segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Cura para a Depressão


A Organização Mundial de Saúde aponta a depressão como a quarta enfermidade mais comum do planeta. Calcula-se que 121 milhões de pessoas sofrem de depressão. Projeta-se que até 2020, a depressão será o principal problema de saúde mundial. Estima-se que 6 a 8% dos brasileiros adultos têm esta doença, o que corresponde a 10 milhões de pessoas. 60% são mulheres e 40% homens.

1. O QUE É A DEPRESSÃO?
A depressão é quando a tristeza toma proporções muito maiores que impedem a pessoa de manter o estilo de vida do cotidiano. A depressão é uma doença "do corpo como um todo", que compromete seu corpo, humor e pensamento. Ela afeta a forma como você se alimenta e dorme, como se sente em relação a si próprio e como pensa sobre as coisas. "Os sinais de depressão incluem tristeza, apatia e inércia, tornando difícil continuar vivendo ou tomar decisões; perda de energia e fadiga, normalmente acompanhadas de insônia; pessimismo, desesperança; medo, auto-conceito negativo, quase sempre acompanhado de autocrítica e sentimentos de culpa, vergonha, senso de indignidade e desamparo; perda de interesse no trabalho, sexo e atividades usuais, perda de espontaneidade; dificuldade de concentração; incapacidade de apreciar acontecimentos ou atividades agradáveis; e freqüentemente perda de apetite" (Gary R. Collins).

A Bíblia registra que a fé não nos impede de passar pela depressão. Alguns servos de Deus passaram pela depressão:

Jó: Por que não morri eu na madre? Por que não expirei ao sair de ia? (Jó 3.11).

Moisés: "Se assim me tratas, matame de uma vez, eu te peço, se tenho achado favor aos teus olhos..(Nm 11.15).

Noemi: "…Não me chameis Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo-poderoso"(Rt 1.20).

Davi: Por que estás abatida, ó minha aLma? Por que te perturbas dentro de mim? (SI 42.5).

Jonas: Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver (Jn 4.3).

JESUS: "…A minha alma está profundamente triste até à morte…" (Mt 26.38).

No estudo de hoje, focalizamos a experiência de Elias: Ele mesmo, porém, se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse: Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais (1 Rs 19.4). No caso de Elias não se configura um quadro de depressão crônica, mas um estado depressivo.

2. QUAIS AS CAUSAS DA DEPRESSÃO?
As causas são diversas. Estudos mostram que as principais causas são:

2.1. Influência de uma pré-disposição genética. Há pessoas que são depressivas por herança genética ou por hereditariedade. Quando um depressivo consulta um especialista, a primeira pergunta que o médico lhe faz é: há casos de depressão em sua família?

2.2. Tipo de personalidade. Pessoa perfeccionista, por exemplo, não admite falha ou erros em si mesmo, naquilo que faz e nas outras pessoas.

2.3. Vivência de situações difíceis, traumatizantes ou frustrantes. Acidente, morte de pessoa querida, divórcio, desemprego, são grandes causadores da depressão.

2.4. Devido a uma condição clínica (ou por causa do uso de determinados medicamentos). Que desequilibra a quantidade de serotonina e noradrenalina, neurotransmissores responsáveis pela comunicação dos neurônios.

2.5. Excesso de trabalho. O estresse do trabalho com uma agenda carregada de compromissos tem gerado a depressão, principalmente, nas grandes metrópoles.

2.6. Crise existencial. Há pessoas que, ao refletir sobre o sentido da vida, entram em depressão. Algumas são levadas até a tentativa de suicídio.

2.7. Problemas espirituais. A Bíblia declara que encobrir ou ocultar erros, opressão demoníaca e sentimento de culpa produzem estados de melancolia.

3. ANÁLISE DA VIDA DE ELIAS
Podemos aprender muito da vida e da experiência de Elias. Ele não é apenas um profeta, mas uma profecia. Sua experiência nos serve de instrução. Era homem de paixões como as nossas (Tg 5.17). Quais as causas de sua depressão?

3.1. Cansaço físico. O excesso de trabalho provoca o estresse. O profeta estava muito cansado com a excitação do Carmelo (1 Rs 18.46).

3.2. Carência de simpatia. "Eu fiquei só", exclama Elias (v. 14). A solidão de sua posição era chocante. Vivendo a sós com suas meditações, sentia a falta de amigos e de apoio humano. Então passou a aumentar autocomiseração e complexo de perseguição.

3.3. Carência de ocupação. Enquanto Elias teve o trabalho de profeta para realizar, mesmo difícil como tal, tudo ia bem. Achava-se útil. Para ele, porém, a sua ocupação acabou. Com a desmoralização pública de Baal e a morte dos seus 450 profetas, Elias entendeu que a idolatria em Israel chegara ao fim. A desgraça de um homem começa quando ele se acha inútil.

3.4. Desapontamento em suas expectativas de êxito. No Carmelo o grande objetivo pelo qual Elias vivera parecia a ponto de realizar-se. Os profetas de Baal foram mortos – Jeová foi reconhecido a uma só voz; a falsa adoração foi derrubada. O objetivo da vida de Elias – A transformação de Israel num reino de Deus – quase foi realizada. Em um só dia todo esse quadro brilhante foi aniquilado.

4. COMO TRATAR A DEPRESSÃO?
Após o diagnóstico, detectada a doença e a sua extensão, aplica-se o remédio. Deus é o Senhor da ciência e para a depressão já existem os remédios antidepressivos, cujo objetivo é fazer com que o humor volte ao normal. Um aliado da medicação é a psicoterapia.

No caso de Elias, não existiam os remédios antidepressivos. Ele recebeu um tratamento direto de Deus. E qual foi o tratamento dado por Deus para a depressão de Elias?

4.1. Tratamento físico. Deus reuniu as forças exauridas de Seu servo. Deus permitiu que ele dormisse e o alimentou com refeições miraculosas (w.5-8). O melhor remédio para a depressão é o descanso, alimentação equilibrada, repouso regular e atividade física.

4.2. Desabafo. Deus permitiu que ele desabafasse o seu pesar (v. 10). Muitas vezes, esse é o maior e imediato alívio. Elias expôs seu problema, e assim, acalmou a própria mente.

4.3. Mudança de ambiente. Andando sem parar, Elias chegou ao Monte Horebe (1 Rs 19.8). Há ambientes depressivos e há ambientes que ajudam a vencer a depressão.

4.4. Combate à autoridade. Deus o fez sentir a seriedade da vida. "Que fazes aqui Elias?" (v. 9). A vida é ação. O profeta estava atuando, mas lamentando-se. Tal voz se repete a todos nós, despertando-nos de nosso comodismo e da nossa falta de compromisso.

4.5. Restauração afetiva. Deus lhe contou Boas-novas: "Também conservei em Israel sete mil" (v.18). Você não está sozinho, Elias! Assim, pois, a vida de Elias não foi um fracasso afinal de contas!

4.6. Terapia ocupacional. Deus lhe deu mais trabalho para fazer (w. 15-17). Ungir outros, pelos quais os propósitos de castigo e de instrução do Senhor seriam efetuados. A melhor inspiração nas horas de depressão é receber mais responsabilidade das mãos de Deus, para ter sua vocação renovada.



4.7. Terapia espiritual. No seu desânimo ou depressão, Elias precisava renovar a sua visão de Deus (vv. 11-12). Deus se revela a Elias através de fenômenos naturais.

A depressão deve ser vista como uma enfermidade física e também espiritual. Para a primeira, encaminha-se a um médico especialista. A segunda pode ser curada pela Palavra de Deus.

O mais forte e mais santo fiel sobre a terra está sujeito a momentos de desânimo e depressão, e é bom saber, por via das Escrituras, que alguém esteve no Vale da Sombra da Morte. Crente também fica doente. Elias era um herói da fé, mas também era um "vaso de barro" (2 Co 4.7). E a sua experiência revela que nos momentos mais difíceis da vida, Deus ministra conforto aos seus servos.


Pr Josias Moura  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...