sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

O que Deus quer de nós?


ANDAR EM SANTIDADE, È POSSÌVEL? Apesar do tanto que se fala em santidade hoje, uma boa parte dos irmãos ainda não entendeu bem o que é . Na verdade, a visão que muitos irmãos têm sobre santidade é bem diferente do que a palavra de Deus nos ensina. Uma boa parte dos irmãos ainda associa santidade com a quantidade de pecado que a pessoa comete. Mas o que na realidade a bíblia ensina sobre santidade? Pode alguém que já errou muito, e ainda erra dizer que vive em santidade? Gn 5:24: "E andou Enoque com Deus; e não se viu mais; porquanto Deus para si o tomou" Qual é o motivo por que Deus levou Enoque consigo? A Bíblia diz que: "Ele andou com Deus." veja o caso de Noé. As Escrituras afirmam que: "Noé era varão justo e reto em suas gerações..." (Gênesis 6:9). "Noé era homem justo e íntegro entre seus contemporâneos.” Não seria maravilhoso Amados, se um dia Deus dissesse de você: "Este é um rapaz justo e íntegro." Ou: "esta é uma moça íntegra." Não é isto que nós gostaríamos de ser? Mas por que Noé foi considerado um homem justo e íntegro? A Bíblia afirma: "Noé andava com Deus." Lembra-se de Abraão? Ele é chamado "o Pai da Fé". “Um dia Deus Se apresentou a ele e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso, anda na minha presença e sê perfeito" (Gênesis 17:1). Percebeu ? Tudo que Deus esperava de Abraão era que ele andasse com Deus. O resultado disso seria uma vida de santificada. O que dizer de Davi? A Bíblia afirma que: "... Achei a Davi filho de Jessé, varão conforme o meu coração..." (Atos 13:22). Ah, amados! Se um dia Deus puder dizer isso de nós! É a coisa mais preciosa que alguém poderia ouvir Mas, por que foi que Davi tornou-se "o homem conforme o coração de Deus"? Qual era a maior obsessão da vida de Davi? "Andarei perante a face do Senhor, na terra dos viventes" (Salmo 116:9). Os irmãos percebem que existe uma frase que é denominador comum na vida de todos os homens mencionados? "Andou com Deus". Todos eles foram santos porque andaram com Deus. Existia um relacionamento maravilhoso de amor entre Deus e eles. Em sua experiência, tinham chegado ao ponto de não conseguirem mais viver separados de Deus. Por isso Deus os considerou, santos, perfeitos, justos, íntegros e retos. O interessante é que há sempre alguma coisa curiosa na vida de todos eles: Noé um dia ficou embriagado a tal ponto que ficou nu, dando um vexame para toda sua família. Aqui eu sei que ninguém nunca fez isso. Mas Noé fez e Deus diz que ele "era justo e íntegro entre seus contemporâneos". Abraão um dia foi tão covarde que teve medo de dizer que Sara era sua mulher, afirmando que era sua irmã, quase empurrou Faraó ao adultério. Os resultados teriam sido terríveis Se Deus naquela noite não interviesse milagrosamente. Uma atitude covarde de Abraão. Mas, sabe o que Deus diz dele? ”Abraão era perfeito”. O apóstolo Paulo até o chama de "o pai da fé".
E o que dizer de Davi? Um dia ele caiu fundo no pecado. Emaranhou-se numa rede de assassinato, da intriga e do adultério. Aqui nem nunca fez isso claro. Mas Davi fez, e sabe o que a Bíblia diz dele? Que Davi era um homem "conforme o coração de Deus". Há alguma coisa maravilhosa que Deus está querendo nos dizer através da experiência de todos esses homens. Algo grandioso que revolucionará a nossa vida e nos mostrará um horizonte infinito de esperança. Para os seres humanos, uma pessoa é perfeita, santa, justa, íntegra, Quando nunca comete nenhum erro, quando faz tudo certinho, Quando cumpre todas as normas, leis e regulamentos. Para Deus, uma pessoa é santa e perfeita Quando se dispõe a andar com Ele, Quando faz de Cristo o mais importante da vida. Quando compreende tudo o que Cristo fez na cruz por ele e clama por um novo coração capaz de amar, Quando sente dor por todo o sofrimento que causou a Cristo com seus erros passados. Para Deus, amados, uma pessoa é perfeita Quando olha para a cruz e se apaixona por Cristo a ponto de dizer: Senhor Jesus, eu Te amo. Eu Te amo tanto que sem Ti a vida não tem sentido. Ajuda-me, por favor a andar Contigo! Tem muitos santos hoje na igreja que passam meses sem abrir a boca, para dizer que ama o Senhor Mas é nesses instantes, quando nos humilhamos diante D’ele, que o maravilhoso Deus de amor derrama lágrimas de alegria e segura a nossa fraca mão, com Sua mão poderosa. E no instante desse toque, o passado fica apagado para sempre, não importa se fomos bêbados ou covardes, adúlteros tudo fica enterrado. Porque nesse momento passamos a ocupar o lugar de Cristo. Ele nos oferece Seus méritos, Sua vida vitoriosa, Seu caráter A partir desse momento começa a mais bela das experiências: A experiência maravilhosa de andar com Cristo. Naturalmente o amor é básico nesta experiência, porque não se pode conviver e ser feliz com uma pessoa que não amamos. A nossa tragédia,às vezes, consiste em que avaliamos santificação de acordo com nossa capacidade de obedecer às normas, com nossa capacidade de viver de acordo com o que a “igreja” viver de acordo com os regulamentos de um código moral, enquanto Deus avalia a nossa santificação em razão do tipo de relacionamento que temos com Ele, porque sabe que o resultado de uma vida de comunhão com Ele será naturalmente uma vida de obediência a seus princípios. Mas se quisermos andar com Jesus, descobriremos imediatamente que existem muitas coisas de que Ele gosta, e nós não gostamos. Existem também coisas das quais Ele não gosta e nós gostamos. O que fazer numa circunstância semelhante? Estamos frente a um impasse. O que fazer? Aqui novamente entra o amor como a solução para o problema.
Quando solteiro eu não gostava de cebola. Detestava cebola Acontece que um dia conheci uma moça extraordinária que hoje é a minha esposa. Nunca esquecerei o primeiro almoço que ela preparou para mim. Ao chegar do trabalho, aquela mesa caprichada e bem no meio uma travessa de bife acebolado. Do lado da mesa estava ela com um brilho de expectativa nos olhos, como se perguntasse para si própria: "Será que ele vai gostar?" depois de agradecer ela me serviu um bife enorme cheio de cebola. Tive vontade de dizer: "Obrigado, querida, eu não gosto de cebola", mas não consegui. Eu amava aquela moça. Não tive coragem de desapontá-la. Parti o bife gentilmente e engoli. No dia seguinte, ao chegar do trabalho, fiquei paralisado. Lá no centro da mesa havia outro tipo de carne também cheio de cebola. Olhei para minha esposa e afirmei: Parece que você gosta muito de cebola, não é mesmo? E ela, com a maior naturalidade do mundo, respondeu: Para mim não tem como preparar um bom almoço sem cebola. Em fração de segundos imaginei minha vida engolindo cebola Mas ao olhar para o rosto de minha esposa e ver um sorriso de satisfação, senti uma alegria íntima no coração. Eu amava minha esposa. O que podia significar o fato de comer cebola, comparado com a alegria de vê-la feliz? Entende o que estou querendo dizer, amados? O dia que nos apaixonarmos por Cristo, O dia que chegarmos a amá-Lo com todo nosso coração, a coisa que mais vamos desejar, será vê o Senhor sorrir. Sem dúvida haverá coisas que O deixarão feliz e que, com a nossa natureza pecaminosa não vamos gostar de fazer. Não acredito que perder o gosto por coisas que estávamos acostumados a fazer ou aprender a fazer coisas que não gostávamos de realizar seja fácil. Haverá um preço que teremos de pagar planos que teremos que esquecer. Muitas vezes isso exigirá esforço, sacrifício e sofrimento, Mas tudo isso terá sentido, se o fizermos por amor à pessoa do nosso amado Jesus. O profeta Miquéias explicou um dia a maneira certa de andar com Deus: "Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e o que é que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, que ames a beneficência, e que andes humildemente com o teu Deus?" (Miquéias 6:8) Você percebe que a questão não é simplesmente andar com Deus. O importante é andar "humildemente" com Ele. É Ele que dirige. É Ele que mostra o caminho. É Ele que diz como as coisas serão melhores para ambos. Eu O amo e aceito Seu conselho porque Ele sabe o que é bom para mim. Não sou eu que dirijo a caminhada, não sou eu que devo levar Deus por onde acho que devo ir. Apenas seguro a Sua mão e vou. Ele é meu Pai, meu Amigo, meu Irmão, Ele é meu princípio, meu fim, Ele é tudo. Eu apenas me abandono em Seus braços de amor e vou por onde Ele quer e faço o que Ele disser. Afinal de contas, Ele conhece o caminho e o que Ele mais quer é que eu seja feliz.
Tudo isto tem sentido, unicamente quando existe amor *. Nossa vida precisa ser é motivada pelo amor de Cristo. Se não existir um relacionamento de amor entre Cristo e nós a vida torna-se vazia, oca, se sentido. O cristianismo vira um fardo, uma pesada carga de proibições e deveres. Podemos carregá-lo um, dois ou vinte anos, mas, um dia chegamos ao limite e o largamos tudo ou então nos tornamos zumbis, homens sem vida, máquinas que carregam o fardo das obrigações, que cumprem, que obedecem, apenas máquinas, sem alegria, sem entusiasmo, incapazes de saber o que é felicidade. Por aí, um dia, numa roda de amigos, alguém pergunta: Por que você não bebe? Ai o aquele irmão responde: minha religião proíbe Porque sua religião me proíbe, é norma da sua Igreja. A vida toda, às vezes, é levada desse jeito. É a religião, é a igreja o que importa. E Cristo? Onde fica nisso tudo Cristo? O que será que Ele está sentindo? Importa-nos se Ele está sorrindo ou está chorando? Você já pensou N’Ele como uma pessoa que ama, que sorri, que pode ficar triste? Vamos analisar o caso de uma pessoa que sai para comprar uma peça de roupa, por exemplo: Ela percorre as lojas, olha as vitrines, até que acha uma roupa que seja adequada ao seu orçamento. Como faz ela para comprar essa roupa? Experimenta, olha no espelho, observa se fica bem nela, se combina com sua cor, com seu corpo, finalmente, paga e leva a roupa para casa. Podemos dizer que isso é andar com Deus? Numa ocasião saí com minha esposa para comprar sandália Depois de observar vários pares chegou um momento de indecisão para ela. Havia dois pares dos quais ela gostava. Experimentou um, depois o outro. De repente, olhou para mim e perguntou: Qual você acha melhor? Leva o que você achar melhor. Eu quero que você me ajuda a escolher Por quê? Porque eu me sinto bem usando a sandália que você escolher para mim. Acabamos levando os dois pares É justamente isso que tem que acontecer em nosso relacionamento com Cristo. Ele tem que ser tão amado e tão real para nós que cheguemos ao ponto, antes de comprar uma roupa, olhar para Ele e perguntar: Senhor, Tu gostas? Ó Senhor Jesus, eu Te amo tanto que serei feliz usando a roupa que o Senhor escolher para mim. Andar com Deus é tê-Lo presente em nosso dia a dia. Consultá-Lo antes de tomar uma decisão, antes de iniciar um namoro, antes de empreender algum negócio, antes de entrar em algum lugar, antes de sair para algum programa. Nossa vida não se limitar a reunião igreja. Não é uma religião que determina os nossos atos. Fazemos ou deixamos de fazer, comemos ou deixamos de comer, bebemos ou deixamos de beber, vestimos ou deixamos de vestir, unicamente por amor a Cristo. Se virmos um sorriso em Seu rosto, vamos em frente. Se, pelo contrário, percebemos um ar de tristeza em Seu olhar, é hora de parar, não porque a igreja proíbe, mas porque amamos a Jesus e não temos coragem de vê-Lo sofrer. É possível ser santo, ser perfeito? Se você acha que ser santo, significa nunca cometer um erro, claro que não é possível. Mas graças a Deus que o conceito bíblico de santidade é completamente diferente. Para Deus, santidade é "andar com Ele", como andou Enoque, Noé, Abraão, Davi. Você já viu um pai levando o seu garoto de 4 anos pela mão? Os passos do pai são compridos e a criança não consegue manter o ritmo do pai, mas ela segura o braço poderoso e vai em frente. Pode de repente tropeçar, pode talvez escorregar, mas enquanto sua mãozinha segurar o braço do pai, ela não cai. Qual é o segredo para não ficar jogada no chão? O braço do Pai. Ele é o seu sustento, é a única garantia de que um dia chegará lá, apesar das possíveis quedas ou tropeços da vida. Foi por isso que Enoque, Noé, Abraão e Davi foram santos. Enoque segurou o braço do Pai, andou com Ele e não temos notícias de que tenha caído alguma vez. Já os três últimos andaram com Deus, escorregaram na vida, tropeçaram, mas seguraram o braço do Pai e não ficaram caídos; continuaram a caminhada. E Deus os considerou tão santos quanto Enoque. Você errou alguma vez em sua vida? Não precisa viver atormentado por isso. Olhe para a Cruz de Cristo. Ele já pagou pelo erro que você cometeu. Ele te perdoa e te aceita. Você está ferido? A queda foi tão grande que não restam mais forças para estender a mão pedindo ajuda? Não se preocupe. Apenas olhe. Olhe lá na montanha um Deus de amor morrendo lentamente. Por que você acha que Ele sofreu tanto? Foi por amor a você. Foi porque você vale muito para Ele. (Igreja em Manhuaçu)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...