sexta-feira, 2 de julho de 2010

Homem: O Sacerdote do Lar

O termo precisa ser explicado teologicamente. O sacerdote, segundo a Antiga Aliança, era aquele que tinha o ofício de expiar o pecado do povo de Deus. Em certo sentido ele era responsável pela vida espiritual do povo, por isso tinha de ter alguma coisa a oferecer (Hebreus 8:3). Da mesma sorte, o marido é o responsável pela vida espiritual do seu lar. Sobre ele cai a responsabilidade até mesmo dos erros de sua esposa, e esse é o grande desafio de uma liderança espiritual.
Há quem ache que pode ser exagerada a afirmação que o homem recebe a culpa dos pecados cometidos pela esposa, mas se entendermos que o líder responde pelos seus liderados, então, começaremos a compreender esse conceito; mesmo assim, nosso objetivo é prová-lo biblicamente, e não, simplesmente, com comparações lógicas. Voltemos os olhos ao relato da queda em Gênesis 3:1-6:
“Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal. Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu.”
Vemos que logo após o mandato divino a mulher deveria ser uma auxiliadora idônea (Gênesis 2:18), Satanás tenta a Eva exatamente fazendo com que ela assuma a liderança. Ele conseguiu o seu objetivo de fazê-la pecar. O texto mostra que Adão foi absolutamente passivo em todo relato, estando ali ao lado de sua mulher, permitiu que o Tentador a abordasse sem que ele tomasse a frente de sua casa.
Não há dúvidas que a mulher é quem foi iludida e caiu em transgressão (I Timóteo 2:14), e não o homem; por isso ficamos alarmados ao ver as palavras de Deus para Adão: Maldita é a terra por tua causa (Gênesis 3:17). Percebe-se que a culpa do erro de Eva, caiu mesmo sobre as costas de Adão. Deve-se isso à passividade de Adão no relato da queda e também ao fato do homem ser o responsável pela sua casa.
Esse poderia ser um fato histórico isolado, se o exemplo máximo do relacionamento entre Cristo e a Igreja não fosse também o casamento. Cristo é o noivo e a Igreja a sua noiva. O termo é conhecido em Apocalipse (19:7; 21:2,9; 22:17).
A aplicação desse conceito feita pelo apóstolo Paulo é extremamente profunda, em Efésios 5. O argumento é lançado no verso 23: porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Paulo não demora a chegar à conclusão que liderar (ser a cabeça) traz as suas conseqüentes responsabilidades, e, nesse caso, é o próprio conceito de salvação.
Não que a mulher será salva pela profissão de fé do marido, mas no sentido de que, como sacerdote do lar, o homem é o salvador do corpo, como Cristo o foi da Igreja. Isso trás conseqüências muito práticas para o cumprimento do papel de liderança do homem. Ele diz nos versos 25-33:
Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Pois nunca ninguém aborreceu a sua própria carne, antes a nutre e preza, como também Cristo à igreja; porque somos membros do seu corpo. Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher, e serão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu falo em referência a Cristo e à igreja. Todavia também vós, cada um de per si, assim ame a sua própria mulher como a si mesmo.
O amor de Cristo pela Igreja foi incondicional. Ele deu a sua própria vida pela sua esposa, e, nesse ato de se entregar, ele a estava salvando, santificando, e a tornando irrepreensível diante de Deus. Cristo fez isso por nós. Ele assumiu de uma maneira tão abrangente as nossas culpas e pecados que, mesmo quando erramos nos justificamos pelo fato de ter Cristo se entregado por nós.
Quando Paulo aplica esse ato ao casamento, está mostrando a responsabilidade que recai sobre as costas do líder, de receber no seu próprio corpo os defeitos de sua liderada; Paulo passa a citar o texto de Gênesis, para enfatizar ainda mais essa responsabilidade. Até o casamento, a responsabilidade sobre a pessoa, recai sobre pai e mãe, por isso, deixa o homem seu pai e sua mãe, onde agora o homem passa a ser o responsável pela esposa, que também deixa sua primeira família.
O marido então, deve seguir o ensinamento geral dos Apóstolos em relação a sua esposa. Paulo instrui a todos que tenham o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus (Filipenses 2:5).
Pedro, ainda mais especificamente os instrui a viverem a vida comum do lar, com discernimento; e, a ter consideração para com as esposas como a parte mais frágil. Tratando-as com dignidade... para que não se interrompam as orações (I Pedro 3:7).
Esse é o conceito de liderança segundo a Escritura. O líder assume a responsabilidade e o ônus, mas exerce sua função de forma a preservar sua esposa (parte frágil), ainda que vivendo a vida comum do lar. Eis o que diz Van Groningen sobre liderança:
“As Escrituras nos ensinam que o homem foi matéria-prima da mulher. Ele imediatamente exerceu a sua autoridade. Ele lhe deu o nome, assim como fez com os animais que estavam sobre o seu domínio. Queremos dizer que não acreditamos que ser o cabeça indica superioridade... homem e mulher foram ambos criados a imagem de Deus... Juntos, o homem e a mulher representam e espelham Deus no mundo. O fato que permanece é que Deus nos deu posições e funções diferentes. Os mandatos foram dados a Adão, antes que sua auxiliadora estivesse ao seu lado.”
Em termos práticos, o marido deve ter um amor e um zelo incondicional pela sua esposa, vivendo para ela, tratando, cuidando, adornando, santificando, pastoreando de maneira que ela esteja sempre linda, feliz, imaculada e impecável diante de Deus. Esse é o papel do líder na sua imitação de Cristo.
O termo viver a vida comum do lar precisa ser bem entendido. A queda trouxe conseqüências ao conceito de liderança/submissão (Cf. Gênesis 3:16), onde o homem corrompido pensa que ser líder é exercer a tirania, mas Pedro encerra esse erro com o termo usado para nomear esse artigo. A mulher não é escrava do homem, muito embora a responsabilidade da casa seja dela (Provérbios 31:10 em diante), o homem precisa compreender as fragilidades de sua amada, ser apto não para ordenar, mas para servir, como Cristo também o fez pela sua amada Igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...