sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Uma Bênção chamada Sofrimento

Foi concebido ao Dr. Paul Brand uma enorme verba para estudar sobre a dor, e ele diz “Devemos ser agradecidos pela invenção da dor, Deus fez o melhor. É maravilhoso”, pois “se um órgão tem a necessidade de informar o cérebro da existência de um perigo, ele avisa com a dor”. Um grande exemplo é se alguém tem uma pedrinha no rim, a dor avisa que algo esta errado. Ela é uma estrutura de comunicação.
A dor portando não é um grande erro de Deus, é uma dádiva que ninguém deseja. O mal necessário. Sem ela nossas vidas estariam em perigo e prestes a sofrer decadência.
Muitas vezes ela torna a vida de alguém miserável. Mas, mesmo assim, ela esta cumprindo sua missão.
Dr. Brand tem autoridade para falar sobre a benção da dor, porque ele dedica sua vida trabalhando com pessoas que tem hanseníase (lepra) a doença que ataca o sistema nervoso. Ela age com um anestésico amortecendo as células de dores das mãos, pés, nariz, ouvidos e olhos. Uma pessoa pode rasgar sua mão e não sentir dor alguma, torcer o pé e não sentir dor e mesmo assim continuar usando o órgão afetado. A qualidade anestésica é justamente a razão pela qual surge a tão falada destruição e decomposição do tecido. Eles não possuem um sistema de alarme.
Mas o que podemos aprender com a dor em nossas vidas?
O livro de Jó lida com uma pergunta muito importante: “Se Deus é justo e bom, por que um homem realmente justo para os nossos padrões, tal como Jó sofreu tanto?”.
O sofrimento dos filhos de Deus possui um propósito, podendo ser visto como uma benção.
O sofrimento é uma benção porque nos faz:
1. Reconhecer a soberania de Deus. Pois Jó disse: “Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado” (Jó 42.2). Jó reconheceu que Deus tem poder para fazer tudo aquilo que em Sua perfeita sabedoria e vontade Ele deseja fazer.
2. Jó também reconheceu sua ignorância : “Na verdade, falei do que não entendia; coisas maravilhosas demais para mim, coisas que eu não conhecia” (Jó 42.3b). A partir do momento que Jó reconhece a Onipotência e a Soberania de Deus, ele percebe a sua falta de conhecimento e entendimento acerca da maneira como o Senhor age.
A terceira atitude nesta passagem que caracteriza o sofrimento como uma benção é que:
3. Nós enxergamos a Deus no sofrimento. “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem”. (Jô 42.5)
Depois de tudo isto, Jó passou a enxergar o Senhor.
Agora Jó compreende o propósito divino em sua vida. Entende que todo aquele sofrimento e dor produziram um grande crescimento espiritual em sua vida.
Você tem enxergado, ou questionado a Deus em seu sofrimento?



Um comentário:

  1. Paz do Senhor meu Irmão,
    Passei por aqui e mais uma vez gostei do que li, que o Senhor Jesus continue abençoando abundantermente vossas vidas.
    Salmos 23.6 "Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirâo todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias"
    Na Paz de Cristo,
    Pr. Honorato Santos.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...