domingo, 22 de agosto de 2010

Para evangelizar os pobres

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” (Is. 61,1-2)

Você é ungido para servir, é um eleito de Deus, desde sempre, desde a eternidade. “Quem vive para servir, serve para viver.” E quem não serve, não serve.
As leituras diárias da semana que passou começam com a unção de Arão e de toda a família sacerdotal para servir (Lv 8.7-13); Samuel unge a Davi para servir como Rei, (I Sm 16); a unção de reis e profetas para servir (I Reis 19.15-21); a unção de Profeta, Sacerdote e Rei – os ofícios de Cristo – João 1.29-36; A unção dos filhos de Deus para servir (I Pedro 2.4-10); e, por fim no sábado, “vós tendes a unção: (I João 2.18-25)
O texto áureo deste domingo, epigrafado neste editorial, mormente os versículos 18 e 19, traz-nos lições muito preciosas que destacamos a seguir:
(I) TRATA-SE DE UMA UNÇÃO MESSIÂNICA PARA SERVIR.
O texto profético de Isaías 61, aqui citado no Evangelho segundo Lucas, é um texto messiânico. Aliás, as palavras “Messias” e “Cristo” significam O UNGIDO DO DEUS ETERNO. Que, no caso, é o próprio Filho de Deus, ao qual reiteradas vezes Ele declarou: “ESTE É O MEU FILHO AMADO, EM QUEM EU ME COMPRAZO.” O Deus eterno afirma e reafirma a sua paternidade e a filiação divina de Jesus Cristo. Filho que honra o Pai e que dá ao Pai, alegria e prazer, é um abençoado e um ungido.
Os sinais messiânicos descritos em Isaías 35.5ss e confirmados no Evangelho Mateus 11.4,5 e 6, são evidentes na vida e no ministério de Jesus de Nazaré. Este fato incomodou os religiosos da época: Escribas, Fariseus e Saduceus. Procuravam matá-lo e conseguiram o seu intento. Mas Deus o ressuscitou e a fé no Cristo vivo e ressurreto se espalhou por todo o Mundo e chegou até nós.
(II) JESUS REGRESSOU PARA A GALILEIA NA UNÇÃO
E NO PODER DO ESPÍRITO.
O Espírito do Eterno está sobre mim e em mim, enquanto sou Membro do Corpo de Cristo, a Igreja. Vivemos a Era do Espírito Santo. Não se trata de um espetáculo de fé, com demonstrações de poder, não! Trata-se da ordenação do Batismo para servir e ser uma bênção. Ele nos UNGIU PARA:
(1) Evangelizar os pobres. A pobreza não é vergonha, é um desafio para os ricos. Pobreza material e espiritual. O pobre é humilde, esvaziado, dependente da Graça de Deus e da misericórdia dos homens. Há pessoas que são materialmente ricas e espiritualmente pobres. O contrário também é verdade, há pessoas materialmente pobres, mas que são espiritualmente ricas. Ricas da Graça de Deus. Há um provérbio muito conhecido e sem fronteiras que diz: “Quem perdeu os seus bens, perdeu pouca coisa; quem perdeu a saúde, perdeu muita coisa; mas quem perdeu o caráter e a vergonha, perdeu tudo.”
(2) Proclamar libertação aos cativos... pôr em liberdade os oprimidos. Tem muita gente escravizada pelo pecado e oprimida pelo diabo: é tempo de proclamar que “só Jesus salva, liberta e cura.”
(3) Restauração da vista aos cegos. A cegueira é uma triste limitação, é a privação de um dos sentidos mais preciosos: que é a capacidade de projetar pelo aparato visual o mundo exterior, no interior da mente e projetá-lo como ele é, percebê-lo e descrevê-lo ou imortalizá-lo em um quadro.
(4) Apregoar o Ano Aceitável do Senhor, é uma referência ao Ano do Jubileu: quando todas as contas são zeradas e a propriedade volta ao seu dono original: Todos nós somos “Mordomos”, tomadores de conta de bens que não são nossos, pertencem ao Senhor.
A palavra profética de Isaías 61 é bem mais completa. Inclui e pressupõe a restauração de tudo e de todos.
(III) QUANDO A PROFECIA SE CUMPRE, ELA SE ATUALIZA
E SE PROJETA.
É o que acontece aqui. Os sinais e sintomas Messiânicos se tornavam tão fortes e evidentes na vida e Ministério de Jesus, que a única saída era matá-lo (pensavam eles). O laureado escritor português José Saramago transforma Caim em um anti-herói, um desafio a Deus e à religião. Deus matou muito mais do que Caim, justifica Saramago em seu “embate contra Deus.” Foi intrigante receber do meu querido Diácono e amigo Dr. Archidemes, o clipping das matérias sobre religião. Uma grande ajuda na forma de um gesto de amor e de serviço.
Quando Jesus fechou o rolo profético, devolveu-o ao assistente e declarou: “HOJE SE CUMPRIU A ESCRITURA QUE ACABAIS DE OUVIR!” Todos tinham os olhos fitos em Jesus. A reação foi a de revolta e o desejo dos Judeus foi o de matá-lo. Nele os sinais messiânicos são fortes. Assim o Servo do Senhor, o Ungido para servir é predestinado para sofrer e morrer. (Vs. 29 e 30).
Quem vive apenas para si mesmo está em processo de morte. Quem só pensa nele próprio está condenado a viver isolado e a morrer, falando com os botões do seu pijama. Somos vocacionados e ungidos para servir. Viver uma vida voltada para Deus em Adoração, e voltada para o próximo em Amor e serviço. “Se vivemos, para o Senhor vivemos; e se morremos, para o Senhor morremos. Quer pois, vivamos ou morramos: SOMOS DO SENHOR.” (Rm 14.8). Se você vive para servir, serve para viver.

Rev. Guilhermino Cunha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...