
Maria, uma jovem judia íntegra e sincera foi eleita pela soberana vontade do Senhor para ser a mãe de Jesus. Deus “contemplou na humildade da sua serva” (Lc 1.48). O Senhor realizou através dela o maravilhoso milagre da concepção virginal. Isso já havia sido predito 700 anos antes pelo profeta Isaías: “Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel” (Is 7.14). O mundo se escandaliza e não aceita esse grande acontecimento como sendo real. Mas se derrubamos essa verdade, a Verdade toda cai por terra! Como poderia Deus, que criou todo o universo e as leis da natureza, ser incapaz de suspendê-las para cumprir Seus desígnios? Ele, a quem todos os elementos da natureza estão sujeitos, não precisa nos perguntar se pode fazer alguma coisa ou não. Ao realizar milagres e atos sobrenaturais, Deus está testando nossa fé e nossa disposição de confiar nEle de todo o coração.

Caso as Sagradas Escrituras contivessem uma única inverdade, ela seria inverossímil como um todo e não poderia mais ser chamada de Palavra de Deus. A própria Escritura explica que, no caso dessa gravidez, a natureza não esteve em ação mas foi o Espírito Santo que agiu: “Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus. Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas” (Lc 1.35,37). Já em Gênesis está escrito: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18.14).

Chamada da Meia Noite

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...