sábado, 30 de maio de 2015

... e foi sem deixar de si saudades

Historicamente os reis de Israel e Judá se dividiram entre os que fizeram o que era reto aos olhos do Senhor e os que fizeram o oposto. O rei Jeosafá de Judá estava no grupo dos reis fiéis a Deus, que amava  seu Deus, seu povo e seus filhos, tanto é que ele deu muitos presentes e coisas preciosas a todos os filhos, além de cidades fortificadas.

Um dia Jeosafá dormiu no Senhor e em seu lugar reinou seu filho mais velho, Jeorão. Nem sempre filho de peixe é peixinho e Jeorão nada tinha de seu pai, pelo contrário, ele se revelou um rei cruel, infiel e homicida. A primeira providencia de Jeorão depois que assumiu o trono de Judá, foi matar todos os seus irmãos e alguns príncipes de Israel, veja: “E, subindo Jeorão ao reino de seu pai, e havendo-se fortificado, matou a todos os seus irmãos à espada, como também a alguns dos príncipes de Israel.”(2 Crônicas 21:4).

Pois é, mas o mal tem vida curta e Jeorão reinou por apenas oito anos em Judá e não deixou saudades, porque ele era casado com uma filha do rei Acabe e resolveu seguir os maus caminhos da casa do mal afamado rei de Israel, ao invés dos belos caminhos construídos por seu pai. Não foi uma boa ideia.

A única razão para Jeorão reinar em Judá por longos oito anos, foi a aliança de Deus com Davi, segundo a qual o Senhor prometeu a Seu servo que sempre haveria um descendente seu em Jerusalém e Deus é fiel e cumpre Suas promessas, mesmo quando somos infiéis. Jeorão era cruel, fazia o que era mau aos olhos do Senhor, mas havia uma aliança que foi mantida.

As coisas iam de mal a pior em Judá. As relações internacionais começaram a manifestar os desmandos do rei Jeorão e os edomitas se revoltaram contra Judá e constituíram um rei. Jeorão não conduziu bem a questão, antes passou adiante deles com todos os seus carros e príncipes e feriu, de noite, o exército edomita, mas ainda assim ele não conseguiu subjugar a revolta dos edomitas que são inimigos de Israel até hoje.

Ao mesmo tempo os de Libna, que era uma cidade que ficava ao sudoeste da Palestina, se revoltaram contra o reinado de Jeorão, porque ele deixou o Deus de seus pais. Além dos problemas externos, Jeorão fez altares a deuses estranhos nos montes de Judá e corrompeu os moradores de Jerusalém e de Judá. Jeorão havia extrapolado os limites do mal e Deus mandou um recado para ele através do profeta Elias, que dizia que Jeorão não havia andado nos caminhos dos reis de Judá, mas, sim, nos caminhos dos reis maus de Israel e por isso Deus feriria com grande flagelo seu povo, seus filhos, suas mulheres e suas propriedades, como também feriria ao próprio rei com uma doença incurável em suas entranhas.

Dito e feito. O Senhor levantou o espírito dos filisteus e dos árabes e eles subiram a Judá e levaram todos os bens da casa do rei, como também seus filhos e suas mulheres, o único que foi poupado foi Jeoacaz, filho mais novo de Jeorão. E aí Jeorão foi ferido pelo Senhor em suas entranhas com uma doença incurável.

Depois de dois anos as entranhas de Jeorão saíram de seu ventre e ele morreu daquela enfermidade, tal como decretou o Senhor através de Elias. Um rei mau que não foi chorado por seu povo, que sequer queimou aromas por sua morte, como era sua tradição.

Jeorão morreu aos quarenta anos de idade, depois de reinar por oito anos em Judá e não teve as honrarias de rei e não foi sepultado nos sepulcros dos reis e não deixou saudades, veja: “Era da idade de trinta e dois anos quando começou a reinar, e reinou oito anos em Jerusalém; e foi sem deixar de si saudades; e sepultaram-no na cidade de Davi, porém não nos sepulcros dos reis.” (2 Crônicas 21:20).

É triste a morte dos que não amam a Deus e eles não deixam saudosa memória, veja o que está escrito: “A memória do justo é abençoada, mas o nome dos perversos apodrecerá.” (Provérbios 10:7). Jeorão fez o que era mau aos olhos do Senhor e apodreceu em vida, mas o mesmo acontece a todos os que rejeitam Jesus como Salvador: apodrecem espiritualmente e em vida.

 A única fonte que jorra vida eterna é Jesus, mas muitos O têm rejeitado, algumas vezes por medo, outras por preconceito, mas ninguém por desconhecer a verdade. De uma forma, ou de outra a salvação é oportunizada a todos, mas nem todos a recebem com a alegria de quem encontra um tesouro e Jesus é o maior tesouro que podemos conquistar. Reconhecer Jesus como Salvador, salva o corpo, a história pessoal e livra o homem da segunda morte. Venha para Jesus por amor, não por medo do inferno, afinal o céu é Jesus e o inferno é a separação definitiva de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...