quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Gafanhotos biblicos

Joel foi um profeta do Antigo Testamento, pouco se sabe sobre sua vida e história. O que se sabe é o nome de seu pai Petuel. Suas profecias foram ditas em Jerusalém. Sua vida deve ter sido vivida em Judá. Ele não foi sacerdote, mas tinha um interesse muito grande pelo templo e por quem nele servia. Suas profecias eram dirigidas ao povo.
A mensagem principal do livro de Joel é sobre a vinda do Senhor, onde haverá muita destruição vegetal, atmosférica e humana. Essa destruição não representa simplesmente a destruição do homem ao meio em que vive, mas uma forma de Deus julgar cada homem pelo seu ato de adoração e comunhão a outros deuses. Quando aquele povo se voltasse ao seu Deus ele poderia deixar esta assolação para trás e voltar a uma aliança com o povo. “Ai do dia! Pois o dia do senhor está perto, e vem como assolação da parte do Todo-Poderoso.” (Joel 1:15)
No tempo de Joel havia uma praga devastando plantações inteiras, o que antes era de uma beleza rural intensa se transforma em total deserto de vegetação e tristeza de pessoas.
Deus através de Joel começa convocando o povo a se arrepender, Ele diz aos jovens, velhos, para que todos se arrependam. Uma das palavras de Deus era a memória do povo que deveria ser revista. Não deveriam deixar passar aquele tempo sem que guardassem cada evento difícil e deveriam repassar a quem viesse a viver e conviver com eles. Não era o fato em si, mas lembrar que o desobedecer às ordens divinas acarreta danos e destruição ao homem e sua terra.
Deus chama os bêbados a acordarem de suas loucuras, prestarem atenção no que está ocorrendo. Aos bêbados também se indica aqueles que estão espiritualmente desligados, sem atenção, vivendo como se o mundo jamais fosse acabar e que não tivesse um Deus olhando todas as coisas. Aqueles que vivem uma vida de atenção aos acontecimentos e ligados a Deus são capazes de responder ao seu chamado de ATENÇÃO E ALERTA.
O dia do Senhor seria um dia difícil, de lamentação, assolação. O mantimento daquele povo estava sendo destruído diante de seus olhos. Muitos provavelmente apenas choravam e viam a destruição e não se lembravam de onde vinha. A memória de seu Deus já estava apagada. A alegria tinha se ido embora junto com as sementes que se destruíam antes de brotarem. Morriam antes que lhes pudesse nascer os brotos e folhas.
Os animais nos campos passam fome, pois o capim se acabou, a mortandade chega ao gado também. O fogo dilacerou o pasto e suas árvores, nada ficou de pé para ser aproveitado. Este estava sendo realmente um dia escuro e sem esperança.
Quando observamos o antigo testamento não tem como não compará-lo com os dias atuais. O profeta continua clamando arrependimento, mas poucos ouvem. Queremos a teologia da prosperidade, queremos o ganho fácil e rápido, não lembramos mais da aliança feita com Deus quando o encontramos. Queremos a pregação mastigada ao invés de debruçarmos sobre a Bíblia e pedir a Deus que nos ensine os seus caminhos. Não contamos mais aos nossos filhos que todo e qualquer pecado entristece o coração de Deus e a consequência virá. Apenas damos ordens a Deus quando gritamos à congregação que determine sua vitória.
As chuvas invasoras, a seca, a violência tem chegado até nós, e o que estamos fazendo, alguns se embriagando com desculpas de esquecer, outros se divertem, pois não sabem que dia acabará outros nem sabem em que tempo estamos vivendo. Mas o dia do Senhor chegará para todos, não importando o que você esteja fazendo.
Gritamos por todos os canais que a violência é organizada, o crime é organizado, a destruição parece organizada, só parece. Tem ares de organizado, mas são ordens satânicas que seguem. Deixamos ás ordens divinas de lado. Deus conhece o poder da disciplina com vara, ele corrige porque quer ver seu povo voltando a ter aliança com Ele. Mas estamos bêbados em nossos pecados, não conseguimos ver nada, cegamos nosso entendimento. Não queremos concertar, pois leva tempo e esforço. Somos como a geração de Joel, clamamos, mas a pessoa errada.
Assim como no tempo de Joel ainda há tempo para arrependimento e é isso que Deus hoje em Cristo espera que façamos. Voltemos atrás na decisão de não o obedecer para que Ele também volte atrás em nos castigar. “Todavia ainda agora diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal.”(Joel 2:2-14)
Não são santos que nos conduzirão ao arrependimento, não são pessoas mortas que mesmo depois de mortas seus nomes são usados por demônios para realizar falsos milagres que nos conduzirá a verdade de Deus. Precisamos rasgar nosso coração. Enxergar a nossa miséria espiritual e pedirmos a Deus em Cristo que nos conduza a uma vida de santidade.
Estamos no vale da decisão, ou decidimos obedecer a Palavra de Deus, ou iremos gradativamente experimentando o peso do julgamento divino sem nos despertar. O Espírito Santo está aqui para nos ensinar como me arrepender, mas não queremos deixá-lo entrar, pois as mudanças terão que surgir. Mas devemos trazer a memória que nada ficará impune a Deus. Enquanto tantos preferem servir a satanás e a suas bandejas Deus nos olha com olhar de pena e deseja nos resgatar. O resgate só é feito através de seu filho Jesus para nós hoje. E estamos o desprezando por deuses estranhos e sem valor de morte e ressurreição. Onde estão estes deuses vendo tanta destruição e nada fazem. Deus enviou seu filho a morrer por nós. E os outros deuses onde está cadê o sacrifício que fizeram por nós?
“Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai os meninos, e as crianças de peito; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu tálamo. Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa o teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele. Por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?” (Joel 2:16-17)

Por: silvia leticia carrijo de azevedo sá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...