sábado, 11 de maio de 2013

O VERDADEIRO DEUS DAS TEMPESTADES



“Iahweh é tardio em irar-se, mas grande em força, e ao culpado não tem por inocente; Iahweh tem o seu caminho na tormenta, e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés” (Na. 1:3).



Após a leitura da mensagem do Blog “A Tenda na Rocha”, meditando, fiquei perplexo diante do conjunto imenso de deuses das tempestades de certas mitologias: do panteão egípcio, grego, nórdico, romano, eslavo, celta, etc. Propus-me, então, expor um pequeno tratado acerca do assunto, sem querer é claro, esgotá-lo, fazendo uma comparação entre estes e o Deus da Bíblia. Vamos lá!

Baal, em hebraico, significa ‘senhor’, ‘patrão’ 'dono' ou ‘marido’. Contudo, na maioria das vezes o vocábulo é usado na Bíblia como um nome próprio, em referência a uma divindade particular, ou seja, a Hadad, o deus semítico ocidental do vento e da tempestade, o deus mais importante dos cananeus. Apesar dessa definição, no Antigo Testamento se usa muitas vezes o termo ‘baalim’, o plural de ‘baal’ (veja 1Reis 18,18). Isso prova que se distinguiam diversos deuses com o nome de Baal. De fato, em 1Reis 18, no Monte Carmelo, Baal é identificado provavelmente com o deus Melkart, deus da cidade de Tiro.



Zeus - O deus supremo do mundo, o deus por excelência. Presidia aos fenômenos atmosféricos, recolhia e dispersava as nuvens, comandava as tempestades, criava os relâmpagos e o trovão e lançava a chuva com sua poderosa mão direita, à sua vontade, o raio destruidor; por outro lado mandava chuva benéfica para fecundar a terra e amadurecer os frutos. Chamado de o pai dos deuses, por que, apesar de ser o caçula de sua divina família, tinha autoridade sobre todos os deuses, dos quais era o chefe reconhecido por todos. Tinha o supremo governo do mundo e zelava pela ordem e da harmonia que reinava nas coisas. Depois de ter destronado o sei pai, dividiu com seus irmãos o domínio do mundo. Morava no Olimpo, quando sacudia a égide, o escudo formidável que lançava relâmpagos explodia a procela. Casou-se com Hera, porém teve muitos amores.



THOR – Deus dos trovões, considerado o mais forte entre os deuses e o mais adorado entre os povos germânicos, por isso teve a maioria dos templos em sua homenagem. Filho de Odin com Jord, Thor tinha em seu martelo Mjolnir sua principal arma, com a qual produzia raios. Considerado grande para um deus, de um apetite grande e extremamente forte, adorava disputa por poder e era o campeão entre os deuses contra os inimigos, os gigantes do gelo. Era casado com Sif, deusa da colheita, com quem teve uma filha chamada Thurd, além de mais 2 filhos com a gigante Jarnsaxa, Magni (força) e Modi (coragem). A quinta feira era dedicada a deus, sendo chamado dia de Thor (Thursday em inglês).



PERUN – Deus supremo do panteão eslavo, também é o senhor das tempestades, dos relâmpagos, dos juramentos e do trovão. Era cultuado principalmente por nobres russos quievitas. Seu nome deriva de piorun, que significa “raio”. Em outras fontes era o responsável por fertilizar a terra e conhecido por ser temperamental. Possui semelhança com o deus nórdico Thor, por ter como arma um martelo que quando é atirado retorna a sua mão. Seu principal mito está ligado a Veles, deus do submundo, que roubou seu gado, filhos e esposa. Perun conseguiu derrotar Veles, enviando-o novamente para o submundo.



DODOLA – Deusa da chuva, e esposa de Perun, deus do trovão. Segundo os eslavos a origem da chuva estava ligada a Dodola quando esta retirava leite das vacas celestiais. Também afirmavam que na primavera saia voando e espalhava sobre as vegetações vernais, decorando as árvores e as flores.



VARPULIS – Deus dos ventos e das tempestades, companheiro de Perun.



KOLIADA – Deusa responsável por trazer o sol a cada dia, também considerada deusa do céu. Sempre é perseguida por Mara que pretende detê-la e deixar o mundo em uma escuridão total.



STRIBOG – Cultuado como deus dos ventos, do céu, do ar, ancestral dos ventos das oitos direções.



ÉOLO – Deus dos ventos, filho de Poseidon. Seu principal mito resume-se a passagem de Odisseu em sua ilha. Ao chegar ao local Odisseu pediu ajuda ao deus. Este, compadecido pelo problema do herói colocou em um grande saco os ventos, mas pediu para não abrir o saco até chegar a Ítaca. Após embarcarem um dos tripulantes, pensando no saco ser ouro, decidiu abrir. Todos os ventos saíram do saco e os reconduziu novamente a ilha de Éolo. Odisseu pediu nova ajuda, mas o deus irritado expulsou-os.



Seth - o deus egípcio também chamado de Nebty (Nebet → cidade do ouro) pelo o que se sabe é um dos mais remotos deuses egípcios. Filho de Rá e Nut, é considerado o deus das tempestades, dos raios e do vento, por este motivo acabou sendo identificado aos deuses estrangeiros e isso levou as pessoas a prestarem adoração a esses deuses similares, o que levou Seth a se tornar inimigo dos deuses devido os conservadores nativos do Egito. Assim, encarna os conceitos de fúria, violência, crime e crueldade.



Yansã - É a senhora dos ventos, das tempestades. Como Orixá altiva, poderosa, guerreira, Iansã tem a força que aplaca os raios e os trovões. É valente e briguenta, não aceita ordens nem escuta desaforos.



Agora, o Deus da Bíblia:



O único nome verdadeiro de Deus é Iahweh. Esse foi o nome revelado a Moisés no Monte Sinai quando Deus o chamou para conduzir os filhos de Israel para fora da fronteira egípcia. O Senhor disse a Moisés: “… este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração” (Êxodo 3:15). O nome “Iahweh” é uma tentativa de se traduzir as quatro letras hebraicas “YHWH”. Essas letras foram transliteradas para o alfabeto ocidental de diferentes maneiras. Algumas versões, como a tradução de João Ferreira de Almeida, a Nova Versão Internacional e a Bíblia de Jerusalém usam a palavra “SENHOR” (com todas as letras em maiúsculo). A maioria dos estudiosos acredita que a tradução correta é “Iahweh”. Essa representação do nome pessoal de Deus (Êxodo 3:15) ocorre mais do que qualquer outra designação da Divindade, aparecendo cerca de 6823 vezes no Antigo Testamento. Várias outras palavras, quando usadas em conjunto com “Iahweh”, acrescentam um significado a esse nome



Alguns estudiosos encaram YHWH como um Deus da natureza adorado no Sul de Canaã e pelos nômades dos desertos circundantes, intimamente ligado ao Monte Horebe, na Península do Sinai. Segundo o livro bíblico de Gênesis, foi o Deus YHWH que se revelou ao semita Abrão (depois chamado de Abraão) em Ur, na Baixa Mesopotâmia. Historicamente, surge aqui o princípio do monoteísmo hebraico no interior de uma sociedade fortemente politeísta.



O Deus YHWH é deste modo identificado como a Divindade que causou o Dilúvio Bíblico. É o Deus de Adão, de Abel, de Enoque e de Noé. É o Criador do Universo e de todas as formas de vida na Terra. É também chamado por Adonai (Soberano Senhor), Elohim (Deus, e não deuses, visto que se trata de plural majestático e cristãos têm afirmado que a forma plural teria o sentido de plural majestático), Hadón (o [Verdadeiro] Senhor), Elyón (Deus Altíssimo) e El-Shadai (Deus Todo-poderoso).



Iahweh é tardio em irar-se, mas grande em força, e ao culpado não tem por inocente; Iahweh tem o seu caminho na tormenta, e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés” (Na. 1:3).



Iahweh é o deus das tempestades: “Assim persegue-os com a tua tempestade, e assombra-os com o teu torvelinho” (Sl. 83:15). “Eis que saiu com indignação a tempestade de Iahweh, e uma tempestade penosa cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios” (Jr.23:19). “Eis que a tormenta de Iahweh, a sua indignação, saiu; é uma tormenta varredora e cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios” (Jr.30:23).



Iahweh é uma tempestade: “Então, subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo” (Ez.38:9). “Porque não chegastes ao monte palpável, aceso em fogo, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade, e ao sonido da trombeta, e à voz das palavras, a qual, os que a ouviram pediram que se lhes não falasse mais; porque não podiam suportar o que se lhes mandava: Se até um animal tocar o monte, será apedrejado. E tão terrível era a visão, que Moisés disse: Estou todo assombrado e tremendo” (Hb. 12:18-21). E Iahweh disse que o tabernáculo é um refúgio contra a tempestade: “E haverá um tabernáculo para sombra contra o calor do dia, e para refúgio e esconderijo contra a tempestade e contra a chuva” (Is. 4:6). “Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado na sua angústia; refúgio contra a tempestade, e sombra contra o calor; porque o sopro dos opressores é como a tempestade contra o muro” (Is. 25:4).

Davi cometeu pecado de adultério: “Então enviou Davi mensageiros e a mandou trazer; e, entrando ela a ele, se deitou com ela (e já ela se tinha purificado da sua imundície); então, voltou ela para sua casa. E a mulher concebeu, e enviou, e fê-lo saber a Davi, e disse: Pejada estou” (2 Sm. 11:4-5). Iahweh armou uma tempestade contra Davi: “Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher. Assim diz Iahweh: Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante este sol” (2 Sm. 12:10-11).

Que tempestade de imoralidades! Iahweh pegou dez mulheres de Davi e as entregou a Absalão, seu filho: “Estenderam, pois, para Absalão uma tenda no terraço, e entrou Absalão às concubinas de seu pai perante os olhos de todo o Israel” (2 Sm. 16:22). Absalão tinha uma irmã muito formosa de nome Tamar. E Amnom, o primogênito de Davi foi tomado de uma paixão violentíssima por ela e a estuprou. Depois, passou a paixão e ele a expulsou de casa (2 Sm. 13:15-18). Absalão, irmão de Tamar, matou Amnom por vingança (2 Sm. 13:23-30). Isto, o que aconteceu a Davi, nem é tempestade, é furacão! Por último, morreu Absalão: “E o cercaram dez jovens, que levavam as armas de Joabe. E feriram a Absalão, e o mataram” (2 Sm. 18:15).



E Davi fez um salmo: “Ó Iahweh, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor. Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e a tua mão sobre mim desceu. Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há paz em meus ossos, por causa do meu pecado. Pois já as minhas iniquidades ultrapassam a minha cabeça; como carga pesada são demais para as minhas forças…” (Sl. 38:1-4).



Assim são as tempestades de Iahweh!



Iahweh só se manifesta em meio ao fogo e à tempestade: “Fogo e saraiva, neve e vapores e vento tempestuoso que executa a sua palavra” (Sl.148:8). “Portanto, assim diz o Senhor Iahweh: Um vento tempestuoso a fenderá no meu furor, e uma grande pancada de chuva haverá na minha ira, e grandes pedras de saraiva na minha indignação, para a consumir” (Ez. 13:13). “Eis que Iahweh mandará um homem valente e poderoso, como uma queda de saraiva, uma tormenta de destruição, e como uma tempestade de impetuosas águas que transbordam, violentamente a derribará por terra” (Is. 28:2). “De Iahweh dos Exércitos serás visitada com trovões, e com terremotos, e com grande ruído, e com tufão de vento, e com tempestade, e labareda de fogo consumidor” (Is. 29:6).



Jesus repreende as tempestades!



“E, entrando Jesus no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que, no mar, se levantou uma tempestade tão grande, que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pequena fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (Mt. 8:23-27).

Fonte: Wikipédia

2 comentários:

  1. Graça e paz presbítero Maurício,

    Que Deus continue inpirando-a a escrever temas tão interessantes, como este. Não tinha pensado nas tempestades dos deuses sempre tão irados, como mostra a mitologia grega.

    Louvado seja Jesus, o Deus que acalma nossos corações e as tempestades da vida, com amor e misericórdia!

    Deus o abençoe, Fratermeurício.

    ResponderExcluir
  2. Caríssima Obrigado pela sua visita, sempre tão esperada! Que o Senhor te abençoe e te guarde!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...