quarta-feira, 18 de agosto de 2010

FORMAS DE RECEBER A GRAÇA DE DEUS EM VÃO

"…Exortamos-vos a que não recebais a graça de Deus em vão", 2Cor.6:1

1. As carências são as principais razões/causas para este fenómeno de recebermos a graça de Deus em vão. Contudo, existem muitas outras formas de recebermos a água da vida em vão. Mas, antes falemos do que é receber a graça de Deus.
2. Receber a graça de Deus é real. Não é ‘crer’ que recebemos. O ar que respira não é real? Por que razão a graça deveria ser menos real, ilusória e feita/baseada em suposições e crenças? Sempre que a Bíblia fala da graça (e neste caso, Paulo), dá a entender claramente que é real, palpável e muito eficaz quando obedecida e entendida com simplicidade dentro dos parâmetros e do modo de Deus, em santidade e em toda a pureza e simplicidade. Quantas vezes Paulo exorta a não voltarmos às fábulas? Você vive de fábulas quando fala de Jesus? Ou antes tem em mente que é ou deve ser a realidade mais concreta, mais simples e mais real que deve experimentar? Você experimenta Deus ou vive ‘crendo’ que experimenta? Você faz questão que a graça se torne real em toda a sua vida e existência? Ou quer brincar aos crentes? Você é como as crianças que chamam de filhas às bonecas de trapo? Não será por essa razão que você joga a graça de Deus em qualquer canto (como as crianças fazem com as suas bonecas) porque você sustenta a ideia de que as coisas de Deus são irreais e podem ser descartáveis quando você precisa fazer alguma coisa de seu jeito? Todo aquele que vive uma paranóia religiosa, uma doutrina própria ou despreza alguma coisa que Deus quer, é pessoa entregue a uma qualquer ilusão de fé, seja ela qual for. Viver uma mentira é tudo menos viver e experimentar a graça.
3. As carências são a principal causa de você e eu recebermos a graça de Deus em vão quando ela é real. Quando ela não é real, não será possível recebê-la em vão, pois, você não recebeu nada! Como é que as carências são responsáveis por receber a graça de Deus em vão? E que devo fazer para isso nunca acontecer? Que devo fazer para prevenir um crime tão hediondo e tão fatal?
4. A pessoa que tem carência busca. Se lhe falta sabedoria, busca; se lhe falta apoio, busca; se lhe falta liderança, busca; se lhe falta paciência, busca-a. Mas, ao buscarmos de Deus, tudo se torna diferente. Deus dá a quem busca de todo coração. Buscar de todo coração implica que o meu único objectivo é alcançar o que busco e que não tenho outros objectivos residentes em mim. Quando a pessoa é levada a buscar de todo coração até achar, é óbvio que, assim que achar o que busca dessa maneira, irá ser tentada a afrouxar e entrar num género de descanso irresponsável porque alcançou o seu objectivo. Será como chegar ao fim de uma viagem. É necessário que todos nós entremos nesse descanso, Heb.4. Mas, como um ex-escravo sente dificuldade na vida de liberto; como um cego de nascença sente dificuldade na adaptação à vida quando seus olhos se abrem; desse mesmo modo, uma pessoa esforçada e ‘cansada’ sente muita confusão e dificuldade na adaptação a uma vida de pleno descanso. O cansado nunca aprendeu a viver sem seu cansaço e com o alívio de seus fardos. Você consegue? Ou prefere seus fardos de volta para poder ‘caminhar’? Você só sabe viver através de sacrifícios?
5. Quando uma pessoa do mundo inteligente ganha muito dinheiro, ela sabe instintivamente que precisa investir ao invés de gastar no que não lhe dá retorno. É assim que todos os avarentos cuidam do que têm. Logo, se recebemos e achamos graça, devemos saber tornar-nos responsáveis e obedientes, investindo na vida de cima lá do céu. Se não soubermos fazer isso, receberemos a graça em vão. “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem e onde os ladrões minam e roubam. Mas, ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem e onde os ladrões não minam nem roubam”, Mat.6:19-20.
6. Quando procuramos alguma coisa de todo coração, a tendência é pensarmos que alcançamos o nosso objectivo quando encontramos tudo que buscávamos. Logo, se buscamos santidade ou alguma outra dádiva da graça e ela torna-se real, a tendência será ficarmos descansados assim que acharmos o que procurávamos. Será muito fácil para o diabo tentar-nos nessa área de falta de compromisso, de negligência e de voltarmos a ser egoístas, algo que o buscar de todo coração pretendia eliminar durante o período de busca e antes de recebermos. Deus não dá a egoístas ou a quem vai usar o que recebe de forma egoísta, a menos que o queira condenar para sempre. Logo, a busca de todo coração visa(va) a anulação do egoísmo. Então, ao recebermos, caso voltemos a ser egoístas e interesseiros por já havermos recebido, estaremos voltando às fábulas e ao engano de coração. Essa é uma das maneiras de recebermos a graça e as dádivas de Deus em vão.
7. A carência sentimental também se torna responsável por aquilo que devemos evitar a todo custo. Temos, como exemplo, a Sunamita (2Reis 4). Depois que seu filho ressuscitou (tal qual a viúva de Sarepta), ela não se deteve a ‘curtir’ o momento e antes saiu logo para a sua vida e para cuidar de seu filho. Imagine qualquer uma dessas mulheres ter como único objectivo que os profetas ressuscitassem seus filhos. Depois do milagre, seguramente começariam a pensar em educar de seus filhos para estarem bem com este Deus poderoso e real. Seguramente que nunca mais negligenciariam a educação daqueles filhos e nunca mais abandonariam o temor de Deus que se manifestou real para com elas. O haverem recebido de volta seus filhos não foi o fim da picada. Agora, precisavam cumprir, educar, viver, ser exemplo, manifestar, orar e obter uma convivência normal com este Deus que mal conheciam – ou que, pelo menos, não conheciam do modo que Elias O conhecia. Eu tenho a certeza que estas duas mulheres não pararam por ali, não se contentaram com o haverem recebido seus filhos de volta.
8. Outra maneira de receber a graça de Deus em vão é deixar de desejar aquilo que já alcançamos. Isto é, ao invés de desejar o que não tem, você deveria desejar o que já tem. Muitos imploram a Deus por muitas coisas que acabam alcançando e, depois, deixam de desejá-las precisamente por já as haverem alcançado. Mesmo quando a realidade supera a fantasia em beleza, as pessoas que fantasiam decepcionam-se sempre com as realidades já que não lhes chegam nos moldes que fantasiaram. Deseje aquilo que alcançou em vez de tentar alcançar aquilo que deseja, já que Deus prometeu que seria Ele a dar aquilo que nosso coração deseja quando nos deleitamos n'Ele, Sal.37:4. Você deixou de desejar seu marido ou esposa depois de haver alcançado de Deus o que muitos alcançam do diabo ou da carne? "Contentai-vos (alegrai-vos) com as coisas que tendes...", Heb.13:5. Deseje o que já tem e que veio de Deus e cuide disso como um tesouro de Deus – não como um tesouro seu.
9. A maneira mais subtil e mais hábil de anularmos ou negligenciarmos toda a graça de Jesus é usarmos para proveito próprio aquilo que Deus nos deu para distribuirmos. Já imaginou Pedro levar para o mercado os peixes que Jesus ia multiplicando, ou buscando sua família para dar-lhes a melhor parte já que o pão e os peixes multiplicados passavam por suas mãos? Você acha que Pedro não tinha fome? Acha que ele comeu primeiro ou que ia provando no caminho? Outra maneira de sermos negligentes é distribuirmos aquilo que Deus nos deu para investir ou para usarmos em nossa pessoa. Mas, isso é um assunto à parte. Se Deus quiser, um dia falaremos sobre isso, pois, tenho a certeza que o egoísta também dá na hora errada e à pessoa errada. “Ao vil nunca mais se chamará liberal; e do avarento nunca mais se dirá que é generoso”, Is.32:5. Amem.

José Mateus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...