quarta-feira, 9 de março de 2011

A Paciência de Deus

A paciência é uma outra forma de Deus expressar a sua bondade para com os homens. Há vários termos usados na Bíblia como sinônimos de paciência. As Escrituras afirmam abundantemente que:
a) Deus é longânimo, e a longanimidade também é uma expressão de sua bondade (Salmo 103.8; Êxodo 34.6). No hebraico “longânimo” pode ser traduzido como “lento para a ira”.
b) Deus é tardio em irar-se, e essa atitude também é expressão da sua bondade (Salmo 145.8; Joel 2.13).
Podemos definir a paciência de Deus como: “aquele aspecto da bondade de Deus, em que ele suporta o obstinado e o malvado apesar de sua persistência na desobediência.” Ao contrário dos homens, Deus tem controle sobre sua ira, ele si ira, mas tem poder sobre essa ira.
A paciência é parte dos atributos (características) de Deus. Significa que a paciência é parte essencial de Deus (cf Romanos 15.5).
a) Paciência é o que ele é. É uma de suas perfeições;
b) Deus é o autor da paciência, da qual os homens são beneficiários;
c) Na paciência Deus serve de modelo para nós (Colossenses 3.2; Efésios 5.1).
Veremos a seguir os objetos da paciência Deus, ou seja, em quem essa paciência se manifesta.
1) DEUS É PACIENTE COM AQUELES A QUEM QUER SALVAR – Por paciência de Deus entendemos que Ele demora demonstrar a sua ira, essa paciência é dirigida aos ímpios. Deus deseja salvar o ímpio.
Deus tem o desejo de salvação do ímpio: “Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?” (Romanos 2.24) - Analisemos este verso:
Paulo usa duas palavras semelhantes para paciência: tolerância e longanimidade. Quando Deus é tolerante indica que ele temporária e aparentemente “ignora” o que os pecadores estão fazendo, dando-lhes oportunidade de arrependimento; quando Deus é longânimo, indica que sua paciência é muito prolongada, aguardando com paciência o tempo da restauração dos pecadores.
Paulo associa essas duas palavras com a bondade de Deus. Esta é a razão da sua tolerância e longanimidade. A bondade de Deus, portanto, manifesta-se em arrependimento para os pecadores. Todos que éramos condenados, um dia recebemos a bondade de Deus que causou o arrependimento em nós.
Se Deus não mostrasse a sua bondade em forma de paciência, ele há muito nos teria destruído: “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” (2Pedro 3.9).
2) DEUS É PACIENTE PARA COM OS ÍMPIOS QUE NÃO SERÃO SALVOS
Os ímpios experimentarão a ira de Deus – “Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição,” (Romanos 9.22) – De acordo com o contexto dos capítulos 8 a 11, Paulo no texto lido, fala da paciência para os que Deus não quis salvar. É por isso que tem ímpio que parece que não vai acontecer nada com ele. O salmista invejou pessoas assim (Salmo 73). Mas Deus manifestará a sua justiça a seu tempo.
3) DEUS É PACIENTE COM OS SEUS FILHOS – Os cristãos, sendo remidos por Cristo, ainda não estão livres completamente de erros, eles ainda pecam. E como Deus os trata? – Deus é paciente com os crentes quando os trata menos rigorosamente do que devia ser tratados. Deus os castiga menos do que os seus pecados merecem: “Depois de tudo o que nos tem sucedido por causa das nossas más obras e da nossa grande culpa, e vendo ainda que tu, ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniqüidades e ainda nos deste este restante que escapou,” (Esdras 9.13). Deus não mais põe a sua punição sobre eles. Pedro atribui a nossa salvação a paciência de Deus (cf 2Pe 3.15).
Veremos agora como se manifesta a paciência de Deus:
1) SUA PACIÊNCIA É MANIFESTA ATRAVÉS DAS SUAS CONSTANTES ADVERTÊNCIAS POR CAUSA DOS PECADOS DOS HOMENS. Antes de derramar a sua ira, Deus admoesta o povo (Exemplos: Gênesis 6.5-7; cf 1Pedro 3.20; 2Pedro 2.5). Deus adverte os homens de seus maus caminhos: “Por que contendes com ele, afirmando que não te dá contas de nenhum dos seus atos?Pelo contrário, Deus fala de um modo, sim, de dois modos, mas o homem não atenta para isso.” (Jó 33.13-14).
2) SUA PACIÊNCIA É MANIFESTA QUANDO ELE PUNE COM UMA CERTA TRISTEZA - Deus não tem prazer no castigo das suas criaturas: “Acaso, tenho eu prazer na morte do perverso? -- diz o SENHOR Deus; não desejo eu, antes, que ele se converta dos seus caminhos e viva?”(Ezequiel 18.23 ver também: Lamentações 3.33).
Deus demonstra pesar em punir Israel: “Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque o vosso amor é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa…Como te deixaria, ó Efraim? Como te entregaria, ó Israel? Como te faria como a Admá? Como fazer-te um Zeboim? Meu coração está comovido dentro de mim, as minhas compaixões, à uma, se acendem. Não executarei o furor da minha ira; não tornarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de ti; não voltarei em ira.” (Os 6.4; 11.8-9)
Deus é paciente ao mostrar sua tristeza na condenação da impiedade, mesmo as de seu povo: “Ele, porém, que é misericordioso, perdoa a iniqüidade e não destrói; antes, muitas vezes desvia a sua ira e não dá largas a toda a sua indignação.” (Sl 78.38).
Exemplos da paciência de Deus:
A) Com o povo nos tempos de Noé, Deus não destruiu antes de avisá-lo. Deus “esperava” (cf 1Pe 3.20) o tempo próprio, que foi 120 anos (Gn 6.3).
B) Na época do Êxodo Deus demonstrou a sua paciência (At 13.18).
C) Com os gentios de nossa era, que adora a criatura em lugar do criador, Deus, ao invés de destruí-los os entregou aos seus próprios caminhos ( Rm 1.19-26)
Em suma: A paciência de Deus é uma das formas de demonstrar a Sua bondade. Deus é paciente em salvar o pecador. Deus é paciente com os ímpios, não tendo prazer em sua condenação. Deus é paciente para com os seus filhos não os punido conforme o que merecem.
Mas sua ira vai se manifestar. Deus tem paciência, mas veja o que diz Gênesis: “Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração;… Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o homem e o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de os haver feito.” (Gênesis 3.5,7).
CONCLUSÃO E APLICAÇÃO: Peça a Deus paciência: É coisa desagradável viver neste mundo afetado pela ira não santa e pela amargura, obras da carne que vem de nosso coração cheio de pecados (ver Gálatas 5.16,22). Se você pedir a Deus paciência, você estará pedindo o que ele próprio quer dar. Exercite a paciência – A paciência não é opção, ela é ordenada por Deus (cf Colossenses 3.12; Efésios 4.1-2).
Se não fosse a paciência de Deus, os homens não existiriam. Precisamos tomar cuidado para não cruzar os braços e descansar demais na paciência de Deus e assim vivermos em pecado. Dê graças ao Senhor por ele revelar a você a sua bondade em forma de paciência.

Rev. Ronaldo P Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...