segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O Conceito de Sorte

Tudo o que ocorre no universo é (1) diretamente causado por Deus ou (2) permitido por Ele de acordo com Sua vontade — e o conceito humano de sorte é totalmente falso!

Acho que é seguro dizer que um número muito maior de pessoas acredita em "sorte" do que aquelas que não acreditam! A maioria está convencida que as coisas acontecem na vida são totalmente aleatórias em sua natureza e nenhuma outra explicação é possível. Assim, se um incidente específico tem um resultado trágico e com perda de vidas, freqüentemente ouvimos dizer que aquelas pessoas tiveram "azar". Elas simplesmente estavam no lugar errado na hora certa e a árvore desabou sobre a cabeça delas! Ou talvez elas tenham se envolvido em algum "acidente" de trânsito, contraíram uma doença fatal, etc.
Ao mesmo tempo, do outro lado da moeda temos aquilo que é considerado "boa sorte". De repente, alguém comprou o bilhete premiado do grande sorteio especial da Loteria Federal ou um poço de petróleo foi descoberto em sua propriedade. Eles escapam ilesos de um horrendo acidente de avião ou saem de uma feroz batalha militar sem receber um único arranhão. A palavra que a maioria de nós usa para descrever esses incidentes é afortunado, que é derivada de "fortuna" e é definida no dicionário com "uma força ou poder hipotético, freqüentemente personificado, que controla favorável ou desfavoravelmente os eventos na vida de uma pessoa."

Mas essa definição tem base bíblica? A Palavra de Deus permite o conceito chamado "sorte"? A resposta poderá surpreendê-lo!

"A sorte se lança no regaço, mas do SENHOR procede toda a determinação." [Provérbios 16:33].

"Lançar sortes" na Bíblia era similar a "tirar palitinhos" ou "lançar uma moeda para cima" no sentido que era considerado uma forma justa de selecionar alguém ou tomar uma decisão arbitrária. Números ou outras inscrições eram colocados em pedrinhas que eram então lançadas como dados. O resultado era matematicamente aleatório e determinava quem seria escolhido ou que ação seria tomada. Até mesmo hoje em dia, aqueles que são selecionados por procedimentos similares freqüentemente acham que não tiveram sorte — especialmente se houver uma tarefa perigosa ou desagradável a realizar. Mas o ponto que não devemos deixar de observar é que Deus diz que o resultado é determinado por Ele e a sorte não tem nada que ver com isso!

O Ser Supremo que a Bíblia chama de "Deus" é absolutamente soberano nos assuntos humanos e se você duvida dessa asserção, considere as seguintes passagens:

"Então Jó respondeu, dizendo: Na verdade sei que assim é; porque, como se justificaria o homem para com Deus? Se quiser contender com ele, nem a uma de mil coisas lhe poderá responder. Ele é sábio de coração, e forte em poder; quem se endureceu contra ele, e teve paz? Ele é o que remove os montes, sem que o saibam, e o que os transtorna no seu furor. O que sacode a terra do seu lugar, e as suas colunas estremecem. O que fala ao sol, e ele não nasce, e sela as estrelas. O que sozinho estende os céus, e anda sobre os altos do mar. O que fez a Ursa, o Órion, e o Sete-estrelo, e as recâmaras do sul. que faz coisas grandes e inescrutáveis; e maravilhas sem número. Eis que ele passa por diante de mim, e não o vejo; e torna a passar perante mim, e não o sinto. Eis que arrebata a presa; quem lha fará restituir? Quem lhe dirá: Que é o que fazes?" [Jó 9:1-12].

"Serás tirado dentre os homens, e a tua morada será com os animais do campo, e te farão comer erva como os bois, e serás molhado do orvalho do céu; e passar-se-ão sete tempos por cima de ti; até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer." [Daniel 4:25; ênfase adicionada].

"E todos os moradores da terra são reputados em nada, e segundo a sua vontade ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem possa estorvar a sua mão, e lhe diga: Que fazes?" [Daniel 4:35; ênfase adicionada].

"Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição." [Romanos 9:15-22; ênfase adicionada].

Meu amigo, tudo o que ocorre dentro do universo criado (1) é diretamente causado por Deus ou (2) é permitido por Ele de acordo com Sua vontade — e o conceito humano de sorte é totalmente falso! Este princípio é visto quando o Senhor Jesus Cristo disse que nem mesmo uma rolinha (um pássaro que algumas vezes era comprado e oferecido em sacrifício naqueles dias pelos pobres) cai morta no chão sem a permissão de Deus.

"Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? e nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai." [Mateus 10:29].

Em outras palavras, nenhum detalhe é pequeno demais (ou grande demais) para estar fora do controle de Deus e isso traz todos os tipos de perguntas na mente daqueles que não compreendem o fato da soberania absoluta de Deus. Por exemplo, uma pessoa me escreveu recentemente sobre um tópico relacionado e minha resposta lhe trouxe certa consternação porque eu disse que todos os líderes malignos que este mundo já viu, ou que verá no futuro — os imperadores romanos, Hitler, Stalin, Mao, o Anticristo, etc. — foram, ou serão, colocados em seus cargos por Deus e as seguintes passagens declaram esse conceito de forma bem clara:

"Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus." [Romanos 13:1; ênfase adicionada].

"O SENHOR fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal." [Provérbios 16:4].

"Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas." [Isaías 45:7].

Antes de o primeiro átomo ser trazido à existência, Deus traçou um plano para este mundo que será cumprido ao pé da letra. O povo de Deus precisa compreender que o plano continua a se desenvolver de acordo com a vontade de Deus, não a nossa! Todas as coisas da vida que acontecem conosco, sejam boas ou más, foram pré-determinadas e no fim servirão para o bem do cristão genuíno:

"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." [Romanos 8:28].

Meu amigo, nenhum cristão passa por esta vida deitado em um berço esplêndido e escapa de todas as dores e sofrimentos. Algumas das coisas que acontecem conosco são certamente más e difíceis de suportar, mas podemos sentir conforto no fato que todas elas, tomadas como um todo — boas e más — trabalham em conjunto no plano de Deus para o bem final. O que é tão difícil para alguns compreenderem é que nosso sofrimento pode ter o objetivo de influenciar outras pessoas, enquanto não recebemos alívio ou recompensa nesta vida. A morte sacrificial de Jesus Cristo é a perfeita ilustração desse princípio, de modo que se as circunstâncias presentes estiverem fazendo seu futuro parecer sombrio e sem esperança, a Palavra de Deus diz para você olhar para elas como um motivo de alegria:

"Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência." [Tiago 1:2-3].

No que se refere ao cristão genuíno, a base para a alegria no meio do sofrimento é que Deus o está usando para atingir Seu plano e propósito gerais.

Portanto, apenas se lembre que um diamante permanece um pedaço translúcido e feio de rocha até que o mestre joalheiro o lapide em um padrão preciso de faces de modo a fazer com que ele brilhe! Então, quando ele termina, o produto final vale muito mais do que o original e a sorte não tem nada que ver com isso!

Autor: Pr. Ron Riffe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...