terça-feira, 12 de março de 2013

Nascido de novo!


Nasci fisicamente de pais humanos e participo da natureza deles. Espiritualmente, nasci de Deus e participo de sua natureza. Cometer o mal não faz parte da natureza divina, e o homem quando é nascido de novo, não peca.

Sou uma pessoa. Sou um ser humano. Sou formado por corpo, alma e espírito.
Sou um espírito. Tenho uma alma que constitui o ser da minha pessoa e que anima o meu corpo. A casa onde moro é o meu corpo. Moro em meu corpo físico.  Tudo isso junto, forma a pessoa que sou e me dá identidade humana. Sem o espírito e sem a alma eu  seria um corpo morto, não tendo vida. Seria um defunto.
Fazem parte da minha alma: inteligência, memória, vontade, imaginação, sentimentos e as emoções em meu ser. 

Eu sou o zelador, o mordomo dessa casa. Devo apresentá-la ao Senhor como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. É o meu culto espiritual.
Com meu corpo, entro em contato com o ambiente físico; com meu espírito, entro em contato com o mundo espiritual e com minha alma, expresso os sentimentos, intelecto e vontade. A consciência é a voz do meu espírito; a razão é voz da minha alma, e a sensação é a voz do meu corpo. Conheço a Deus, por meio do meu espírito. Tenho um espírito e uma alma habitando em meu corpo. Quem eu sou realmente: um homem em sua dimensão espiritual e emocional.

O homem exterior que sou, é que é visto. Isso que as pessoas veem em mim é apenas o meu exterior, o corpo, um homem incompleto; é apenas parte daquilo que sou. E esse homem exterior, o corpo, está em decadência.

Meu verdadeiro eu é um homem interior, oculto, que precisa se renovar diariamente. Espiritualmente, jamais envelhecerei, pois, meu espírito é eterno. Ele é a lâmpada do senhor. Deus, meu Pai, ilumina-me através do meu espírito.

Então, preciso me converter! Devo aprender a deixar o novo homem interior dominar o meu exterior, ou ele continuará querendo fazer o que sempre fez: errar, pecar. Quando o meu corpo domina meu homem interior,  produz obras da carne. Os homens carnais são governados pelo corpo. Meros homens, não transformados, mundanos, não nascidos de novo. Também o diabo opera por meio da carne. Meu corpo, que não nasceu de novo, que não se converteu, quer continuar a fazer algumas dessas obras, mas é preciso crucificá-lo, e isto, levando quaisquer problemas, imediatamente para a Luz que lhe foi confiada: Jesus!
 
O espírito do homem nunca é restaurado. Ele nasce ou é recriado. O novo nascimento ocorre não no corpo, não na alma, mas no espírito, no mais íntimo do seu ser, recebendo a vida eterna quando crê que Jesus Cristo é o Filho de Deus, que Ele morreu por seus pecados e ressuscitou dentre os mortos. Então nasce de novo, no espírito. Contudo, o tal homem tem ainda o  mesmo corpo e a mesma alma, devendo apresentá-los a Deus e fazer com que sejam transformados e renovados, respectivamente. Sua alma é restaurada quando sua mente é renovada pela palavra de Deus, porque as suas emoções, e o seu intelecto, os quais constituem a sua alma, ainda manifestam vida velha.

O velho homem morreu e tem um novo no lugar do velho. Precisa morrer mesmo é para o corpo, o homem exterior, a mesma carne de antes de ser salvo.

O novo homem que sou eu não deseja pecar porque nasceu de novo. Não deve pecar. Deve ser justo e amar. O maligno não pode lhe tocar porque é nascido de novo. É vitorioso sobre o mundo! É mais que vencedor!
Quando me tornei filho de Deus, sua vida, natureza, substância e  existência foi transmitida ao meu espírito, e me transformou em um novo homem, em uma nova criatura.

No grande plano da redenção, não somente há o novo nascimento do espírito, como também há cura para o corpo, quando passamos da morte espiritual, do domínio de satanás, para a vida eterna, abundante. Quando recebemos a vida eterna, a velha natureza adâmica, pecaminosa e  corrupta,  deixa de nos guiar. Somos libertos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...