sábado, 2 de outubro de 2010

Deus quer um povo Santo

“Assim diz o Senhor: Eu sou o Senhor, vosso Deus; portanto vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo.” Levitico 11.44
“Pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento.” I Pe. 1.15.
Através de toda a bíblia, Deus tem mostrado que a santificação tem sido um elemento essencial na relação entre Ele e seu povo. Ele se apresenta a nós como o Senhor todo poderoso e Santo, totalmente separado do pecado, e seu desejo é que a santidade também seja uma característica fundamental na vida de seus filhos. É claro que enquanto estivermos aqui na terra, jamais seremos 100% sem pecado como Deus o é, mas devemos procurar viver uma vida o mais separado possível de pecado, numa caminhada em busca dessa santificação que um dia será concluída no céu.
‘SEDE SANTOS, PORQUE EU SOU SANTO’ – “Portanto vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo.” Levitico 11.44. Desde a criação, Deus desejou um povo santo, para tal criou homem e mulher sem pecado, tinha uma comunhão especial com eles, eram capaz de andar com ele, falar com ele, e viver em plena harmonia e comunhão com Deus seu criador. Contudo o homem só pode estar na presença de Deus, se for puro, ou seja, purificado de todo o pecado. A bíblia nos mostra que Adão e Eva andavam no mesmo jardim que Deus, falavam com ele cada dia, e por um tempo foram santos como Deus desejava. Mas logo pecaram e perderam esta convivência especial. Foram então expulsos do jardim do Édem, não mais tinham comunhão diária e plena com seu Senhor, pois o pecado, os separou de Deus, lhes trazendo a morte espiritual, que foi a conseqüência do pecado: “pois no dia em que dela comeres, certamente morrereis”. Gn 2.17. O homem sem santidade não podia permanecer na presença do Santo Deus. Certamente essa perda da comunhão, do prazer de cada dia estar com Deus e com ele falar, foi a pior de todas as mortes. Certamente vieram a sentir falta, pois foram lançados fora do paraíso sem saber aonde ir e o que fazer, surgiu ali o primeiro sentimento de estar perdido.
Porém o Deus santo não deixou de querer um povo santo, depois que gerações de pecadores morreram num mundo corrompido, escravizado pelo pecado, sem nenhuma condição de se libertar, depois de o pecado ter dominado o mundo, Deus novamente, desejou santificar sua criação. Através de Noé, um homem que desejou ardentemente essa comunhão com Deus, e começou a buscar uma vida de santificação, pois nos é dito: Nóe era homem justo e integro, Noé andava com Deus. Gn. 6.9. Ele é conhecido como o pregador da justiça, e mesmo sendo ridicularizado, zombado, confiou e buscou a Deus, obedecendo sua palavra, construindo a arca que salvou a ele e sua família da destruição enviada por Deus para os pecadores. Com ele novamente Deus quis começar um povo santo, separado do pecado. Contudo os descendentes de Noé, mas uma vez falharam perante Deus, deixando de ser povo santo, antes buscaram honra e glória para si mesmos, e até intentaram chegar ao céu sem a ajuda de Deus, deixando mais uma vez o Senhor santo, irado por causa do grande pecado de seu povo, e mais uma vez o castigo que acompanha o pecado, veio sobre a humanidade, e o Senhor os dispersou pela superfície da terra. Gn 11.8. mas ainda assim Deus desejava e agia para ter seu povo santo, “porque eu sou santo, diz o Senhor, vós sereis santos.” Lv 11.45.
O que a falta de perdão faz – O profeta Isaías afirma: “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e vosso Deus; e os vosso pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”. Is. 59.2. Que a falta de perdão é pecado todos sabem, agora, você já pensou que este teu pecado, lhe separa de Deus? Quando não queremos perdoar, é como se colocássemos um grande murro entre nós é Deus, e não conseguimos chegar perto dele, e ainda mais, também encobre o rosto de Deus de nós, de tal modo que ele não ouve nossas orações. Aí está o motivo, porque muitos cristãos, mesmo lendo a bíblia, louvando e adorando no culto não conseguem se sentir perto de Deus, ou sente que suas orações não são respondidas: simplesmente porque não querem perdoar.
O POVO DE DEUS - Com Abraão mais uma vez, Deus deu seqüência a seu plano de ter um povo separado do pecado, ou seja, santo. Para isso, chamou-o, e deu-lhe ordens para deixar a sua terra, sua família, seu povo, que certamente, o influenciariam viver na constante prática do pecado. Deus o separou de seu povo, e o convocou a sair dali, e ir para a terra que o Senhor lhe mostraria. Deus também o separou da má influência dos senhores do Egito, quando peregrinou por aquela terra em busca de alimentos, e lhe preparou uma terra onde poderia habitar livre da influência e da corrupção dos povos idólatras. Deus encontrou em Abraão um homem como procurava. E, apesar dele ter tido alguns momentos de recaída ao pecado, Abrão foi um homem que procurou viver como Deus queria, buscou andar em pureza perante Deus, vivendo uma vida de santificação.
Tal motivo levou o Senhor a coroá-lo de grandes bênçãos, fazendo-o ser pai aos 100 anos, sendo conhecido hoje pelos cristãos como o Pai da fé, sendo realmente uma bênção a todos que tiveram a alegria de encontrar-se com ele, e dando-lhe uma descendência mais numerosa do que as estrelas do céu, e estes tornaram-se o povo de Deus. Apesar de Abraão ter vivido essa vida santificada que Deus deseja que todos os homens vivam, a bíblia nos mostra que seus descendentes, o povo que o Senhor havia escolhido para ser seu, não permaneceu santo. Os israelitas, repetidamente exibiram seus pecados aos olhos de Deus, muitas vezes o Senhor avisou que poderia entrar no meio da congregação pecaminosa e destruir o povo, Ex 33.5. Não pode haver comunhão entre a santidade de Deus e a impureza do homem, pois ou o homem é purificado para estar na presença de Deus, ou morrerá, como diz Isaías 6.1-7.
NÓS COMO POVO DE DEUS – “Vós porém sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” I Pedro 2.9. Deus ainda quer um povo santo, e para conseguir isto, deu tudo de si oferecendo o mais precioso, seu filho Jesus Cristo, para por meio dele purificar todo o pecador a fim de que este possa ter comunhão com Deus e servi-lo de todo o coração. Hoje os cristãos são esse povo santo de Deus, como diz I Pedro 2.9: “A nação santa, de propriedade exclusiva de Deus, que proclama as virtudes desse Senhor”. Portanto, aqueles que se dizem seguidores de Cristo, deverão também viver como um povo santificado e purificado da impureza do mundo. Os verdadeiros cristãos sempre procuraram viver uma vida assim, separada do pecado e das impurezas do mundo, sendo considerados pelo próprio Deus como o seu povo, o qual ele tem liberto da influência maligna, da corrupção do mundo. Ainda vivem neste mundo, mas não pertencem ao mundo, não amam, nem buscam seus prazeres, ou essa vida desregrada que muitos vivem, mas procuram andar em santidade na presença de seu Senhor e Salvador, a fim de realmente fazerem jus ao nome de Cristãos, e assim serem aceitos pelo próprio Deus, como seus filhos, purificados pelo sangue de Jesus de toda a maldade e pecado. Uma coisa é clara, esse povo santo de Deus enquanto estiver aqui na terra, ainda peca, conforme nos é dito em I João 1.8, “Se dissermos que não temos pecados a nós mesmos nos enganamos e a verdade não está em nós”. Mas temos que admitir esses erros e procurar o perdão de Deus para mantermos viva essa comunhão com Ele, pois diz: 'se, todavia alguém pecar, temos advogado junto o Pai Jesus cristo O Justo.' I Jo. 2:1. o qual intercede por nós para que esta comunhão possa ser reatada.
Se nós, os cristãos, somos hoje esse povo de Deus, devemos sempre ter em mente que Deus quer um povo santo, que viva o máximo possível afastado do pecado, sem dar chance nenhuma ao mal, pois se o dermos, como Adão e Eva, podemos cair na tentação e perdermos essa intima comunhão com nosso Senhor. Nos dias atuais a maioria das pessoas não deseja viver essa vida de consagração e santidade perante Deus. Muitos até são religiosos, vão a igreja, alguns até oram, mas porque querem ter as bênçãos de Deus, mas quando se fala de uma consagração total, uma busca constante pela santificação de sua vida, se escandalizam, ou por vezes chegam a dizer que isso é moda nova que pastores e pregadores querem implantar. Mas, se prestarmos bem atenção na Palavra de Deus vemos que isso é tão antigo quanto a origem do homem, que desde a criação essa foi a vontade de Deus, ter um povo santo, separado do pecado. Como nos é afirmado em I Ts 4.3, “Pois esta é a vontade de Deus a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição”. Lembrando que a prostituição na bíblia além de seu sentido original, também é usado para descrever a idolatria, a infidelidade, o deixar a Deus e seguir o pecado, como em Jr 3.1. Isso Deus não admite, ele quer sim um povo santo separado do pecado, separado da idolatria, separado de qualquer influencia do mal, pois seu desejo, sua vontade é a nossa santificação, desde o início do mundo. Deus quer que você faça parte do seu povo, pois ele lhe diz: Eu sou o Senhor vosso Deus, portanto vós vos consagrareis e sereis santos, porque eu sou santo. Lv 11.44. e isso é desejo de Deus desde que criou o homem.
FILHOS VIVENDO EM SANTIFICAÇÃO – “Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: habitarei e andarei entre eles, serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; Não toqueis em cousas impuras, e eu vos receberei, serei vosso pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor todo-poderoso”. (II Co. 6.16-18). Nos dias atuais, muitos que se dizem cristãos, acham não ser necessário levar uma vida de pureza, acabam misturando o que é puro com o impuro, gostam de servir a Deus, mas também amam o pecado e os prazeres mundanos. Assim a bíblia descreve que vivia a Igreja de Corínto, rodeada de imoralidade e falsa religião, e os cristãos eram seguidamente tentados a voltar às praticas pecaminosas do mundanismo, Paulo escreve a eles exortando a não permitirem que as cousas impuras se misturassem em suas vidas purificadas por Cristo (II Co 6.14-15). E afirma no capitulo 7.1 “Purifiquemo-nos de toda a impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus”. Deus nos quer como seu povo, nos convoca a vivermos uma vida em santidade, purificados de todo o pecado, e vivendo pela fé em Cristo.
Mesmo que se passaram centenas de anos desde que Deus enviou seu filho para nos purificar seu desejo básico permanece o mesmo, ele quer ter íntima comunhão com seu povo santo. Entretanto, como já dissemos, o Deus puro e Santo, não pode ter amizade e comunhão com o pecado, portanto, para que sejamos aceitos por ele precisamos nos separar do mal e das impurezas desse mundo. Isso não deve ser encarado como sendo uma tarefa desagradável de renúncia. Mas sim, compreendermos como é grande o privilégio em sermos povo de Deus. Pois o Deus santo, todo-poderoso, nosso grande criador e redentor, quer ser nosso Pai e deseja nos chamar de filhos e filhas, e isso é algo maravilhoso, quase incompreensível o fato de os cristãos serem chamados de filhos do próprio Deus. E como filhos, certamente não vamos querer decepcionar esse Pai, e certamente iremos atender o que nos pede quando diz que é necessário nos purificarmos de toda a impureza. Ele nos diz ser necessário fazer primeiro 3 cousas para então ele nos receber como filhos e filhas, e estas nos são destacadas em três verbos no texto: retirai-vos, separai-vos e não toqueis.
Deus nós diz que a primeira coisa a fazer é: “Retirai-vos do meio deles”. O que quis dizer-nos com isso? Antes de usar essa frase, ele está falando das pessoas que gostam de misturar o que é certo, com o errado, ou o que é puro perante Deus com o que é impuro, como, por exemplo, cita nos versículos 14 e 15, gostam de misturar as trevas do pecado com a luz de Deus, ou a justiça com a iniqüidade, ou ainda o crente com o incrédulo, e desses tais que o Senhor nos diz, retirai-vos do meio deles. A segunda frase nos diz, “separai-vos diz o Senhor”, ele está se referindo a pessoas que acham que há ligação entre santuário de Deus com os ídolos, ( V. 16) pois a seguir ele afirma que somos santuários de Deus, onde ele próprio habita, e nesse santuário não pode haver lugar de adoração para o Deus santo, e ao mesmo tempo para os ídolos, é de quem quer unir ambos é que o senhor nos diz separai-vos. Pois o próprio Senhor Jesus quando foi tentado afirmou: “Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele darás culto” Mt 4.10. E a terceira frase, nos diz: “Não toqueis em cousas impuras”, ali está se referindo a tudo o que é pecado, ou até em práticas que pareçam ser saudáveis, mas que como conseqüência levam as pessoas a cair em tentação e pecar. Deus conclui no final, dizendo que após termos nos retirado do meio de práticas pecaminosas, separado nosso corpo, ou seja, o santuário para Deus, para que somente Ele seja adorado, e não tocarmos em coisas impuras, contaminadas pelo pecado, ai sim o Senhor diz: “Eu vos receberei, serei o vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor todo poderoso”. (II Co. 6.17 e 18). Por isso reflita: você faz parte desse povo santo? Tem procurado levar uma vida de santificação diante Deus? Lembre-se, que Deus quer um povo santo, para que possa ter plena comunhão com seus filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...