segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A Temperança

Em contraste com as obras da carne, o fruto do Espirito descrito em Gálatas 5.22, possibilita ao cristão autêntico viver uma vida digna e honrada diante de Deus e da sociedade.
Quando o crente, sob o domínio do Espirito Santo, produz as varias virtudes do fruto do Espirito, listadas no texto supracitado, ele passa a participar do caráter e da natureza de Cristo.
Essas qualidades apresentam-se enquadradas em três distintos grupos: o primeiro (amor, gozo e paz) diz respeito a nossa atitude em relação a Deus, o segundo (longaminidade, benignidade e bondade) lida com os relacionamentos sociais, e o terceiro (fé, mansidão e temperança) descreve os principios que orientam a conduta do cristão.
Sem dúvida alguma é a temperança que nos possibilita o controle sobre nossas próprias paixões, tornando-nos comedidos, moderados em nossa atitude e decisões. A pessoa temperada é aquela que observa o auto-controle, procurando evitar os extremos. O domínio próprio é uma das qualidades essenciais do ministério da igreja.
Ele é extremamente necessário para o bom testemunho diante do mundo e o sucesso do serviço cristão.
Mas o que é temperança?
Definição Bíblica; A palavra original traduzida por “temperança” aparece somente em três passagens no NT: Gl 5.22, At 24.25 e 2 Pe 1.6.
Em Gálatas é usada para designar a última seçaõ do fruto nônuplo do Espirito. Em Atos , Paulo empregou o termo ao discorrrer com Félix acerca “da justiça, e das temperança, e do juizo vindouro”. Em 2 Pedro a palavra é incluída na lista das qualidades que todo cristão deve desenvolver: “Acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude, a ciência, e à ciência, a temperança, e à temperança, a paciência, e à paciência, a piedade”.
A idéia pincipal de “temperança é força, poder ou domínio sobre o ego, inclusive petulância, arrogância, brutalidade e vanglória. É o controle de si mesmo sob a orientação do Espirito Santo.
A falta de temperança leva a pessoa a cometer excessos ao dar vazão aos desejos pecaminosos da carne. O melhor antídoto contra isso é estar cheio do Espirito Santo, porque desta maneira estaremos sob seu controle. Ele nos ajuda a dominar nossas fraquezas, e submetermo-nos à sua vontade.
Sem o auxílio do Espirito Santo, nossas inclinações naturais cedem facilmente aos desejos pecaminosos. Todavia, ao nascermos do Espirito, a nova natureza divina em nós esforça-se por cumprir toda a sua vontade e agradá-lo.
Vida equilibrada.
Isto significa que devemos evitar os extremos de comportamento ou expressão, conservando os apropriados e justos limites.
Obiviamente há coisas das quais o cristão tem que se privar totalmente (Gl 5.19-21; Rm 1.29-31; Rm3.12-18; Mc7.22,23). Entretanto, Deus criou coisas boas para delas desfrutarmos com prudência, sob a orientação do Espirito Santo e da sua Palavra. Examinemos os ensinos bíblicos quanto à temperança em áreas especificas da vida.
a) Controle da língua. A temperança começa com o controle da língua, e o apóstolo Tiago informa-nos o quão difícil é realizá-lo (Tg 3.2). Se você não controla sua língua, sua fala, sua conversa, não controla nada mais em sua vida. Se você realmente deseja o fruto da temperança, peça ao Espirito Santo para controlar sua língua.
b) Moderação nos hábitos contidianos. Em I Coríntios 6.12-20, aprendemos a importância de honramos a Deus através do nosso corpo. Nessa passagem, trata-se não só a respeito da imoralidade sexual, mas também sobre qualquer outra prática que desonre o corpo e, consequentemente, desonre a Deus.
A glutonaria e a bebedice são hábitos pecaminosos contra os quais somos adivertidos na bíblia (Pv 23.20,21).
c) Auto-domínio da mente. No mundo de hoje, há muitas atrações e passatempos aparentemente inofensivos com o objetivo de afastar-nos de nossas responsabilidades para com Deus. O que lemos, vimos, ou ouvimos causa impacto na nossa mente, e por isso precisamos da ajuda do Espirito Santo a fim de conservá-la pura (Fp 4.8). Acima de tudo Deus deseja que sejamos santos! Esta idéia é enfatizada inúmeras vezes ao longo da Bíblia. O Espirito Santo trabalha em nosso interior, aperfeiçoando a santidade e tornando Cristo uma realidade em nossa vida. Ele quer produzir em nós o fruto espiritual da temperança, e cria em nós o desejo de separação do mundo pecaminoso para viver de modo agradavél a Deus. O fruto da temperança suscitada pelo Espirito de Deus opõe-se a todas as obras da natureza pecaminosa carnal e humana. No momento em que somos salvos, o Espirito Santo passa a habitar em nós. A partir de então, não devemos estar mais sob a escravidão do pecado. Ao longo da vida terrena, precisamos exercer o governo disciplinado sobre os desejos da carne. Esta (a natureza pecaminosa) fará tudo para recuperar o domínio sobre nós. Busquemos todos, sempre, a renovação espiritual e tenhamos uma vida inteiramente rendida a Jesus como Senhor. Nesta dimensão espiritual nasce e cresce o fruto do Espirito.

Marquês Santos Souza

Um comentário:

  1. Olá , agora que vi que estou te seguindo ja faz algum tempo.

    Que o Espírito continue trabalhando em nós e nos tornando santos,separados para Deus. Paz querido seu blog é muito bom.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...