sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Cego Pelo Projeto Pessoal

Juízes 11.30-39.  Jefté era um homem de Deus. Ele tinha o Espírito de Deus em sua vida, mas teve um comportamento muito absurdo. Ele fez um voto ao Senhor que comprometeu o futuro de sua filha. Deus não interferiu, Ele se calou. É possível alguém que está cheio de Deus se envolver numa loucura. Jefté teve uma vida complicada. Era um filho de um relacionamento ilícito de seu pai com uma prostituta. Jefté era um filho bastardo. O seu pai assume Jefté e o cria junto com seus outros filhos legítimos de sua esposa. Mas quando eles crescem, Jefté é expulso de casa. Na verdade, ele foge da presença de seus irmãos e vai morar com homens levianos. Homens de rua. Era uma gangue. O tempo passou e quando os inimigos vieram contra Israel, os anciãos lembraram de Jefté, e convocaram para ajuda-los. Jefté aceitaria somente com a condição de lidera-los. De ser chefe deles. Eles aceitaram. Então Jefté faz o voto ao Senhor:
“Se, com efeito, me entregares os filhos de Amom nas minhas mãos, quem primeiro da porta da minha casa me sair ao encontro, voltando eu vitorioso dos filhos de Amom, esse será do Senhor, e eu o oferecerei em holocausto.”
O que levou Jefté a fazer um voto tão doido como este? Com certeza ele estava ciente de que a única pessoa que sairia de sua casa seria sua filha. E foi isto que aconteceu. A sua filha que sai de casa ao seu encontro para o recepciona-lo. Talvez esta menina não tivesse mãe, porque Jefté estava imitando a atitude de seu pai quando sai com uma prostituta e traz para a casa o fruto daquele relacionamento. O fato é que a filha de Jefté não aparece ao lado de sua mãe, nem tampouco ela a consolando. Mas o que levou Jefté a ter esta atitude insana? Foi a cegueira do seu projeto pessoal. Seu projeto pessoal era apagar seu passado diante daqueles anciãos. Os liderando e os levando à vitória seria uma forma de demonstrar seu valor para aqueles homens. Era a forma de dar o troco por ter sido um dia expulso de casa.
Tem gente que obcecado por um projeto pessoal, está destruindo a sua família. Tem gente tentando revisar o seu passado e se vingar de pessoas, chorando mágoas passadas e todo o seu comportamento no presente é em razão de mostrar seu passado.
Jefté deveria gastar o resto da sua vida pensando em sua filha, como educa-la e cria-la. Nela estava a esperança de casar com um homem de bem, gerar filhos e encher a casa de netos. Mas a sua obsessão pelo seu projeto pessoal, não permitiu que nem chorasse com a sua filha. O v.39 diz:
“Ao fim dos dois meses, tornou ela para seu pai, o qual lhe fez segundo o voto por ele proferido; assim, ela jamais foi possuída por varão.” Juízes 11.39
Esta menina voltou para o pai porque era obediente e submissa. Era uma boa menina. Ela foi condenada a viver só e virgem o resto de sua vida. Ela recebeu uma castidade para o resto de sua vida. Talvez neste tempo surgiu a primeira burca na história da humanidade, pois ela deveria esconder a sua beleza para que não fosse cobiçada por nenhum homem. Ela abdicou forçadamente da beleza da mulher. Tudo isto por causa de um projeto egoísta de seu pai.
Será que não estamos construindo projetos egoístas que destroem a família como o de Jefté? Quando você decide mudar de Igreja e ignora a opinião da esposa e dos filhos, impondo a eles esta mudança, você está agindo como Jefté. Ele queria vencer a guerra e ser reconhecido pelos anciãos.
A filha dela foi o preço de sua vitória. Ele se auto-condenou também, porque não teria netos. Pessoas querem vingar o seu passado, quando Deus está sinalizando um novo tempo na história. Deus iria glorifica-lo, não precisava ele fazer o que fez.
Que tipo de projetos estamos fazendo? O texto diz que aquela menina saiu chorando a sua virgindade pelos montes, juntamente com as suas companheiras, e Jefté não a acompanhou. Você tem chorado com seus filhos? As crises deles? As dúvidas e anseios? Qual é o tamanho do seu projeto? Ele pode te entorpecer. Jefté ainda coloca a culpa nos ombros da filha, pois quando ele vai chegando em casa depois da vitória, ela sai feliz para celebrar, e então ele diz: “Ah! Filha minha, tu me prostras por completo; tu passaste a ser a causa da minha calamidade,...”
Que tipo de pai você é?
Tem pai que ama, tem pai que esquece do amor; tem pai que adota, tem pai que abandona; tem pai que não sabe que é pai, tem filho que não sabe do pai; tem pai queda amor, tem pai que dá presente; tem pai por acaso, tem pai que se preocupa com os problemas do filho, tem pai que não se preocupa com os problemas do filho; tem pai que ensina, tem pai que não tem tempo; tem pai que sofre com o sofrimento do filho; tem pai que deixa o filho esquecido; tem pai de todo jeito; tem pai que encaminha o filho, tem pai que o deixa no caminho; tem pai que assume, tem pai que rejeita; tem pai que acaricia, tem pai que não sabe que o filho precisa de carinho; tem pai que afaga; tem pai que só pensa em negócios.
Talvez tenhamos algo lá do passado que precisamos tratar. Em 2 Co 5.17 diz:
“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” 2 Co 5.17
Que você consiga reparar e trazer uma nova vida aos seus pais. Que os nossos projetos jamais venham cobrir a minha família. Viva a plenitude do que Deus lhe deu, não se martirize por causa do seu passado. Jefté curtiu seu projeto pessoal, mas jogou fora a sua filha. Ele estava sendo ovacionado na rua, mas dentro de casa a sua filha estava entristecida.

Pastor Jaime Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...