sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Num abrir e fechar de olhos

“Num momento, NUM ABRIR E FECHAR DE OLHOS, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” (I Co. 15:52).

Nossas pálpebras piscam mais rápido que a nossa própria imaginação: “O fim do mundo”. Nossos olhos são impressionantes! São a Luz de nosso corpo! O Farol de nossa alma. Os olhos precisam ser sempre saudáveis. Eles nos dão cores, vida e luz no dia e noite. Por isso piscamos. Fechamos e abrimos os olhos para lubrificá-los, limpá-los. É um momento muito rápido, abrir e fechar de olhos.

Há uma revista científica que curto muito: Super Interessante, Editora Abril, em seu artigo 19, a revista afirma que um adulto normal fecha os olhos 24 vezes por minuto. Para umidificá-los e lima-los.

As Pálpebras funcionam como se fossem limpadores de pára-brisa. Uma piscada dura apenas alguns décimos de segundo, e esse tempo bem como a freqüência das piscadas variam de acordo com o estado geral e com o humor de cada pessoa. Com muito cansaço, por exemplo, pisca-se cerca de quarenta vezes por minuto.

Estudos recentes indicam, por análise de eletroencefalogramas, que o cérebro “desliga” o olho cerca de 50 milésimos de segundo antes de cada piscada. Isso seria uma forma de economizar o olho, pois este, durante a piscada, não seria mesmo capaz de passar nenhuma informação visual ao cérebro. Somando-se o tempo de “desligamento” do olho relativo a uma freqüência de 24 piscadas por minuto, chega-se ao total de 1,2 segundo de cegueira por minutos, o que corresponde, numa vida de 70 anos, a aproximadamente 21 dias sem enxergar.

A Bíblia diz que todo o olho verá Jesus vindo sobre as nuvens para reinar. (Ap. 1:7).

Num abrir e fechar de olhos. Gosto de levar essa pregação comigo. Lembro-me de uma vez em que pregava numa cidade do interior de Goiás, no Brasil, numa praça de Luziânia. Era uma noite de sábado, um pouco fria, porém iluminada e alegre. Havia muitos jovens ao redor daquela praça. Muitas pessoas sentaram para ouvir e outras continuavam passeando, comendo, comprando e passeando pela feira daquela praça. Deus me levou a falar da volta de Jesus na terra. Foi quando comecei a rascunhar sobre o piscar de olhos. E foi sobre isso que preguei.

Às vezes costumamos relacionar o fim do mundo com a volta de Jesus. Contudo, antes desse episódio chamado FIM, a humanidade experimentará e verá com seus olhos outros eventos acontecendo no céu, para aqueles que subirem no *arrebatamento e na terra, infelizmente para aqueles outros que ficarem. Vamos aprofundar o roteiro desse ensino num futuro artigo porque hoje vamos prender nossa atenção na velocidade de uma piscada, o momento em Jesus retornará em nuvens com júbilo e grande clamor de trombetas. Ele nos chamará pelo nome, nós o veremos e o ouviremos. Nossos olhos o verão e nós, o que estivermos vivos, seremos transformados e subiremos com Ele.

Ao terminar a pregação, o que me chamou a atenção mesmo foi que algumas pessoas que ouviam de longe o ensino, me procuraram e disseram que estavam com medo, um dia o mundo iria “acabar”. Eram jovens cristãos desviados do evangelho verdadeiro, não estavam com a certeza do arrebatamento para o céu Naquele Dia… Minha resposta foi imediata: Jesus não veio para destruir o mundo, veio para salvar o que se havia perdido.

Tomem logo a atitude do reencontro com Ele. Oramos ali mesmo num momento muito festivo de reconciliação. Glória a Deus!

Jesus ensinou seguinte sobre o fim do mundo em Mateus 24:
 E, QUANDO Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.  Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.  E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?  E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;  Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.  E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.  Mas todas estas coisas são o princípio de dores.  Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.  Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.  E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.  E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.  Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.  E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.  Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;  Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes;  E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;  E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.  Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!  E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;  Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.  E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.  Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito;  Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.  Eis que eu vo-lo tenho predito.  Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.  Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.  Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias.  E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.  Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.  E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.  Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.  Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.  Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.  O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.  Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.  E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.  Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,  E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.  Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;  Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.  Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.  Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.  Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.  Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?  Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.  Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.  Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;  E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,  Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe,  E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.

Pois é…como podemos ver, a Vinda do Filho do Homem será a qualquer hora, a qualquer momento… Numa simples “piscada’ de tempo. Num abrir e fechar de olhos!


Pr. Claudio Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...