domingo, 10 de agosto de 2014

Pai, um homem de valor!

Ser pai é um sublime privilégio e também uma imensa responsabilidade. Não basta gerar filhos, é preciso educa-los e prepara-los para a vida. Muitos homens tornam-se famosos e alcançam o apogeu do sucesso na carreira profissional, mas poucos têm êxito no recôndito do lar. Ainda hoje, a paternidade responsável é uma das missões mais nobres, árduas e desafiadoras. O pai de verdade é um homem que faz diferença na vida dos filhos, é exemplo para eles; e antes de ensinar-lhes algo, vive o que ensina; antes de inculcar neles a verdade, a tem em seu coração; ele ensina o caminho aos filhos e ensina-os no caminho. O exemplo não é apenas mais uma forma de ensinar, antes é a única maneira eficaz de fazê-lo. Precisamos de pais que sejam modelo de honestidade para os filhos.
Um pai que faz diferença encontra tempo para os filhos. Quem ama valoriza. Quem ama prioriza. Quem ama encontra tempo para a pessoa amada. Os filhos são importantes. Eles merecem o melhor do nosso tempo, da nossa agenda, da nossa atenção. Se o pai está tão ocupado a ponto de não ter tempo para os filhos para seus filhos, ele está sobrecarrega demais. Na verdade, nenhum sucesso compensa o fracasso do relacionamento com os filhos. A herança de Deus na vida dos pais não é o dinheiro, mas os filhos, que por sua vez, precisam dos pais mais do que de coisas. Presentes jamais substituem presença.
Um pai, que queira fazer diferença, deve equilibrar correção e encorajamento. Deixar de corrigir os filhos é um grande perigo. Porém, a correção precisa ser dosada com o encorajamento. O rei Davi pecou contra seus filhos por não contrariá-los. O sacerdote Eli foi acusado de amar mais aos filhos do que a Deus, sendo conivente com o erro deles e não tendo pulso para corrigi-los. Os filhos precisam ser encorajados pelos pais. Correção sem encorajamento é castigo; encorajamento sem correção é bajulação. Ambos são nocivos para a formação do caráter.
Para fazer diferença, um pai deve cuidar da vida espiritual de suas crianças. Não basta cuidar da vida física, intelectual e emocional, é preciso também cuidar da vida espiritual. Um pai que faz diferença age como o patriarca Jó, que intercedia todas as madrugadas por seus filhos e os chamava para santifica-los. Não basta ter filhos brilhantes, bem-sucedidos profissionalmente, precisamos ter filhos salvos, consagrados a Deus. Nossos filhos devem ser mais filhos de Deus do que nosso. Devem ser criados para realizar os sonhos de Deus, devem viver para a glória de Deus.
Por Hernandes Dias Lopes
Fonte: Livro – Pai, um homem de valor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...