sábado, 1 de agosto de 2015

Sobre a Tentação

Às vezes, sentimos que o Espírito Santo nos guia e sempre guiará “mansamente a águas tranquilas” (Sl. 23,2). Mas isto não é necessariamente verdade. Ele levou Jesus ao deserto para um longo e difícil período de provas, e também pode conduzir-nos em meio a situações difíceis. Assim, quando você enfrentar tribulações, primeiro certifique-se de que não as acarretou, por meio de pecados ou escolhas erradas. Se você não encontrar um pecado para confessar ou um comportamento errado para mudar, peça a Deus para fortalece-lo durante sua provação. Finalmente, seja cuidadoso para seguir fielmente a Deus aonde quer que o Espírito Santo o conduza.

Alguns entendem que a tentação frequentemente vem depois de uma vitória em nossa vida secular ou ministério. Lembre-se de que Satanás escolhe momentos adequados para seus ataques. Precisamos estar alerta tanto nos períodos de vitória quanto nos de desânimo.

Satanás tentou Adão e Eva no jardim do Éden e tentou Jesus no deserto. O Diabo é um ser real, um anjo caído e rebelde, não um símbolo ou uma ideia. Ele luta constantemente contra Deus e contra aqueles que seguem e obedecem ao Senhor. Jesus foi o principal alvo das tentações do Diabo. Este teve sucesso contra Adão e Eva, e esperava ser bem-sucedido em sua investida contra jesus, mas foi frustrado.

Conhecer e obedecer à Palavra de Deus é uma arma eficaz contra a tentação; a única arma ofensiva na armadura do cristão (Ef.6,17). Jesus usou as escrituras para contra-atacar satanás, e você pode também fazê-lo. Mas para usar essa arma eficazmente, você deve ter fé nas promessas de Deus, porque satanás também conhece a palavra e é perito em distorcê-la, para alcançar os seus propósitos. Obedecer às Escrituras é mais importante do que simplesmente citar um versículo. Leia diariamente a Bíblia sagrada e aplique a Palavra à sua vida. Assim a sua “espada” estará sempre afiada.

A tentação faz parte da experiência humana. Para jesus ser humano e entender-nos completamente, era necessário que Ele enfrentasse a tentação (Hb. 4,15). Também era necessário que Jesus desfizesse a obra de Adão. Embora tenha sido criado perfeito, Adão cedeu à tentação e pecou, fazendo com que, a partir de então, todo ser humano pudesse pecar. Em contrapartida, Jesus resistiu a satanás. A vitória do Filho de Deus oferece a salvação a todos os descendentes de Adão.

Satanás pode tentar-nos a duvidar da verdadeira identidade de Cristo. Uma vez que questionemos se Jesus é ou não Deus, torna-se muito mais fácil cedermos à vontade do maligno. Os momentos de questionamento podem ajudar-nos a colocar as nossas crenças em ordem e fortalecer a nossa fé, mas são perigosos. Se você estiver lidando com a dúvida, saiba que está especialmente vulnerável à tentação. Mesmo ao buscar respostas, proteja-se meditando nas verdades inabaláveis da Palavra de Deus.

Às vezes o que somos tentados a fazer não é errado em si mesmo. Transformar uma pedra em pão não era necessariamente ruim. O pecado não estava no ato, mas na razão por trás. O Diabo tentou fazer com que jesus tomasse um atalho e resolvesse o problema de imediato, à custa de seus objetivos futuros; quis que Jesus buscasse o conforto à em sacrifício da disciplina. Satanás trabalha frequentemente deste modo, persuadindo-nos a tomar uma atitude que, mesmo certa, possui uma motivação errada ou é praticada no momento inoportuno. O fato de algo não ser errado não significa que seja bom para você em um certo momento. Muitas pessoas pecam ao tentar satisfazer desejos legítimos fora da vontade de Deus ou à frente do tempo estabelecido por Ele. Antes de agir, primeiro se pergunte: o Espírito Santo está me guiando a fazer isto ou é satanás tentando colocar-me fora do caminho?

Frequentemente somos tentados não em nossas fraquezas, mas naquilo que temos domínio. O Diabo tentou a Jesus em seu ponto forte. Jesus tem todo poder; Ele poderia usá-lo para mover ou transformar as pedras, governar os reinos do mundo, e até convocar os anjos para servi-lo. Satanás queria que jesus usasse este poder sem considerar sua missão. Quando cedemos ao Diabo e usamos erradamente nossos recursos, tornamo-nos orgulhosos e presunçosos. Confiando em nosso próprio poder, sentimos pouca necessidade de Deus. Para evitar esta armadilha, devemos perceber que nossas forças e dons são dádivas de Deus para nós; devemos consagrá-los a Deus.

O Diabo arrogantemente esperava ter sucesso em sua rebelião contra Deus caso conseguisse desviar Jesus de sua missão e fosse adorado por Ele. Ao afirmar que este mundo era dele, não de Deus, o Diabo estava dizendo: “Se você espera fazer qualquer coisa aqui, é melhor reconhecer este fato”. Jesus não discutiu com Satanás sobre quem possui o mundo, mas recusou-se a adorá-lo. Jesus sabia que redimiria o mundo ao entregar a sua vida na cruz; Ele não fez uma aliança com um anjo decaído e corrupto.

A vitória de cristo sobre o Diabo no deserto foi decisiva, mas não final. Ao longo de seu ministério, Jesus confrontaria Satanás de muitas formas. Frequentemente, vemos a tentação como algo que ocorre de uma vez por todas. Na realidade, precisamos estar constantemente alerta contra os ataques contínuos do Diabo.

Bíblia de Estudo
Aplicação Pessoal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...