terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Verdades do Reino de Deus

Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes e vos será feito.(Jo 15.7).
Dar-te ei as chaves do reino dos céus. O que ligares na terra terá sido ligado nos céus. E o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus (Mt 16.19).
Se o Senhor disse que nos daria chaves do reino é porque existem portas espirituais que serão abertas mediante seu uso. O crente necessariamente deverá andar por fé. A nossa vida é feita de ciclos. Em certo tempo o desafio é o dinheiro. Em outro, a saúde, a família, o tempo, mas todos esses desafios passam. A nossa vitória em todos esses momentos virá daquilo que se conquista no reino espiritual. Por isso precisamos aprender a usar as chaves do reino.
Verdades do reino que são chaves:
1 – Desenvolvimento do relacionamento com Jesus.
A primeira chave do reino é o desenvolvimento de um forte relacionamento com o Senhor Jesus que se dá por meio da oração. Quando se fala em orar, muitos pensam em expor necessidades, conseguir alívio, solução para os problemas, desabafo, livramento dos inimigos, mas a oração é muito mais do que isso. É uma estratégia para o desenvolvimento de um relacionamento vivo com Jesus, que deve ser contínuo e cultivado.
O poder de orar não está no esforço humano, mas numa ação do Espírito Santo nos revelando Jesus. Precisamos sair do nosso momento de oração sendo acrescentados da pessoa de Jesus e tendo entregado a Ele uma parte de nós. Se a oração significar para nós desenvolvimento de relacionamento com Jesus, deixará de ser uma obrigação para se tornar um prazer.
A oração deve se converter para nós em uma fonte de poder. Elias tinha total conhecimento dessa chave. Ele orou e fogo desceu, chuva veio, chuva parou, morto ressuscitou, milagres extraordinários aconteceram. Por que tudo isso aconteceu? Porque ele tinha poder.
O nível de poder da oração é diretamente proporcional ao nível de intimidade que se tem com Deus. Elias só conseguiu operar tantos milagres porque conhecia a Deus. E apesar de ter feito coisas tão extraordinárias, a Bíblia diz que ele não era em nada diferente de mim: Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra (Ti 5.17).
Quais são os segredos do poder que Elias tinha na oração?
a) Ele conhecia a Deus.
Um grande alvo que devemos ter é conhecer a Deus em tal profundidade que nos tornemos Seus amigos. Já não vos chamo mais de servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos (Jo 15.15).
b) Ele sabia que Deus o havia ungido.
Além de conhecer a Deus e Seus propósitos, compreendia o poder da aliança. Só pode “desafiar” o Senhor quem sabe quem Ele é. Elias sabia a diferença que a unção fazia e que essa unção não oscilava; ela era constante e perene. Ora, vós tendes a unção que vem do santo (I Jo 2.20).
c) Ele sabia que Deus responderia a sua oração.
Em momento algum Jesus duvidou de que o Pai o ouvia: Eu sei que sempre me ouves (Jo 11.42). Ele tinha convicção da intimidade e do respaldo. Essa convicção traz uma ousadia que não é conquistada no mundo. Quem tem um altar levantado tem ousadia na visão, nas palavras, nos atos, nos pensamentos, nas orações, convicção da missão. Você sabe quem é Deus? Tem convicção da sua missão? Tem convicção de que Deus responde as suas orações?
Ainda que não tenhamos problemas, devemos compreender que não se empreende nada no reino de Deus sem a força de uma relação viva com Jesus. A condição descrita no texto da lição é: Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós. Permanecer significa andar em aliança, estabelecer vínculos. O pedido de Jesus antes da Sua ascensão foi por vínculos: “Pai, vincula-os a Ti e a mim”- Que sejam um como Tu e eu somos um (Jo 17.11). Você tem vínculos com Jesus? Qual é a força do seu vínculo?
Quando você tem vínculos, você não tem constrangimento algum em pedir. O vínculo gera a liberdade, o acesso... Que nível de intimidade e de liberdade você tem com
Jesus? Você pede a Ele qualquer coisa, pergunta qualquer coisa, conversa sobre qualquer assunto? Quem tem intimidade pede coisas que só se diz a amigos muito íntimos.
Como medir o nosso nível de intimidade? Podemos medi-lo pelo nível de cura e pelo caráter. Observe o seu nível de cura e seu caráter. Isso se evidencia através dos relacionamentos. Quanto melhor o relacionamento com as pessoas, mais evidente que se está crescendo em Deus.
2 – Toda batalha que travamos é primeiramente espiritual.
A segunda chave do reino é que tudo começa no espírito. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Ef 6.12). Nossa batalha não está na superfície, nem nas circunstâncias que vemos, não é contra pessoas, enfermidade, trabalho, falta de dinheiro, família. Por trás das circunstâncias sempre há poderes espirituais trabalhando.
Não tente vencer no mundo natural. Analise a raiz do problema. Saiba que nem todo problema vem de Satanás. Muitas vezes achamos que estamos lutando contra o inimigo, mas, quando pedimos a Deus revelação, descobrimos que é o próprio Senhor quem está nos resistindo. Localize onde está o problema clamando por revelação. Você já pensou que pode estar lutando contra Deus?
Como usar a chave da batalha espiritual?
a) Clame por revelação.
O primeiro passo é: sujeite-se a Deus. Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo e ele fugirá de vós (Ti 4.7). Busque revelação através da oração, do jejum, da Palavra. Esteja atento para os sinais de Deus – Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração (Cl 3.15). Peça ao Espírito Santo para interceder por você. Reconheça que precisa de estratégias, que não sabe sair dessa.
b) Aplique o sangue de Jesus. Onde o sangue de Jesus é aplicado, o inimigo tem que bater em retirada. Em que batalha você precisa aplicar o sangue de Jesus para vencer?
c) Peça ao Senhor que envie o auxílio dos anjos, pois estes trabalham a favor dos herdeiros da salvação. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos (Sl 91.11).
d) Busque estratégias e obedeça ao que o Senhor disser. Daniel ganhou a batalha prevalecendo no jejum, no reino do Espírito.
e) Adore.
Em que área da sua vida precisa haver um rompimento? Qual é a área em que você precisa usar a chave da batalha espiritual?
3 – Assim como crescemos no físico também crescemos espiritualmente.
Ninguém nasce em um dia e no outro se torna adulto. Não amadurecemos do dia para a noite. Crescer espiritualmente é um processo.
Estratégias que Deus usa para provocar o nosso amadurecimento espiritual:
a) Espera. Você está vivendo um tempo de espera? Isso é sinal de que Deus está trabalhando na maturidade, conduzindo ao crescimento.
b) Tempo. O tempo é parte integrante do nosso treinamento. Não adianta querer que o crescimento aconteça em minutos. Quando discernimos que o tempo faz parte do crescimento, poupamos esforço e amadurecemos mais rápido. Não murmure contra as crises, contra as experiências, contra as provações. Um homem e uma mulher maduros espiritualmente são capazes de se alegrar na tribulação: Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações (Ti 1.2). Não reclame das crises; encare-as como oportunidades de crescimento, como acúmulo de experiências.
Conclusão:
Não busque a Deus apenas para obter dEle o que deseja ou para sua autossatisfação. Vá além. Persiga o crescimento e amadurecimento espiritual. O maduro tira a visão dele mesmo e a coloca no Senhor, vive a Palavra, renova os pensamentos: Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra (Cl 3.2). Quanto mais pensamos nas coisas de Deus, mais nos aproximamos dEle. Quanto mais pensamos nas coisas terrenas, mais distantes nos tornamos. Observe os seus pensamentos para considerar o seu crescimento.
Procure saber qual é o nível da sua intimidade, do seu conhecimento, da sua relação com Deus. Julgue a si mesmo. Quanto tempo do seu dia você passa buscando a intimidade com Deus? O esforço que empreendemos volta em recompensa ou em distanciamento.
Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor (Os 6.3)!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...